Bengaladas no Dirceu

0

O escritor Yves Hublet, de 67 anos, passou a tarde pacientemente sentado no salão próximo à entrada do plenário da Câmara Federal. Quando viu o deputado José Dirceu, que acabara de conversar com jornalistas e saía para um novo encontro político, partiu para ele e, de bengala nas mãos, agrediu o parlamentar, que está atravessando um complicado processo de cassação, que pode acontecer hoje, às 19 horas. Preso, ele declarou aos policiais que estava visitando a Câmara e foi acometido por “um súbito de nervosismo” ao dar as bengaladas em Dirceu, mas que não tinha intenção de faze-lo. A bengala tinha uma ponte de ferro e foram dois golpes que o deputado teria amparado com o braço.

 

Hublet foi detido logo depois do episódio…

Quando conversava com os repórteres, o deputado federal José Dirceu afirmara que estava “tranqüilíssimo” para a votação de hoje, quando o plenário da Câmara vai examinar o relatório do Conselho de Ética que pede a sua cassação. Com as bengaladas, mudou o tom: “mais uma agressão contra mim. É inaceitável o que aconteceu. Nada me intimida. Não vou voltar atrás na minha luta”. Dirceu disse ainda que a atitude do agressor mostra, de certa forma, “o ambiente de hostilidade política que acabou se criando no país”. E alfinetou a oposição: “quando se fala em surrar o presidente da República, quando se diz que o presidente é um bandidão, cria-se um caldo de cultura de que o país não precisa”.

 

Recentemente, os senadores Arthur Virgílio (PSBD-AM) e Heloisa Helena (PSOL-AL), e o deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) ameaçaram agredir Lula.


O homem que agrediu o deputado José Dirceu é o escritor infanto-juvenil Yves Hublet, autor dos livros Planeta água, lançado anteontem na biblioteca pública do Paraná, em Curitiba; Mico-Leão e A Grande Guerra de Dona Baleia, uma trilogia ecológica. Yves foi filiado ao PDT e participou da campanha que elegeu a maior defensora de Dirceu, Ângela Guadagnin, prefeita de São José dos Campos, em 1993. O agressor deixou a delegacia da Câmara sem dar entrevistas mas aconselhou a leitura do livro Dom Quixote. O deputado José Dirceu ainda não decidiu se vai processá-lo por injúria real (injúria com agressão). A pena para esse crime varia de 3 meses a 1 ano. Não decidiu, mas não perdeu tempo: enviou ao escritor um documento entitulado “13 manipulações no processo contra José Dirceu”.

 

A oposição lamentou de forma discreta, mas o deputado federal João Fontes (PDT) foi a plenário e disse que a agressão deveria servir de lição para todos, “porque as bengaladas representam a indignação do povo nas ruas”. João disse que é absolutamente contra a violência e não pretende que isso seja um fato comum, mas admite que “ninguém pode avaliar as conseqüências, caso seja preservada a impunidade”. Segundo o parlamentar sergipano, o povo vê os parlamentares como a “Geni” e concluiu que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Nelson Jobim, está pondo a instituição “sob suspeição”. Antes da agressão a Dirceu, os senadores discutiram a obstrução do orçamento, até que o processo de cassação seja posto em votação no plenário, o que pode acontecer hoje, às 19 horas.

 

Até o momento ninguém fez qualquer pesquisa sobre essa agressão, mas certamente o escritor Yves Hublet ganharia a simpatia e inveja de uma grande parcela da sociedade, que se mantém indignada com todos os escândalos que foram denunciados e continuam aparecendo diariamente, praticados pela cúpula do podres poderes, sem que ninguém seja preso. Lógico que uma agressão não se justifica, mas certamente muita gente gostaria de estar no lugar do escritor, para demonstrar toda a revolta e indignação. Como João Fontes diz, o gesto representa a decepção pública, a ânsia por justiça e a vontade de ver pessoas envolvidas em atos de corrupção sendo julgado e punido de forma exemplar. O Congresso realmente deve analisar isso como um sinal de que a população está cansada e não deseja ver bandidos pousando de “homens de bem”.

 

 

RICARDO-1

O advogado Pedrinho Barreto confirmou que o empresário Ricardo Franco (PSDB) topa colocar o seu nome à disposição do partido, para ser o vice do governador João Alves Filho (PFL).

A participação de Ricardo na chapa, segundo Pedrinho, garantiria que a família se empenharia na reeleição, acreditando que o seu pai, Albano Franco (PSDB) seja eleito senador.

 

RICARDO-2

De Recife, onde se encontra, Ricardo Franco disse que é filiado do PSDB há dois anos e no restante, “Deus é quem sabe o futuro”.

Quanto a candidatura à vice, declarou: “vamos ver a possibilidade”. Argumentou que na verdade “não sou político”. E reconheceu que a decisão é do ex-governador Albano Franco.

 

CANDIDATO

O senador José Almeida Lima (PDT) disse ontem que a sua candidatura ao governo do estado está mantida e é para valer.

Acha que ainda não é momento para campanha eleitoral, mas de apresentar ao povo o trabalho que realiza dentro do mandato para o qual foi escolhido.

 

ADVERSÁRIO

Almeida Lima criticou a posição de Marcelo e João Alves, que já se escolheram como adversários, como se não existisse nenhum outro candidato.

“É como o Atlético de Cobrinha”, comparou.

O Atlético era um time de futebol dos anos 60, que tinha como dono o cidadão conhecido por Cobrinha: “ele é que escolhia os adversários para seu time”.

 

ALBERTO

O deputado federal Jorge Alberto (PMDB) está convencido que a candidatura do senador Almeida Lima (PMDB) a governador é uma realidade. O partido disputará a presidência.

Jorge acha que Almeida precisa viabilizar uma chapa proporcional, para dá condição aos candidatos a deputado concorrerem em condições de elegerem-se.

 

PONTE

O ex-deputado Nelson Araújo (PMDB) diz que a prioridade, em sua visão, não seria a ponte Aracaju/Barra, mas já que ela foi iniciada “nenhum sergipano deveria tentar boicota-la”.

Segundo Nelson a obra passou a ser de Sergipe e não pode ficar sem conclusão, porque há um grupo trabalhando contra em Brasília.

 

ZEZINHO

O presidente do Sebrae, Zezinho Guimarães (PSC), deixou bem claro que ajuda festas no interior, assim como faz a totalidade dos candidatos à Câmara Federal e Assembléia.

Considera que a sua campanha será feita com amigos e não se considera um homem que oferece circo ao povo: “fui quem mais ofereceu vagas para empregos no Estado”, diz.

 

SÃO FRANCISCO

A cidade de São Francisco teve prefeito, vice-prefeito e os nove vereadores cassados por decisão do juiz Evilásio Correia de Araújo Filho, da comarca de Cedro do São João.

Acatou Ação Cível Pública do Ministério Público contra o funcionamento de duas Câmaras Municipais que foram montadas arbitrariamente naquele município.

 

CASSAÇÃO

O prefeito Altamiro Nascimento e o vice Marcos Rocha da Silva tiveram seus mandatos cassados, ao lado dos vereadores das duas Câmaras ilegais.

Ao determinar a vacância o juiz decretou a convocação imediata dos suplentes para em 48 compor a Câmara e o novo presidente eleito marcar nova eleição dentro de 90 dias.

 

ALTAMIRO

Até às 19 horas de ontem, nem o prefeito, Altamiro Nascimento e nem os vereadores de Amparo do São Francisco, cassados pelo juiz Evilásio Correia, entraram com ação suspensiva no TRE.

O prefeito Altamiro Nascimento, que estava reunido com o juiz no momento que atendeu o celular, informou que viria a Aracaju para providências.

 

DIRCEU

O deputado federal Heleno Silva (PL) disse que votará pela cassação de José Dirceu, apesar de ter recebido telefonema dele há 30 dias.

Já o deputado Jackson Barreto (PTB) revela claramente que vota contra a cassação de Dirceu, mantendo a fidelidade ao seu bloco.

 

MOTINHA

A viúva do agiota Motinha, Elaine Mota, e a mãe dele, Sônia Faro da Mota, depuseram ontem na 5ª Vara Criminal e contaram o que aconteceu no dia do seu assassinato, no bar Parati.

Elaine disse que no dia, ao lado do marido, foi à casa da então juíza Célia Pinheiro.

Tinham o objetivo de ir à praia do Saco, mas desistiram e foram para o bar Amanda, na Atalaia, de lá foram para o Parati, por sugestão dela (Elaine), onde Motinha foi assassinado.

 

CHORO

Durante o depoimento as duas choraram muito e mostraram medo. A viúva disse que não tinha intenção de ver os culpados condenados, porque temiam por sua vida.

Elaine revelou que no dia anterior à morte, Motinha recebera dois telefonemas oriundos de um orelhão, mas quem estava no outro lado da linha não falava nada.

 

 

Notas

 

REFORMA

Deu no Informe JB: As lideranças do PT na Câmara insistem que ainda dá tempo para votação das reformas política e eleitoral. Entretanto, o tempo conspira contra esta tese e ninguém mais acredita que o assunto saia do papel. Até mesmo a proposta entregue pelo TSE no Congresso tem pequena chance de ser aprovada.

Por isso, alguns partidos sugerem que o tribunal mesmo regulamente novas normas de propaganda eleitoral no ano que vem. Ou seja, a Justiça terá de legislar outra vez como ocorreu na redução do número de vereadores.

 

JACKSON

O deputado Jackson Barreto (PTB) criticou duramente ontem a postura dos grandes partidos que tentam fazer da verticalização uma camisa de força para as direções locais. Lembrou que a verticalização é antidemocrática e fortalece as cúpulas dos partidos, em detrimento das
direções regionais e das realidades locais.
Jackson chegou a criticar o PT, por ser uma das legendas que trabalham para manter a verticalização. Alertou para o perigo de mecanismos que favoreçam as cúpulas, lembrando os atuais episódios de corrupção no país.

 

NOVA DATA

Um erro da secretaria da Mesa da Câmara impediu que a queda da verticalização fosse votada ontem. Outras matérias foram postas para votação e os deputados, que encheu o plenário para tentar derruba a verticalização, terminaram cobrando a colocação da matéria. Isso irritou Aldo Rabelo, que encerrou a sessão.

Depois de conversar com alguns parlamentares Aldo reconheceu que houve equívoco e vai voltar a conversas com as lideranças hoje, para tentar colocar a matéria em votação amanhã. PT e PSDB quem manter a verticalização.

 

 

É fogo

 

O vereador Iran Barbosa (PT) lamenta que a Escola Estadual Nilson Socorro, em Nossa Senhora do Socorro, teve que paralisar as atividades por causa da violência.

 

A comunidade que utiliza a Escola Estadual está organizando um movimento contra a violência, que tem paralisado as aulas.

 

Muita gente está querendo estadualizar as eleições de Capela, mas o prefeito eleito Sukita teve apoio de lideranças dos dois lados.

 

A abertura do empresário Ricardo Franco para colocar seu nome como opção para disputa política surpreende muita gente.

 

O prefeito de São Domingos, Hélio Mecenas, está sendo denunciado por não conceder reajuste salarial ao magistério desde 2003.

 

O deputado estadual Ulices Andrade (PSDB) diz que o seu partido tem nomes para disputar o Governo do Estado e Senado Federal.

 

Será amanhã a entrega do maior prêmio do comercio sergipano: Troféu Lojista do Ano, anualmente organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

 

A primeira noite do projeto Assaim de Música em Pirambu atraiu muitos participantes. A festa teve início com a apresentação de grupos folclóricos.

 

O segmento de calçados esportivos foi o campeão da inadimplência no mês de outubro, segundo levantamento elaborado pela Telecheque.

 

Os shoppings centers devem faturar neste Natal R$ 53,4 bilhões, segundo estimativa da Alshop. Esse montante representa um incremento de até 7% frente ao Natal passado.

 

Um em cada quatro brasileiros vivem na miséria e sobrevivem com uma renda equivalente a cerca de R$ 115 por mês, segundo estudo da Fundação Getúlio Vargas.

 

O sertão está sofrendo com a longa estiagem e os prefeitos dos municípios já estão pensando em decretar estado de emergência.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais