Cadê o reajuste?

0

O servidor estadual chega ao sétimo mês de 2013 recebendo a mesma ninharia do ano passado e sem muitas esperanças de conseguir um bom e merecido reajuste nos próximos meses. A onda de greves e protestos realizada por eles no primeiro semestre sensibilizou o governador Jackson Barreto (PMDB). O peemedebista conseguiu o fim das paralisações com a garantia de conceder o aumento da categoria, porém até agora tudo não passou da promessa. O governo alega falta de recursos, mas insiste em manter apadrinhados em milhares de cargos comissionados e não sinaliza com a redução das quase 40 secretarias, inchadas com cargos de adjuntos e subsecretários. Isso sem falar nas dezenas de conselhos administrativos e consultivos que, em sua maioria, servem apenas para aumentar a renda dos afilhados do poder. Como se vê, se o Estado não fosse tão gordo, o salário do servidor não seria tão magro.

Passa bem

Submetido sábado passado a uma cirurgia para retirada do baço, o governador licenciado Marcelo Déda (PT) tem reagido a contento. Pelo twitter, a primeira dama Eliane Aquino informou ontem que “está tudo bem e a recuperação ocorre dentro do previsto”. Internado há mais de um mês no Hospital Sírio Libanês, Déda luta contra um câncer no estômago.

Menos enxofre

A partir desta segunda-feira, a comercialização do óleo diesel S-500, com menor teor de enxofre, será obrigatória em boa parte do Brasil. O combustível é utilizado pela frota de caminhões, ônibus e outros veículos de uso rodoviário. Sergipe e outros seis estados passam a comercializar exclusivamente o diesel S-500 em substituição S-1800.

Chiadeira

Com apenas seis meses na administração de Aracaju, o prefeito João Alves Filho (DEM) já recebe cobranças até dos aliados. Há dias, o deputado estadual demista Augusto Bezerra se queixa da falta de espaço no governo municipal. Outro que reclama é o deputado capitão Samuel (PSL). Ele postou no twitter uma série de cobranças a João e cita várias promessas de campanha não cumpridas pelo prefeito. Misericórdia!

Fala grosso

E o prefeito João Alves Filho mostrou-se indignado com a paralisação dos ônibus, ocorrida na semana passada. “Esta foi a última vez que a empresa VCA provocou o caos no sistema de transporte coletivo. Garanto que isso não voltará a ocorrer”, disse. João vai se reunir nesta segunda-feira com secretários para estudar punições à concessionária, que há meses não paga os tíquetes refeições, férias e horas extras dos motoristas e cobradores.

Sem promoção

A Polícia Militar está impedida de promover oficiais ao posto de coronel. A proibição é do juiz de Direito Anselmo de Oliveira. Ele concedeu liminar em favor de um tenente coronel que alega está sendo preterido das próximas promoções a serem feitas pela PM. O reclamante alega que embora sem nome esteja contemplado no quadro de acesso, não aparece na relação das novas promoções de coronéis.

Mais caros

Quem comprar móveis, fogão, tanquinho e geladeira, pagará mais IPI a partir de hoje. Também será elevado o imposto para laminados, luminárias, painéis de madeira e papéis de parede. O imposto sobe de 2% para 3% no caso dos fogões, de 7,5% para 8,5% para geladeiras, de 3,5% para 4,5% para tanquinhos. Para móveis, painéis de madeira e laminados, a alíquota passa de 2,5% para 3%. Para as luminárias, o imposto aumenta de 7,5% para 10%. O IPI para papéis de parede subirá de 10% para 15%.

Alguém sabe?

Quando será que Sergipe vai criar a Comissão Estadual da Verdade? Há cerca de dois meses, o governador licenciado Marcelo Déda (PT) prometeu instituir a comissão, porém de lá pra cá ninguém no governo fala mais no assunto. Será que estão com medo de alguém coisa? O que será?

Má notícia

Decisão do Tribunal Superior Eleitoral pode impedir a realização de um plebiscito para decidir se a zona de expansão pertence a Aracaju ou São Cristóvão. Ao julgar processo de Castanheiras, em Rondônia, os ministros concordaram que a Justiça Eleitoral não deve fazer plebiscitos para criar, incorporar ou desmembrar municípios enquanto não for editada pelo Congresso a Lei Complementar que cuida do assunto.

Do baú político

Fundador da Faculdade de Direito e advogado trabalhista muito respeitado em Sergipe, João de Araújo Monteiro, o inesquecível doutor Monteirinho, era pessoa afável, amigo de todos em Aracaju. Certo dia, ele foi contratado para defender as Organizações Antônio Menezes, num processo movido por um garçom. Para espanto de todos na audiência, o queixoso apresentou justamente Monteirinho como sua única testemunha. Diante da surpresa do juiz, o garçom explicou: “Melhor do que ninguém, doutor Monteirinho conhece meus direitos, pois chega no cabaré quando a casa abre e só sai quando fecha”. Só então o magistrado ficou sabendo que as Organizações Antônio Menezes eram o famoso cabaré Miramar, um dos mais frequentados da capital. Sem levantar a voz, o advogado e boêmio retirou da boca a piteira, com o cigarro Continental sem filtro já pela metade, e encerrou a questão: “Não há porque continuar discutindo. Vamos acertar o que o amigo Antônio Carlos tem direito e ponto final”. E o garçom foi devidamente indenizado pelas Organizações Antônio Menezes.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários