Caça a prefeitos

0

Em menos de uma semana, três prefeitos sergipanos tiveram seus mandatos cassados pela Justiça: a de Ribeirópolis, Ivanira do Nascimento (PSB), também conhecida por Uita, o de Porto da Folha, Manoel Gomes de Freitas (PT), o “Manoel de Rosinha”, e o de Itabaiana, Luciano Bispo (PMDB). Os três são acusados, respectivamente, de fazer contratações irregulares, não repassar aos bancos dinheiro de empréstimos compulsórios dos servidores, e efetuar compras irregulares com recursos federais. Todos ainda podem recorrer contra as punições, porém, mesmo sendo vitoriosos, sairão desta arranhados politicamente. Como as eleições municipais ocorrerão no próximo ano, os adversários de Uita, Rosinha e Luciano vão aproveitar as punições aplicadas a eles para desgastá-los junto ao eleitorado, sem contar que os três gastarão tempo e dinheiro para tentar reaver seus mandatos e recuperar os direitos políticos.

Boa proposta

A Associação dos Oficiais da Polícia Militar propôs ao governador Marcelo Déda (PT) que os quadros da PM assumam todas as operações policiais durante a greve branca dos delegados. A situação é mais complicada em 21 municípios, onde os ‘grevistas’ deixaram de comparecer sob o argumento que não podem continuar comandando duas delegacias ao mesmo tempo. No e-mail encaminhado ao governador, a Associação dos Oficiais propõe a criação de uma força ostensiva de plantões que supere as necessidades da população.

Unidos pela Lei

Os casais homossexuais podem ser incluídos no regime jurídico de união estável e se beneficiar de todas as conseqüências deste fato. Foi o que decidiu ontem por unanimidade o Supremo Tribunal Federal (STF). Os efeitos da decisão, no entanto, não são totalmente conhecidos. Ainda não ficou claro, por exemplo, se os casais homossexuais poderão se casar. O ministro Carlos Ayres Britto, relator da ação, disse que partir de agora “todos os direitos dos heterossexuais valem para os homossexuais. A equiparação é completa”. Legal!

Demora criticada

O governador Marcelo Déda (PT) criticou ontem em Brasília a demora na definição de um novo nome para comandar o Banco do Nordeste. Para ele, é importante para a região que a equipe econômica tome uma decisão rápida sobre o assunto. “É de extrema importância que a situação das agências do governo federal na Região Nordeste seja o mais rapidamente definida, ou confirmando os executivos que lá se encontram ou substituindo-os”, disse o petista.

Boca de siri

Como não ofende perguntar, a coluna quer saber a quantas anda a Operação João de Barros, desencadeada pela Polícia e que resultou na prisão de três contadores. Segundo o Departamento Especializado em Crimes contra Ordem Tributária e Administração Pública, os presos montaram um esquema fraudulento de fornecimento de notas fiscais falsas para diversas construtoras de Sergipe, resultando numa sonegação de ICMS superior a R$ 100 milhões. Apesar da gravidade do caso, ninguém mais fala sobre a tal operação policial. Por que será?

Fazendo intriga

O experiente deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) não perde uma chance de fustigar o governo. Ontem ele aproveitou a escolha da vereadora Miriam Ribeiro (PSDB) como relatora do projeto de reforma do Plano Diretor de Aracaju para espalhar mais uma intriga. Segundo Fonseca, a escolha da tucana teve a aprovação do prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), que preteriu a vereadora Rosângela Santana (PT). “Está claro que não existe aquela unidade toda entre os grupos do prefeito e do governador. Edvaldo está dando o pontapé inicial em sua carreira solo”, afirmou Venâncio. Será?

Medo da morte

Tem gente por aí apostando uma mariola como a Prefeitura de Aracaju não construirá novos cemitérios nos próximos anos. Há quem jure que os prefeitos nordestinos cruzam os dedos quando alguém toca neste tema macabro, pois temem morrer e inaugurar o campo santo feito por eles. Esse medo vem desde a novela “O Bem Amado”, onde o prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu, construiu um cemitério – sua única obra –, e terminou sendo o primeiro a levar sete palmos de terra na fuças. O campo santo público mais novo da capital é o São João Batista, construído pelo ex-prefeito José Conrado de Araújo (1959-1963).

Mãos ao alto

Começa hoje a Campanha Nacional do Desarmamento. Aqueles que entregarem armas receberão um recibo para retirar a indenização, que varia de R$ 100 a R$ 300, dependendo do tipo de arma, que poderá ser sacado em qualquer agência do Banco do Brasil após 24 horas. A novidade representa um avanço em relação à campanha de 2004, quando havia uma espera de até três meses para o reembolso, e ainda se exigia o CPF do doador. E então, vai entregar a velha garrucha?

Visita ministerial

E quem estará em Aracaju na próxima segunda-feira é a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário. Logo após desembarcar, ela participa de uma reunião de trabalho com o governador Marcelo Déda (PT) e o secretário estadual dos Direitos Humanos, Iran Barbosa. Depois visita a exposição ‘Direitos Humanos – Imagens do Brasil’, montada na Sociedade Semear. A coletiva à imprensa está prevista para as 16h15.

Do baú político

Quando era deputado estadual, o prefeito de Lagarto, Valmir da Madeireira, promoveu na Assembléia uma sessão especial para discutir a cultura da mandioca em Sergipe. Vários palestrantes apresentaram gráficos técnicos para mostrar a importância da raiz para a economia familiar. Indagado por um deputado sobre os motivos que levam o nordestino a consumir tanta farinha de mandioca, o engenheiro e pesquisador da Embrapa, Joselito da Silva Mota, respondeu assim: “Ao meu ver, a razão para o elevado consumo é porque a farinha no prato aumenta o que está pouco, esfria o que está quente, engrossa o que está ralo e na pança é o que dá sustança”. Alguém discorda?

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais