CAMPANHA SE AFUNILA

0

Faltam exatos 38 dias para as eleições. Como se diz em relação a uma aeronave que vai aterrissar, “entrou na reta de pouso”. Dentro de mais oito dias, quando o calendário marcar apenas um mês para o pleito, a campanha esquenta porque entra na fase de afunilamento. A cada dia que passa tem que conquistar votos de indecisos e convencer a quem está em dúvida quanto o melhor nome para levar Sergipe adiante. Há muita reclamação de candidatos quanto ao ânimo do eleitorado. Há quem credite isso à indignação da população com a corrupção, as fraudes detectadas, vários escândalos que explodiram pelo país. Os quais tinham por trás ministros, deputados e senadores. Foi um ano que mostrou o porão da imoralidade política, feita com o dinheiro do povo.

Há, também, um certo desânimo. É quanto a impunidade de quem praticou a maioria desses atos e teve a seu favor a vergonhosa impunidade. Não é fácil saber que vários mensaleiros, ex-ministro que foi derrotado pela coragem de um caseiro, ex-presidente de partido que teve um irmão flagrado com dólares na cueca, toda uma cambada de sanguessugas, enfim, pessoas que enxovalharam o legislativo e o executivo desse país, continuam pousando de bons moços como candidatos a cargos proporcionais e majoritários, sem a mínima vergonha. São, sim, uns caras de paus. Embora as eleições tenham o poder de desmemorizar certas pessoas que fazem de cada pleito um balcão de negócios, elas não conseguem iludir um grande número de eleitores que tem consciência do mal que essas pessoas fizeram para o Brasil, para a seriedade dos mandatos que exercem e para o povo que confiou neles.

A constatação geral de um certo nojo pela política, nasceu exatamente do péssimo exemplo que se viu durante o decorrer de todo esse ano, iniciado com o suborno de um funcionário dos Correios e Telégrafos.

Em Sergipe, a situação não é diferente. Todos os candidatos, seja de oposição ou de situação, percebem que essa eleição é atípica. Não tocou na emoção da sociedade. Basta ouvir o que dizem as pessoas politicamente esclarecidas em relação ao pleito. E é assim que se vê movimento apenas dos grupos envolvidos com os políticos ou partidos. Não o fazem por espontaneidade, por acreditar no que se fala. E foi assim que um prefeito de um município grande revelou que algumas cidades do norte de Sergipe não têm um único cartaz de qualquer dos candidatos majoritários, “porque as lideranças estão cruzando os braços”. Essas lideranças estão querendo ouvir e ser ouvidos para trabalhar por alguma candidatura, mas não o fazem pela certeza de que estarão dando o melhor para o estado e, na questão do voto presidencial, para o país.  

Como a partir de agora as coisas vão se estreitar, e o eleitor é obrigado a ir às urnas, aconselha-se muito cuidado e prudência para votar no que é bom para Sergipe e para o Brasil. Não é bom se iludir com discursos bem intencionados, com plástica de programas, com perspectivas acima das condições estaduais e com qualquer tipo de onda otimista que invade ruas e avenidas, além de invadir as casas de todos com propostas bonitas e repetitivas. O interessante é avaliar a estrutura moral, a capacidade, os projetos e programas possíveis de serem realizados, capazes de favorecer a cada um eleitor, o estado, enfim, que seja bom para todos. Para os candidatos a deputado que se apresentam na televisão, uma dica para os eleitores: não acreditem naqueles que prometem fazer alguma coisa. Deputado não executa, ele legisla. Vá eliminando logo esses que falam em “fazer isso ou aquilo”. Eles estão enganando vocês.

Quanto à previsão de quem deve se eleger para governador, qualquer prognósticos parece precipitado, porque o pleito se mantém em nível de disputa renhida e que todos devem trabalhar muito. Mas é bom ficar bem atento ao voto. Não o faça inútil, mas valoroso para o crescimento do estado e de sua gente.

 

 

LUCIANO

O prefeito de Propriá, Luciano de Menininha, disse ao tio, governador João Alves Filho (PFL), que alguns dos seus secretários precisam desce do “sapato alto”.

Disse que todos eles devem pedir votos para o governador e se unir à campanha. Acha que o pessoal está muito parado.

 

TÉCNICOS

Segundo Luciano, a maioria dos secretários é técnica e não têm ânimo para campanhas eleitorais. Entretanto, “todos têm candidato a deputado estadual e federal”.

Luciano quer que todos eles, na hora de pedir votos para seus deputados, peça também para o governador João Alves Filho e a senadora Maria do Carmo.

 

REELEIÇÃO

Luciano também pediu aos candidatos a deputado estadual e federal que peçam voto para a reeleição do governador João Alves Filho.

Diz que alguns deles estão pedindo voto pessoal e liberando os eleitores para votar no candidato a governador que quiser.

 

VERDADE-1

Na realidade, boa parte dos deputados não está pedindo votos para majoritários. Estão puxando brasa apenas para suas sardinhas.

Um deputado estadual esteve com um economista e pediu: “vote em mim a governador em quem você quiser”. Alegou que João está pedindo voto para outro candidato.

 

VERDADE-2

Isso está acontecendo dos dois lados. No cruzamento das avenidas Beira Mar com Francisco Porto, um candidato a deputado federal da oposição pedia para colar adesivos.

Um advogado respondeu que era eleitor de João Alves: “não tem problema, desde que você vote em nosso deputado”.

 

CARTAZ

Uma liderança política do interior revela que em pelo menos quatro cidades da região norte não estão envolvidas na campanha para governador do estado.

“se alguém precisar de um cartaz, de Déda ou de João, para servir de remédio, morre mais não encontra”, disse o líder político.

 

ALBANO

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) está circulando por todo o estado. Ontem mesmo passou parte da tarde em Santa Rosa do Ermírio.

Quando foi à noite já estava em Umbaúba e ainda teve tempo de reunir-se à noite com aliados. Está com disposição.

 

DÉDA

O candidato Marcelo Déda (PT) debate segunda-feira com empresários dos setores primário, secundário e terciário. Acontecerá segunda-feira em um hotel da orla.

O debate é promovido pelo Fórum Empresarial de Sergipe, que é formado por entidades de classe do setor produtivo. Na semana passada quem esteve lá foi João Alves Filho (PFL).

 

TOETA

O candidato a governador pelo PSTU, o petroleiro Toeta, já não consta do nome de candidatos a governador no portal do TSE.

Sei nome foi impugnado ontem pelo TER sob alegação de não ter se desincompatibilizado no período imposto pela legislação. Toeta tem até o dia 25 para recorrer.

 

INQUÉRITO

A CPI dos Sanguessugas divulgou ontem o nome dos 27 parlamentares contra os quais o STF abriu inquérito por suspeita de envolvimento com a máfia das ambulâncias.

De Sergipe consta apenas o nome do deputado federal Heleno Silva (PL). O deputado Cleonâncio Fonseca não está entre os 27.

 

SUKITA

O prefeito de Capela, Manoel Messias – o Sukita – ainda não teve o processo de afastamento julgado pelo TSE.

O processo ainda não entrou em pauta, o que deve acontecer entre quinta ou sexta-feira. Sukita se encontra em Brasília desde terça-feira.

 

DIFÍCIL

A situação do prefeito de Capela não é fácil em Brasília, porque o processo que pede sua cassação já tem três votos a favor.

Para que Sukita consiga reverter esse quadro é necessário que todos os quatro ministros que faltam votar, o façam em favor do prefeito de Capela.

 

JOÃO FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) mudou o tom do seu discurso no programa gratuito de televisão levado ao ar ontem.

O candidato pedetista falou em programa de governo e prometeu que vai cuidar da segurança pública, dando-lhe a importância da Saúde e Educação.

 

 

Notas

 

ELEITOR

Eleitores que estiverem com problemas de saúde ou dificuldade para se locomover no dia da eleição não são obrigados A ir à urna votar. Caso opte por não comparecer às urnas, a pessoa ou um parente deve procurar o cartório eleitoral três dias após as votações para justificar a ausência.
O eleitor ou familiar precisa preencher um formulário no cartório e levar atestado ou laudo médico que comprove a necessidade de ausência no dia da eleição por problemas de saúde, como determina a lei

 

PARTIDOS

Os partidos que não possuem sede em Brasília podem estar com os dias contados. O TSE fixou prazo até 30 de abril de 2007 para que as legendas sem diretório em Brasília providenciem um. Caso a determinação não seja cumprida, a sigla pode ficar sem o fundo partidário e corre pode ter o registro cassado.
A maioria dos partidos com representantes no Congresso já conta com sede em Brasília. A exigência, portanto, ameaça aos partidos menores que conseguirem superar outro obstáculo em outubro: a cláusula de barreira.

 

SALÁRIO

O candidato do PSDB à presidência, Geraldo Alckmin, acusou ontem o presidente Lula de agir de forma eleitoreira ao prometer a antecipação, para setembro, do 13° salário dos aposentados do INSS. Com a medida, o recurso será depositado praticamente na véspera da eleição, marcada para 1° de outubro.
Petistas reagiram às críticas e lembraram a decisão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que pouco antes das eleições de 1998, quando tentava a reeleição, manteve o câmbio fixo para valorizar o real.

 

 

É fogo

 

A Funcaju tem uma programação ampla para comemorar o Dia do Folclore. Teve início ontem, com apresentação de folguedos.

 

O prefeito de Propriá, Luciano de Menininha, disse ontem que é amigo pessoal do ex-presidente Collor, antes mesmo dele ser presidente.

 

Acrescentou que ele foi convidado para o aniversário e estava esperando-o, assim como todos os anos também vou cumprimentá-lo quando muda de data.

 

O governador João Alves Filho (PFL) recebeu o titulo de Cidadão Baiano. Para a solenidade de entrega o acompanharam o deputado Fabiano Oliveira e Albano Franco.

 

A senadora Maria do Carmo Alves (PFL) comemorou ontem mais um aniversário. Está em plena campanha.

 

Coincidentemente, também aniversariou a mulher do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), Indira Amaral.

 

O deputado estadual Jorge Araújo (PSDB) cobrou dos governos estadual e federal recuperação de rodovias em Sergipe.

 

Amigos de Jorge Araújo estão se desdobrando para dizer que o homem é candidato à reeleição. Jorge não pode se apresentar no programa gratuito da TV.

 

Está em fase de levantamento cadastral do centro comercial e histórico de Aracaju. O projeto é da Prefeitura Municipal.

 

A quantidade de cheques devolvidos por falta de fundos diminuiu em julho, de acordo com o estudo da Telecheque divulgado ontem.

 

A Volkswagen internacional ameaça fechar sua fábrica de Anchieta, no Brasil, se não for

feito nenhum acordo com os sindicatos relacionados.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais