Campanha e Pré-Caju

0

Quem quiser pode anotar: o Pré-Caju deste ano, com certeza, será muito animado no percurso delimitado pelos seus promotores, inclusive pelo retorno à avenida Beira Mar, de onde jamais deveria ter saído. Continuará sendo o evento que marca Aracaju no aspecto turístico e econômico, apesar de se tratar de uma prévia carnavalesca. Terá, entretanto, uma movimentação diferente nos camarotes que formam o chamado corredor da folia. À frente deles estará uma boa parte de políticos, sempre distribuindo alguma coisa para chamar atenção. É pelo burburinho dos camarotes que se dá para fazer uma avaliação das composições, das tendências, das chances e até condições dos candidatos. O Pré-Caju é um dos melhores lugares para candidato colocar a cara de fora e fazer um “auê” para a turma que está na folia, a maioria deles indiferente a quem se sacode no camarote.

 

É também no Pré-Caju que os políticos se encontram e, geralmente, nos corredores que dão acesso aos camarotes, extrapolam nas conversas de pé-de-ouvido, animadas por doses de uísque ou cervejinha. Acontece muita coisa durante a prévia carnavalesca, que passa desapercebido pela multidão ouriçada pelo som dos trios que arrastam a massa. Alguns políticos comparecem ao evento todos os anos: uns se postam nos camarotes, como é o caso do governador João Alves Filho, do ex-governador Albano Franco, do senador José Almeida Lima muitos outros. Tem aqueles que se contagiam pelos blocos, como Marcelo Déda, Jackson Barreto, Antônio Carlos Valadares, José Eduardo Dutra e Edvaldo Nogueira. Apesar da diferença entre os que assistem, dos que participam, no final é sempre servido um bom cardápio político para medir até mesmo os acenos e gritos da multidão.

 

Depois do Pré-Caju há uma pausa nos contatos políticos mais intensos. As conversas são levadas aos bastidores e vão se formando as alianças para anúncio definitivo entre maio e junho. Nesses quatro meses – março, abril, maio e junho – muita coisa acontece, inclusive composições inacreditáveis, mas que se tornam realidade pela necessidade de eleger o maior número possível de representantes e formar um grupo forte para comandar as decisões no estado. Evidentemente que há muito que conversar, porque sequer há uma decisão sobre verticalização e não estão absolutamente definidas as regras do pleito. Ninguém tenha dúvida que será uma campanha cheia de surpresas e traições, porque demonstra uma disputa acirrada, onde as previsões só poderão ser feitas às vésperas da eleição.

 

Uma coisa pelo menos já se pode prever: haverá segundo turno…

 

Dentro da lógica do momento – e até pela movimentação dos dois – o prefeito Marcelo Déda (PT) e o governador João Alves Filho (PFL) vão polarizar as eleições. Mas não dá para menosprezar nenhuma outra candidatura, como a do senador José Almeida Lima (PMDB), do vereador Elber Filho (PDT) e até de Ricardo Franco (PSDB), ainda indefinida, mas posta à mesa. Este pode ser um ano de transformação, mudança e surpresa com o eleitorado, que passou a tomar consciência da necessidade de votar certo tanto nos majoritários quanto nos proporcionais. Os escândalos, a corrupção, as grandes decepções, a amargura com os problemas e a esperança frustrada podem fazer com que o cidadão que tomava decisões eleitorais pelo ímpeto, por amizade, por favor, ou pela venda da consciência, adotem uma postura de mudança em benefício de sua cidade, do estado, do país, onde ele mesmo tenha uma concepção que votando mal está fortalecendo tudo o que já viu de pior na política brasileira. O mau político e fruto do mau eleitor.

 

Até junho, quando as convenções definem os candidatos, há muito que acontecer e de julho a setembro quem vai depositar o voto na urna tem que avaliar quem mais trabalha, quem tem mais história, o mais honesto e principalmente quem satisfez as necessidades de um estado ou de uma cidade que precisam redefinir os seus rumos.

 

 

TUCANOS

O deputado estadual Fabiano Oliveira (PSDB) disse ontem que o seu partido vai escutar as bases em relação à candidatura majoritária.

Os tucanos não querem que as coisas venham de cima para baixo e vai preferir ouvir os prefeitos, vereadores e lideranças da capital e interior.

 

ESTRUTURA

Ao tucanos também querem saber, a nível nacional, a estrutura que terão em Sergipe, para apresentar candidatura majoritária e liderar uma aliança.

O pessoal lembra que terá de fazer palanque para o candidato a presidente da República, e será necessária uma estrutura forte.

 

DISCUSSÃO

Durante o encontro que tiveram na segunda-feira passada, os membros do PSDB não fizeram qualquer alusão a possíveis alianças com PFL ou PT.

Foi tratado apenas do lançamento de candidatura própria. O pessoal já sentiu que o partido tem ampla chance de retornar ao governo do estado.

 

RETORNO

O governador João Alves Filho retorna a Aracaju na próxima segunda-feira, depois de alguns dias de férias no litoral pernambucano.

O governador reiniciará os contatos políticos e pode procurar ampliar composição para fortalecimento da chapa majoritária.

 

CAMPANHA

João Alves Filho vira com novo fôlego para levar o governo e pode fazer mudanças no secretariado já na primeira semana de fevereiro.

Quanto a coligações, também antes do carnaval será definida a política de alianças e pode iniciar conversas inclusive com o PSDB.

 

ANDRÉ

O ex-prefeito de Pirambú, André Moura (PSC), estranhou nota divulgada ontem no “Faxaju”, de que poderia apoiar a candidatura de Marcelo Déda (PT).

André diz que tem compromissos com João Alves Filho, integra o seu governo e apoia sua reeleição. O seu projeto político está vinculado ao governador.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) considera difícil que colegas seus deixem de receber o pagamento referente à convocação. 

“Podem até doar, mas para deixar de receber têm que comunicar ao setor financeiro da Câmara para retirar seus nomes da folha”, explicou.

 

ITABAIANA

A prefeita de Itabaiana, Maria Mendonça (PSDB), vota em Déda (PT) para governador, em Eduardo Amorim (PSC) – se for candidato – para federal e em José Teles para estadual.

Dificilmente votará em outro nome para governador, mesmo que o seu partido lance candidato. Entretanto está garantido o voto em Albano para o Senado.

 

INTERIOR

Um prefeito de interior descobriu que o seu colega de Aracaju, Marcelo Déda (PT), “não é de botar a cara nos municípios”.

Na opinião dele, “Marcelo Déda quer ganhar as eleições na televisão”, e sugeriu que ele fosse às ruas para conversar com o povo do interior.

 

DETALHE

Outro detalhe observado pela fonte, que pediu para não aparecer como fonte: “tem município onde o PT administra que João Alves Filho ganha”.

Considerou que João Alves melhorou muito sua posição no interior – “principalmente no sertão” – e aconselhou o prefeito Marcelo Déda a reagir.

 

DUTRA

Essa mesma fonte do PT tem observado que está existindo alguma coisa entre Marcelo Déda e o ex-presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra.

Disse que não tinha dados para anunciar as razões, mas revelou o que ouviu falar: “Dutra quer disputar a Câmara Federal e o prefeito está sugerindo o Senado”.

 

SER VICE

Um político desaconselhou a uma pessoa ligada a ele a se insinuar como candidato a vice-governador de João Alves Filho.

Numa reunião com amigos, disse a razão: “é difícil João ganhar essa eleição para Déda”. Acha que o seu afilhado deve disputar um mandato proporcional.

 

ALCOOL

Em Sergipe, os donos de carros bicombustíveis perdem se preferirem o álcool na hora de abastecer os seus veículos.

Uma pesquisa baseada em dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo) mostra que encher o tanque com gasolina já é mais vantajoso em 15 estados, entre eles Sergipe.

 

Notas

 

SAQUES

Com o intuito de combater a prática do caixa dois nas eleições de 2006, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quer baixar uma norma proibindo saques em dinheiro das contas bancárias de candidatos e partidos político. Geralmente, esses saques são usados para arcar com gastos de campanha eleitoral.
Segundo o presidente do TSE, Carlos Velloso, a movimentação financeira dos comitês de campanha deverá ser restrita à emissão de cheques nominais ou transferências eletrônicas para contas de fornecedores de serviços.

 

PUNIÇÃO

O site Congresso em Foco anuncia que os deputados federais poderão votar, já no retorno aos trabalhos, uma proposta que proíbe os adultos de darem palmadas, tapinhas ou chineladas nos filhos, em qualquer situação. Nem mesmo sob o argumento de que é para educar, os pais podem bater nos filhos.

Incluído na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) o Projeto de Lei da deputada Maria do Rosário (PT-RS), parte do pressuposto de que a agressão física, por mais leve que seja, deseduca e, por isso, deve ser proibida.

 

SALÁRIOS

PEC do deputado Almir Moura (PFL-RJ) acaba com o CPMF sobre a movimentação de contas bancárias destinadas ao recebimento de salários de trabalhadores públicos e da iniciativa privada, soldos, proventos de aposentadoria ou de inatividade e demais benefícios pagos pela Previdência Social.
A CPMF não incide sobre os rendimentos do trabalho, mas resulta em redução salarial. Os trabalhadores geralmente são obrigados a receber salários em conta bancária, ficando sujeitos à cobrança da contribuição
.


É fogo

 

Plenário errou, ontem, quando trocou o nome do PSDB pelo PMDB, ao noticiar a reunião dos tucanos.

 

A convocação extraordinária em Sergipe não saiu em razão da má repercussão com o que aconteceu no Congresso Nacional.

 

Abalos sísmicos em Sergipe acontecem com raridade, mas há alguns anos atrás a cidade de Capela foi sacudida por um deles.

 

José Everaldo está animado com o apoio que vem recebendo para disputar uma vaga na Assembléia Legislativa.

 

O senador José Almeida Lima (PMDB) está em silêncio e acha que fatos novos vão abalar a política nacional.

 

O PMDB está discutindo muito, a nível nacional, a candidatura própria a presidente da República, o que anima o senador José Almeida Lima.

 

O prefeito Marcelo Déda está dando uma pausa nesse momento que antecede ao pré-caju. Só vai embalar os contatos depois dessa folia.

 

O governador João Alves Filho foi aconselhado pelo economista do Dieese, Luiz Moura, a isenta do ICMS os produtos da cesta básica em Sergipe.

 

O prefeito Marcelo Déda prestigiou a posse dos novos gestores das escolas da rede pública municipal. Déda fez elogios a todos.

 

A Secretaria da Fazenda, de 16 a 18 deste mês, está dispondo cerca de 15 mil ingressos para o consumidor sergipano participar do Pré-Caju.

 

O retorno para a avenida Beira Mar está dando um novo ânimo ao Pré-Caju. Todos os camarotes já foram vendidos e alguns blocos não têm mais abadás à venda.

 

É no Pré-Caju onde os candidatos proporcionais e majoritários armam seus melhores palanques e aproveitam para iniciar campanha.

 

A economia brasileira crescerá 3,5% neste ano e a inflação será de 4,5% no mesmo período, segundo as projeções do mercado financeiro, divulgadas anteontem.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais