BALANÇO DA ÁRVORE

0

Uma liderança oposicionista disse, ontem, que há uma movimentação silenciosa em torno da sucessão estadual. Tem muita gente trabalhando, mas as conversas são cautelosas para evitar algum racha que venha prejudicar a composição. Na sua opinião a árvore está balançando e quem tiver “de vez” pode cair. O deputado federal Jackson Barreto (PTB), por exemplo, tem uma chapa formada: Marcelo Déda (PT) para governador, Jerônimo Reis (PTB) para vice e o presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra (PT), para o Senado Federal. O parlamentar teria se irritado com informações de que estava propondo o nome do ex-prefeito de Lagarto, porque tinha receio de que ele fosse obstáculo para sua reeleição e deixou claro que não se manterá na Câmara Federal com os votos de Jerônimo. Reconhece que tem estrutura de votos para a reeleição. Diz que a indicação de Jerônimo para vice é porque “se trata de um correligionário e um bom nome para a chapa”.

 

Ao sugerir o nome de José Eduardo Dutra ao Senado, o deputado federal Jackson Barreto afasta o ex-governador Albano Franco (PSDB) do bloco. Cria também ressentimentos no deputado federal Heleno Silva (PL), que também já anunciou sua candidatura ao Senado e fortaleceu a intenção de manter o Partido Liberal onde tiver condições de assegurar um lugar entre os majoritários. Aliás, esse é o pensamento de outros aliados de Heleno Silva, que o vê com maiores chances de eleger-se para o Senado do que Eduardo Dutra, “que está na Petrobras e não fez nada por Sergipe”. Exagero ou não, o certo é que parlamentares liberais – e algumas de suas lideranças – acham que o partido não pode servir apenas de apoio para assegurar eleições majoritárias. Um deles concorda com a tese de que Dutra não trocará presidência da Petrobras por oito anos de mandato, a não ser que o presidente Lula peça o cargo para negociar com Estados eleitoralmente mais fortes, ou o próprio Dutra percebesse que a reeleição de Lula estaria correndo perigo. 

 

O ex-governador Albano Franco se aproximou muito das oposições e tem freqüentado esse campo que antes lhe parecia estranho. Está no PSDB, mas tem recebido constantes convites do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), para que ingresse em sua legenda. O deputado federal Sandro Mabel (PL) também o quer entre os liberais e tem conversado muito com o deputado federal Bosco Costa (PSDB), insistindo na transferência do grupo. Albano se mantém no ninho tucano, mas disse ontem ao senador Tasso Jereissati, com quem almoçou, que está analisando a permanência no PSDB, porque tem pensamentos que podem conflitar com a legenda em 2006. O ex-governador está muito bem entrosado com setores da oposição e há quem aposte no aproveitamento do seu nome para compor a chapa majoritária ao Senado, ao lado de Marcelo Déda. O que já não é do gosto de Jackson Barreto e nem de fortes segmentos do Partido dos Trabalhadores. Albano hoje mantém um bom relacionamento com o senador Valadares e não é novidade que o nome dos dois tem surgido para a formação de uma outra chapa para disputar o pleito em 2006. Evidente que há apenas especulação, mas já se ouviu de prefeitos e lideranças vinculadas aos dois, que parte do interior fecharia com eles.

 

O governador João Alves Filho (PFL), que é candidato à reeleição, está começando a se mexer para fortalecer o bloco que o elegeu. Hoje um pouco disperso, em razão de outras posições adotadas por integrantes dos partidos aliados. Mas o governador está na fase de reconquista e conversa com deputados, prefeitos e lideranças políticas da capital e interior, nesta abertura de temporada de reorganização política. A oposição vem se mantendo unida desde as eleições de 2002. Os sinais de insatisfação podem ser pressão para a conquista de lugar ao pódio, mas também pode se transformar em adversidade, porque todos pretendem manter o mandato ou chegar mais alto do que está. Ontem, em Brasília, ao tomar café com deputados da bancada do Nordeste, o governador abraçou um dos parlamentares da oposição e disse-lhe no ouvido: “precisamos estar juntos no próximo ano”. O abraço e o sorriso foram correspondidos.

 

Embora esteja no início das discussões e entendimentos, é certo que tudo passará pela queda ou não da verticalização…

 

 

VIOLÊNCIA

Uma promotora de Justiça foi assaltada, sábado, na esquina da rua de Campos com Itabaiana, a uma quadra da Secretaria de Segurança.

A promotora foi levada com o seu veículo para o povoado Mosqueiro, onde foi agredida pelos assaltantes. O seu carro foi levado.

 

MUDANÇA

O ex-prefeito de Pirambu, André Moura (PFL), já foi convidado, pelo governador João Alves Filho (PFL), para integrar o primeiro escalão do governo.

Falta apenas os dois sentarem para conversar e o governador anunciar a Secretaria, para análise de André Moura.

 

CONVERSA

O convite a André Moura foi divulgado pelo próprio governador, durante uma reunião com prefeitos da região Norte, que foram acompanhados do ex-prefeito de Pirambu.

João Alves deixou claro para os prefeitos: “vou oferecer uma Secretaria a André que acho difícil ele não aceitar”.

 

SUPLENTES

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) acompanhou, ontem, em Brasília, os suplentes que lutam pela volta do número anterior de vereadores.

Maria do Carmo esteve, ao lado dos suplentes, com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), que também se mostrou favorável à causa.

 

CANDIDATO

Jerônimo Reis (PTB) confirma que é candidato a deputado federal, mas se houver um convite para ser o vice do prefeito Marcelo Déda (PT), vai analisar a proposta.

Jerônimo deixa bem claro que não vai impor candidatura, porque esse não é seu estilo. O seu objetivo mesmo é a Câmara Federal.

 

AMAZONAS

O deputado federal João Fontes (PDT) está preocupado com o projeto do Governo Federal, que concede 40% da Amazônia para exploração internacional.

João considera isso mais um escândalo, porque se trata da privatização da Amazônia, que é um dos maiores patrimônios do país.

 

MARINA

João Fontes diz que todo o Governo Federal poderia estar nesse escândalo da privatização da Amazônia, menos a ministra Marina Silva (PT).

“Marina é ambientalista e sempre defendeu a Amazônia, se apoiar o projeto, joga na lata dói lixo toda a sua história”, disse Fontes.

 

HELENO

O deputado federal Heleno Silva (PL) diz que ainda não pode falar em mudanças nos rumos do seu partido.

Garante que o Partido Liberal só vai mudar de rumo se não tiver espaço majoritário no campo onde ele atua.

 

SENADO

O deputado Heleno Silva insiste que não abre mão de colocar o Partido Liberal em uma chapa majoritária.

Caso não seja ele o candidato a senador, pode ser um outro nome do Partido Liberal para vice-governador.

 

ALBANO

O ex-governador Albano Franco (PSDB) almoçou, ontem, em Brasília, com o senador Tasso Jereissati. Disse-lhe que está analisando tudo e pode sair ou ficar no partido.

Tasso acha que tem de se estudar uma forma de encontrar um entendimento dentro do ninho tucano.

 

BÊBADO

Um bêbado, conhecido em Riachuelo, ficou o tempo todo na fila de autoridades, bem próximo do governador João Alves Filho, durante a inauguração da agência do Banese.

Os seguranças tentaram tirá-lo ao estilo deles, mas o governador os conteve e o bêbado permaneceu lá. Na camisa surrada a inscrição: “Valadares – 40”.

 

DISCURSO

Durante o discurso de uma das autoridades, o bêbado cismou que também queria falar e chegou a pegar o microfone.

Também foi o governador quem conseguiu convencer o cidadão a não discursar. Ele acatou e saiu para “tomar mais algumas” no bar da esquina.

 

ENCONTRO

O e-mail é de um petista: “no encontro do PT, sábado, no centro de convenções, faltou quorum, mas não faltou disposição para criticar o prefeito Marcelo Déda”.

Continua: “a tendência Unidade na Luta tentou boicotar o encontro, não comparecendo. As outras, lideradas por Severino Bispo, Francisco Gualberto e Ana Lúcia, compareceram”.

 

REUNIÃO

O presidente do Banese, Jair Araújo, esteve ontem em Brasília reunido com os membros da Associação Brasileira de Bancos Estaduais (Asbace).

A entidade promoveu um encontro para tratar da Lei Antitruste e também das atribuições do Cade junto as instituições financeiras.

 

INTERESSES

A reunião da Asbace tratou ainda de assuntos ligados aos bancos estaduais e suas relações com ministérios e o BNDES.

Ficou acertado também que seria agendado um almoço entre os membros da entidade e o governador João Alves Filho para tratar de assuntos ligados a reforma tributária.

 

Nota

 

ENCONTRO

O governador João Alves Filho e seus colegas do Ceará, Piauí tomaram café da manhã, ontem, com deputados da bancada do Nordeste, discutiram pontos da Reforma Tributária que atingem a região. Concluíram que a proposta de unificação do ICMS precisa ser compensada para evitar perdas para a região.
A proposta é que 2% dos dois impostos principais do País, que são o Imposto de Renda e IPI, vão para o Fundo de Desenvolvimento Regional e a elevação do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para 1% desses impostos.

PROPOSTA
A proposta da reforma apresentada pelo Governo prevê 0,8% dos recursos do IR e do IPI para o Fundo de Desenvolvimento, que entraria em vigor em 1º de janeiro de 2007. Os deputados do Nordeste querem que a vigência seja imediatamente após a aprovação da Reforma ou pelo menos antecipada para 2006.

O relator da matéria, deputado Virgílio Guimarães (PT-MG), disse que a criação desse fundo sem a unificação do ICMS significaria “reforma nenhuma”.Ele está otimista com a possibilidade de votação da matéria neste ano.

TRANSPOSIÇÃO

presidente do Senado, Renan Calheiros, recebeu ontem deputados estaduais que vieram convidá-lo a participar de ato público contra o projeto de transposição das águas do Rio São Francisco, no dia 29, em Pirapora (MG). O senador ficou de estudar a agenda para verificar a possibilidade de aceitar o convite.

Renan se mostrou contrário ao projeto de transposição na forma como vem sendo apresentado e os deputados acham que sua presença fortalecia a campanha para barra o que chamaram de “crime ambiental”.

 

 

É fogo

 

O deputado federal Jackson Barreto (PDT) disse ontem que, para ser deputado federal, não depende dos votos de Jerônimo Reis, em Lagarto.

 

Jackson Barreto disse, ainda, que não é tirando Jerônimo do caminho que vai reeleger-se. Acha apenas que Jerônimo, como político, tem condições de ser vice.

 

O hotel da Ilha, fechado desde o ano passado, foi vendido ao Grupo Progel por 3 milhões de reais. O negócio já foi fechado.

 

O Grupo Progel já tem hotel em Santa Catarina e pretende dar outra dimensão ao Hotel da Ilha, que tem uma boa estrutura para o lazer.

 

O senador José Almeida Lima (PSDB) teria viajado a São Paulo para tratar sobre questões partidárias.

 

O ex-governador Albano Franco tem ido com mais freqüência a Brasília. Hoje ele está embarcando de lá para o Rio de Janeiro.

 

As lideranças do Movimento Sem Terra (MST) em Sergipe garantiram que serão feitas ocupações em diversos pontos do Estado.

 

O diretor estadual do MST, Roberto Araújo, alegando questões estratégicas, não informou quando e nem quantas serão as ocupações.

 

O deputado Antônio dos Santos (PSC) conseguiu aprovar, por unanimidade, uma emenda constitucional, que garante aos policiais militares o adicional de, no mínimo, 50%, quando o militar fizer extraordinário.

 

O deputado Mardoqueu Bodano (PL) não se conforma com o crescimento da violência em Sergipe, principalmente no interior.

 

A Câmara Federal vai votar, com prioridade, a questão da taxa telefônica. As operadoras estão cometendo abusos.

 

O total de pessoal ocupado na indústria do país aumentou 0,23% em fevereiro perante janeiro, em termos dessazonalizados.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais