Audiência e refinaria

0

O governador João Alves Filho viajou ontem para Espanha. Retorna a Madrid para alguns retoques no projeto de viabilidade da instalação de uma refinaria de petróleo em Sergipe. Hoje à noite já estará de volta e desembarca em Aracaju amanhã à noite, para na sexta-feira comparecer à audiência que o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra (PT), marcou, na sede da empresa, no Rio de Janeiro, utilizando a imprensa. Não foi formalizada ao Palácio dos Despachos. O objetivo de João Alves Filho é mostrar que Sergipe está em igualdade de competitividade para receber a refinaria. A princípio o governador não pretendia viajar. Há o problema das enchentes no sertão. Considera que a presença do governador, em uma catástrofe como a que se registrou, é importante até que se solucione o problema, para que a vida retome a normalidade, nos municípios atingidos. Mas foi convencido a fazê-lo em razão da audiência divulgada por José Eduardo Dutra, que tinha o objetivo de mostrar que jamais negou abrir as portas do gabinete para João Alves. O pessoal achava que o governador não poderia dar esse argumento a Dutra. João vai comparecer, com todos os documentos, à sede da Petrobrás, para discutir o projeto de refinaria, tendo a parceria de empresários espanhóis. O presidente Dutra estará lá para recebe-lo. Na realidade não deveria ser assim. A audiência, que o governador diz ter solicitado a algum tempo, não precisaria chegar ao nível em que hoje os sergipanos assistem. Uma espécie de mal estar entre ambos.Certamente os dois não devem conversar sobre a derrota da seleção para o Paraguai, que impede o Brasil de ir à olimpíada de Atenas. O objetivo é analisar um empreendimento de grande porte para Sergipe, que é a instalação de uma refinaria. Assunto que, com certeza, é de interesse dos dois. Afinal, quando se trata do desenvolvimento do Estado, os políticos, que dele tiram o voto para se eleger e representa-lo, deveriam se unir para gerar mais emprego, melhorar a arrecadação e promover o seu crescimento econômico e industrial. Segundo o governador João Alves Filho, todas as exigências para a instalação da refinaria, Sergipe cumpriu. Inclusive a de conseguir parceria com um grupo empresarial forte. O Estado hoje está igual a todos os demais do Nordeste, como é o caso de Pernambuco, para onde está voltado os olhos e o coração do presidente Lula da Silva, no que se refere à instalação da refinaria. José Eduardo não tem demonstrado muito interesse em trazer esse grande empreendimento para Sergipe e sempre evoca questões técnicas, avaliações econômicas, situações estratégicas e condições de escoamento do produto. Tudo isso Sergipe tem, dentro das mesmas proporções dos demais Estados, com a vantagem da produção, em grande escala, do produto bruto que alimenta a refinaria, que é o petróleo in natura. O grande problema é que já se abriu um caso político para qualquer ação da Petrobrás em Sergipe. E isso está bem claro na ação da estatal no Estado, que tem trabalhado exclusivamente para incentivar ações do partido do presidente José Eduardo Dutra (PT) e de Prefeituras que ele tem interesse eleitoral. Até mesmo os municípios administrados por membros dos partidos aliados, não têm merecido os bons olhos da Petrobrás. É verdade que nunca se viu tamanha presença da estatal dentro do Estado. Em alguns empreendimentos e na área cultural, mesmo que seja apenas para prestigiar aliados, isso é importante, porque no final todos participam. Mas a preferência por eventos petistas existe e está bem a olhos nus. Mas o caso da instalação de uma refinaria foge às tendências políticas. Ou o lado ideológico da questão. Aliás, ideologia não pega bem nesses tempos do novo Partido dos Trabalhadores. Entretanto, não seria preciso tanto espalhafato para uma audiência que vai discutir um assunto, como o da instalação de uma refinaria, que é de interesse do povo sergipano. Nessa reivindicação, todos os homens que têm influência junto ao Planalto devem se dar as mãos e segura-las firmes, como se cada uma delas fosse um pedacinho do Estado. É verdade que o governador João Alves Filho foi buscar os instrumentos necessários à instalação da refinaria, o que é uma obrigação dele, para viabilizar todo o processo. Mas Sergipe não é do PFL e nem a Petrobrás é do PT. O Estado é de todos e precisa ser cuidado sem essas diferenças. Porque, se o problema é quem trás a obra para o Sergipe, com o objetivo de colher frutos eleitorais, o PFL pode dizer que lutou pela refinaria e o PT se vangloriar pela instalação. Como não se trata de um caso político, mas de um trabalho conjunto em favor do Estado, esse lado eleitoreiro não deveria ser visto, porque é um objetivo que a sociedade deseja, indiferentemente da posição partidária. A refinaria não dará voto a ninguém… LEPTOSPIROSE Sargento Uchoa e mais dois soldados do Corpo de Bombeiros foram trazidos para Aracaju, ontem à tarde, de helicóptero, com leptospirose. Está se iniciando o que a Secretaria de Saúde temia: uma epidemia da doença. Se não for tratada imediatamente, pode provocar óbitos. COMBUSTÍVEL Recentemente houve um sério problema na Secretaria da Justiça, envolvendo uma pessoa do Darf, que estava cedendo autorização de fornecimento de gasolina a particulares. Um motorista vendia a autorização por preços mais atraentes do que os marcados pelas bombas. Foi um problema sério. DEMISSÃO Foi feita sindicância e comprovada a fraude. O secretário de Justiça, Manuel Cacho, tomou providências imediatas e puniu o servidor com demissão. A venda vinha sendo feita há algum tempo e deu grande prejuízo ao Estado, na distribuição de gasolina. HÁBITO O uso indiscriminado de produtos pagos pelo Estado existe de forma um tanto escancarado. Há muita gente abastecendo carros particulares com o tickets do Estado. Talvez isso seja reduzido com o sistema on line de compras, que vai mostrar também os excessos praticados. DEMISSÃO A demissão de Marcos Prado (PFL), da Educação, não chegou a ser surpresa e o nome de Gilmar Mendes era realmente o nome mais cotado. A decisão da demissão praticamente aconteceu quando o governador se encontrava na Europa e depois da reunião do secretariado. GILMAR Gilmar Mendes, empossado ontem na Educação, teria sido nomeado uma espécie de secretário geral do Governo, para coordenar as demais Secretarias. Não deu certo e Gilmar ficou trabalhando na Secretaria do Planejamento, inclusive na reforma administrativa do Estado. VIAGEM João Alves Filho decidiu viajar, com urgência, para a Espanha, porque soube, através da imprensa, que o presidente da Petrobrás está lhe concedendo uma audiência. Apesar de ser estranho, esse tipo de confirmação, o governador disse que não perderia a oportunidade, porque se trata de uma missão por Sergipe. A audiência será sexta-feira. DECISÃO João Alves Filho pretendia não viajar a Madrid, em razão da situação de precariedade em que se encontra o sertão sergipano. Mas foi aconselhado a fazê-lo por assessores, para não dá margem a comentários de que ele não quis conversar com o presidente da Petrobrás. CONTROLE A situação no interior está sob controle. O fornecimento da água já foi restabelecido em todas as cidades atingidas. Grupos do exército trabalham na recuperação de estradas e pontes, além de equipes médicas para atender às emergências. PARCERIA O prefeito Marcelo Déda visitou, sábado, as áreas atingidas pelas chuvas, ao lado de políticos do seu grupo. Domingo, entretanto, apesar da catástrofe que viu no sertão, Marcelo Déda e alguns aliados estavam participando, animadamente, do Bloco da Parceria, na praia de Atalaia. CHATEADO O prefeito de Porto da Folha, Júlio Santana, ficou chateado porque o seu colega de Aracaju, Marcelo Déda, e alguns políticos estiveram na cidade e não conversaram com ele. A comitiva de Déda visitou padre Antônio, em frente à Prefeitura, e ao seu lado foi aos povoados: “Déda não teve o gesto de elegância de fazer uma visita à Prefeitura”. FAZ SOL “Graças a Deus está fazendo sol”, foi a frase dita pelo prefeito de Porto da Folha, ontem à tarde. Sem chuvas, há condições de se tentar recuperar o que foi atingido. Sertanejo dá graças a Deus porque não está chovendo é coisa muito rara, talvez jamais ouvida no Nordeste brasileiro. No sertão, hoje, a água faz medo… TELEFONEMA O prefeito de Poço Redondo, Enoque Salvador (PL), recebeu telefonema do presidente da Petrobrás, dizendo que seria depositado, na conta da Prefeitura, o valor de R$ 150 mil. Já em Porto da Folha, o prefeito Júlio Santana diz que há um boato na cidade de que a Petrobrás doaria R$ 150 mil, mas até o momento ele não recebeu qualquer aviso. PADRE O deputado federal Jackson Barreto (PTB) revelou que também será enviado R$ 150 mil para Porto da Folha, mas será entregue ao pároco da cidade, padre Antônio. Disse que o dinheiro nas mãos de um padre estaria mais seguro, para atendimento às pessoas atingidas pelas enchentes. Notas ENOQUE O prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, estava enviando uma carta ao secretário de Erradicação da Pobreza, solicitando a importância de R$ 25 mil, para alimentar soldados do exército e dos bombeiros que estão nas cidades. A responsabilidade pela alimentação, teria ficado com as Prefeituras. Poço Redondo está sem delegado, sem juiz e sem promotor. O prefeito Enoque Salvador vai gastar o dinheiro do Fundef (R$ 200 mil) com os flagelados, mas gostaria de uma ordem judicial para isso. ALIMENTO O prefeito de Poço Redondo, frei Enoque, disse que pediu 6 mil cestas básicas e 3 mil colchões, mas o governador mandou apenas 500 cestas e 99 colchões. Já o sub-chefe da Casa Civil, Trevas, ainda não enviou absolutamente nada, dentro do que fora decidido pelo Governo Federal. Segundo o deputado federal Heleno Silva, o prefeito Enoque está reconhecendo o apoio que vem recebendo do Governo do Estado. Quanto aos R$ 150 mil da Petrobrás, Heleno diz que é bom, mas não pode demorar. TAXAÇÃO A Lei Complementar 050, de 18 de dezembro de 2001, da Prefeitura Municipal de Aracaju, em seu inciso 5º diz que “admitida constitucionalmente a contribuição de inativos para regimes próprios de previdência social, fica o poder Executivo obrigado a encaminhar em 60 dias, projeto de lei complementar, instituindo-a”. O deputado Francisco Gualberto, que era vereador na época disse: “quero justificar o voto, até para ajudar na discussão. Essa é uma das emendas que estamos subscrevendo e declarando o nosso voto favorável”. É fogo A cidade de Monte Alegre não foi atingida pelas enchentes. Lá não há desabrigado. Apenas o acesso à cidade foi interrompido. O governador João Alves Filho está em Madrid para assinar documento do projeto para instalação da refinaria de petróleo em Sergipe. Policiais montados a cavalo estava no meio da multidão que pulava no Bloco da Parceria, domingo passado. Uma intervenção da jornalista Sonia Mara foi que resolveu a situação. Os cavaleiros ficaram à margem da passagem do bloco. Festas na praia de Atalaia, do tipo Bloco da Parceria, provocam um tumulto muito grande na região, porque há pouco acesso. O deputado federal Heleno Silva está viajando hoje para o sertão, levando alimentos para o pessoal atingido pelas enchentes. Diante do estado de calamidade que se encontram cidades do alto sertão, festas como a da Parceria parecem um acinte aos graves problemas da população. Está havendo problemas em Lagarto, porque segmentos que apóiam os Reis não aceitam mais Zezé Rocha como candidato à reeleição. Por mais que insistam alguns amigos, o empresário Gilson Figueiredo não topa ser candidato a vereador. Gilson Figueiredo diz que quer tranqüilidade e continuar tocando suas empresas, superando crises e gerando empregos. O deputado Heleno Silva (PL) disse ontem que tem de se discutir o nome do candidato a vice na chapa de Marcelo Déda (PT). Heleno Silva acha que não pode haver qualquer tipo de imposição, mas discussões e se o melhor for um nome do PT, não se pode abrir mão, ou mesmo de Edvaldo Nogueira. A Petrobrás informou que alertou o Governo, desde 2001, sobre as dificuldades de atendimento às termelétricas do PPT na região Nordeste. Por Diógenes Brayner brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais