Barrados no baile

0

Políticos fichas sujas não podem participar das eleições municipais deste ano. É que o Supremo Tribunal Federal (STF) declarou ontem a constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, tornando inelegível o suplicante condenado criminalmente por um órgão colegiado. Em outras palavras: acabou aquela moleza de o sujeito participar do pleito desde que tenha recorrido à instância superior contra sua condenação. Com a decisão do STF, os políticos fichas sujas, que já estavam com a mala preta pronta para comprar votos, terão que trocar a condição de candidatos por cabos eleitorais de alguém. Como bem disse dom Raymundo Damasceno, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a Lei da Ficha Limpa não resolve todo o problema da corrupção, porém facilita a melhor escolha de políticos, mais preparados e qualificados.

Tá certo

Do sergipano Carlos Britto, ministro do STF, sobre a Lei da Ficha Limpa: “Pode um político que já desfilou em toda a extensão do Código Penal ser candidato?”. Claro que não.

Novo prefeito

Desde ontem Aracaju tem um novo prefeito. É que o titular Edvaldo Nogueira (PC do B) transferiu o cargo ao vice Sílvio Santos (PT) por 10 dias, período em que o comunista estará de férias. “Fico feliz em ocupar um cargo público e ter a liberdade de atuar para que o meu trabalho seja um instrumento voltado para melhorar a vida do povo”, disse Sílvio Santos.

Abra o olho
Quem está pensando em beber umas e outras antes de pegar a estrada pode ir tirando o cavalinho da chuva. O teste do bafômetro será intensificado nas rodovias federais durante o carnaval. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, para os motoristas que se recusarem a fazer o teste do bafômetro, o policial assinará um termo de constatação de embriaguez, baseado nos sinais apresentados pelo pinguço. Radares também estarão posicionados em pontos estratégicos das principais rodovias.

Não abrem

Tem problemas para resolver nos bancos? Pois se apresse que as agências vão fechar às 16h de hoje e só reabrirão às 12h da próxima quarta-feira. As contas de consumo (água, luz, telefone e TV a cabo, por exemplo) e os carnês que vencem segunda e terça da semana que vem poderão ser pagos na quarta-feira sem a incidência de multa. Os tributos, normalmente, já estão com a data ajustada pelo calendário de feriados.

Mais polícia

Ampliar o efetivo policial durante o carnaval de Estância. Este é o teor dos ofícios que o deputado estadual Gilson Andrade (PTC) encaminhou ao secretário da Segurança Pública, João Eloy, e ao comandante da Polícia Militar, coronel Aelson Resende. Na sessão de ontem da Assembléia, o parlamentar convidou os sergipanos e turistas para os festejos momescos de Estância que, segundo ele, “são os mais animados de Sergipe. Pedimos o aumento do policiamento para que a festa também seja a mais tranqüila do Estado”, frisa Andrade.

Cisternas

O ex-secretário da Agricultura, Sérgio Reis, está sendo novamente processado pelo Ministério Público Federal por conta de irregularidades na aplicação de verbas federais. Ele é acusado de desviar verbas liberadas pelo Ministério do Desenvolvimento Social para a construção de cisternas em Sergipe. O convênio previa a construção de 1.5 mil reservatórias d’água. Entretanto, a Controladoria-Geral do Estado apontou que foi executado apenas 45% do pactuado.

Em família

E os primos Jackson Barreto (PMDB) e Almeida Lima (PPS) vivem trocando farpas. Ontem, o peemedebista postou no twitter que os recursos federais anunciados por Almeidinha para Sergipe estão como ‘Conceição’, aquela canção de Cauby: “Se subiu, ninguém sabe, ninguém viu.”. Jackson também quer saber onde estão os R$ 400 milhões que Almeida prometeu trazer para Sergipe quando esteve na Comissão do Orçamento do Senado. Nessa briga não há beijos, só tapas!

Caia na gandaia

O Brasil respira carnaval, festa que começa hoje e só deve terminar na próxima quarta-feira. A ordem é cair na gandaia e se esbaldar pra valer, porque ninguém é de ferro. Então, alô, alô pessoal do alô, cachaça não é água não, mas não se perca de mim, pois o índio quer apito e o arlequim está chorando pelo amor da colombina. Segundo o pierrô apaixonado, quando a estrela d’alva no céu desponta, as pastorinhas, pra consolo da lua, vão cantando na rua lindos versos de amor. Já é Carnaval, cidade!

Do baú político

As eleições de 1982 foram, talvez, as mais difíceis do PMDB sergipano devido à exagerada força política e econômica do PDS e aos casuísmos da legislação eleitoral.  Tendo apresentado Gilvan Rocha como candidato ao governo, o partido se virava como podia para enfrentar a máquina do Estado, quase a totalidade dos empresários, a Igreja Católica, todos os caciques políticos e a imprensa. Em seu blog ‘Educação é História’, o professor Jorge Carvalho revela que a vigência da Lei Falcão impedia Gilvan, “hábil comunicador, conforme fora visto em 1974, de usar a televisão”. Além disso, a ditadura instituiu o voto vinculado, enquanto a casuística legislação considerava nulos os votos do município onde o partido não tivesse diretório. Só este fato anulou um terço da votação do PMDB. Entrevistado por Jorge Carvalho, Benedito Figueiredo conta que, ao saber sobre a grande perda de votos, Gilvan Rocha perguntou a Guido Azevedo, secretário geral e responsável pela organização da legenda no interior: ‘Mas Guido, o que foi que houve?’. E este respondeu: ‘Eu me esqueci de fazer os diretórios’. Por conta de tudo isso, João Alves Filho (PDS) ganhou fácil a eleição com 256.255 votos (76,11%), contra os 77.799 (23,15%) obtidos por Gilvan Rocha.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais