Campanha contra a pobreza

0

Antes de entrar propriamente no tema, eu gostaria de citar algumas mensagens para reflexão:

 

– Jesus nos ensinou: “Para acabar com a fome não dê o peixe, ensine a pescar”.       

 

– Sócrates, na Grécia antiga, ensinava: “Para vencer a miséria é necessário      iniciativa e trabalho. Ensinava, também, que o paternalismo não criava a igualdade e o respeito entre os homens”.

 

– Abraham Lincoln, por sua vez, dizia: “Não poderás ajudar os homens de maneira permanente se fizeres por eles aquilo que podem e devem fazer por si próprios”.

 

A pobreza não é causa e sim conseqüência: conseqüência da precária educação do povo; da falta de uma política agrária, que estimule a permanência do homem no campo; da falta de uma política urbana, que evite as condições subumanas existentes nas favelas das grandes cidades brasileiras.

 

Portanto, se quisermos erradicar a pobreza nós, a sociedade, teremos que participar ativamente para que se tomem as medidas necessárias ao combate às causas que trazem a fome à grande parte de nossos irmãos brasileiros.

 

No que se refere à educação, teremos que lutar com todas as forças para que sejam levadas às famílias mais carentes conhecimentos e recursos para o controle da natalidade. Àqueles que são contra, pergunto: o que é crime? Dar a essas famílias os recursos necessários para que tenham somente os filhos que possam criar, ou deixar que essas crianças nasçam e em seguida sejam mortas pela fome e pela doença?

 

No caso de uma política agrária, que estimule ao homem permanecer no campo, teremos que fazer chegar aos deputados federais e ao(s) senador(es) de nossos Estados nossa pressão para que os mesmos lutem para rever a institucionalidade fundiária, que tem sido crucial para o destino do Brasil. Neste caso, o ex-senador Darcy Ribeiro defendia uma tese que, se incluída na Constituição, possibilitaria a devolução ao Brasil das terras que foram apropriadas e não utilizadas, para que elas tenham, finalmente, cumprir o seu fim social, que é o de garantir trabalho e fartura à população brasileira.

                       

A curto prazo, enquanto estas medidas não surtirem, no seu todo, os efeitos desejados, o que deveria ser feito, a exemplo de programas sociais similares existentes em outros países, é, por hipótese, adotar no Brasil um Programa de Renda Mínima, pois é através da distribuição de renda que se encontra a forma mais eficiente de proporcionar alívio aos que se encontram em estado de miséria.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais