Aumento do Nível do Mar

0

Grande parte da camada de gelo da Antártida Ocidental pode se perder caso haja um aumento, mesmo que ligeiro, nas concentrações de gases do efeito estufa na atmosfera e as temperaturas dos oceanos continuem subindo.

 

Um outro estudo relacionado disse que, caso a capa de gelo da Antártida Ocidental acabe, e o gelo da Antártida Oriental continue derretendo em seu litoral, o nível global dos mares pode subir até 7m em relação aos níveis atuais.

 

A Antártida acumula cerca de 90% da água doce do mundo.

 

A camada de gelo flutuante não elevará o nível do mar caso derreta, porque já está deslocando água. A verdadeira ameaça ocorre quando a plataforma de gelo que está atrás, e abaixo do nível do mar, seja exposta ao oceano.

 

Cientistas da Universidade Estadual do Oregon (EUA) descobriram que, se as previsões sobre o derretimento da camada de gelo da Antártida ocidental se confirmarem, o aumento do nível do mar será maior que o esperado.

 

Segundo pesquisas do grupo liderado pelo geofísico Jerry Mitrovica, pela física Natalya Gómez e pelo geocientista Peter Clark, os oceanos podem subir 25% mais do que o esperado, o que causaria grande impacto em cidades litorâneas como Nova York e Washington.

 

A velocidade com que o nível do mar está subindo agora é quase o dobro daquela verificada no século 20. Já se sabia que o fenômeno – alimentado pelo aquecimento global – era grave, mas os dados mais recentes, coletados desde 1993, mostram que a elevação da linha d”água até 2100 será mais do que o dobro da prevista pelo painel do clima da ONU.

“Entre 1993 e 2008, a taxa média global registrada foi de 3,4 mm por ano”, disse a pesquisadora francesa Anny Cazenave, do Centro Nacional de Estudos Espaciais de Toulouse (França). Esse número, obtido por medições de satélite que geraram uma série histórica inédita, ganha um ar de gravidade quando comparado a outro: entre 1950 e 2000, a elevação média do mar era de 1,8 mm por ano, diz a cientista.

“Mas a maior surpresa não é essa”,

 

“As causas dessa aceleração do nível do mar também mudaram”, diz. Entre 2003 e 2008, o derretimento das geleiras e dos mantos de gelo (Groenlândia e Antártida) contribuiu com 80% da elevação. A expansão térmica – o aumento de volume da água pelo aquecimento contribuiu com cerca de 20%. -­

 

Na virada do século, porém, o cenário ainda era diferente entre 1993 e 2003, o aquecimento da água do mar explicava 50% do fenômeno, enquanto as massas de gelo respondiam por 40%. (Ainda não existem dados para explicar os 10% que fechariam a conta.)

 

Para os cientistas, não há dúvida: as atenções devem ser voltadas agora para regiões como o Ártico, a Antártida e as demais geleiras continentais. Entre essas áreas, o norte da Terra é o mais rico em gelo. (Ambientebrasil)

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários