Café Pequeno

0

A FORÇA DA GRANA…

 

Lá pelos idos de 1982, quando o processo desenfreado de demolições atingiu em cheio os antigos casarões da Av. Paulista, uma frase, pintada num deles, evocava uma das grandes contradições do capitalismo:

“- A força da grana que ergue e destrói coisas belas”.

 

Pinçada com precisão da obra poética de Caetano Veloso essa frase traduz cenas inexplicáveis que assistimos até hoje nas cidades brasileiras, onde, no processo de reconstrução urbana nada é poupado.

 

Em Aracaju não poderia ser diferente e vimos “tombar”, no centro, diversas relíquias arquitetônicas para dar lugar a áreas de estacionamento ou, quando não, a obras sem a menor expressão arquitetônica.

 

Foram várias as demolições, sendo a mais célebre delas em 1989, a do casarão do Dr. Augusto Leite na esquina da Av. Barão de Maruim com a Rua Itabaianinha. Houveram diversas manifestações de pesar e, apesar da resistência popular que montou guarda em frente, o palacete foi demolido.

 

Uma lástima, pois em poucos anos os novos, e politicamente corretos, conceitos de responsabilidade social resultaram em diversas refuncionalizações daqueles monumentos para novos usos como fundações e casas de cultura. Por um átimo nossa história poderia ter sido outra!                                                                            

 

Agora assistimos a uma nova onda de demolições, desta vez de obras de passado recente, mas nem por isso menos importantes que as outras. Novamente a força avassaladora da grana e seu forçado processo de renovação, mesmo num município com tantos vazios urbanos como Aracaju.

 

Desta vez fico ainda mais triste pois, se aos primeiros restava a pecha de históricos, o que desperta um certo interesse pela sua preservação a estes novos exemplares nada se reserva, a não ser uma vaga lembrança.

 

Vemos “tombar”, agora, as mais belas casas da recente produção de arquitetura contemporânea em Aracaju jóias raras de uma cidade em extinção.

 

Itabaianinha-Redescobrindo Sergipe-Foto Ana Libório

 

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários