Café Pequeno-Arê Baba!

0

Jamais vou esquecer a primeira vez que vi TV na vida.

 

Morava em Lagarto e certa noite fui na praça espiar, através da janela da casa azulejada de Dr.João, a grande novidade.

 

E qual Aureliano Buendia,  diante do gelo, ainda lembro como se fosse hoje, quando vi Guto e Moacyr Franco, pela primeira vez, se esgueirando pelo chão em busca de um barquinho de papel.

 

A imagem era precária e o som um chiado só.

 

Logo depois no Rio pude, enfim, desfrutar o revolucionário invento e, como verdadeira macaca de auditório, não perdia Tardes de Domingo o lendário programa da Jovem Guarda, o Chacrinha e especialmente as novelas que, temáticas, nos levavam à Espanha, Veneza…

 

Eram romances apaixonantes como Sangue e AreiaO Homem que Deve Morrer, dramalhões escritos pela, exilada cubana, Glória Magadan.

 

O reinado de Glória foi longo e durou até surgirem modernidades como Beto Rockfeller, que revolucionou o gênero e abriu caminho para novelas mais moderninhas.

 

Muitos anos depois sou abduzida e me vejo de volta ao Caminho para as Índias, desta vez por uma outra Glória, a Perez, perita em misturar modernidade e tradição, e até clonagem, que nos arrasta novamente ao dramalhão.

 

Adoro e confesso que estava com saudades.

 

Acho que num tempo louco e sem parâmetros como o que vivemos hoje, sentimos falta de referências e, admito, de um pouco de tradição.

 

A verdade é que estou simplesmente obcecada pela filosofia hindu, dalits à parte,óbvio!

Especialmente  pelo respeito à hierarquia e à sabedoria dos mais vividos…

 

E um “dizer” me causou especial impressão.

 

Segundo eles os ocidentais casam com a chaleira fervendo e com o tempo a água vai esfriando.Enquanto lá, eles casam com a chaleira fria e vai, a água e o casamento, esquentando com o passar do tempo.

 

Sendo  assim dá até para encarar um casamento arranjado, principalmente se o noivo for o Raj! 

 

 

Mercado Municipal de Aracaju-Foto Ana Libório

 

 

   

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais