Capilaridade do banco

0

 

   Era uma vez uma cidade muito pacata localizada no fim do mundo de um país muito distante. A população era tão ordeira que se reunia para decidir tudo. Foi assim que decidiram colocar na praça principal da cidade um banco. Não era um simples banco, era um banco feito de metais nobres encrustado com pedras preciosas. Foi uma verdadeira festa a inauguração do banco. Foi eleito até alguns guardiões que se revezariam para vigiarem o banco.

 Com o passar do tempo – apesar das chuvas e tempestades – o banco consolidou-se como um referencial para toda região. Chegaram pessoas de todas as partes para sentar e tirarem fotos ao lado do banco. Um governante mais afoito colocou para gerenciar os guardiões que tomavam conta do banco, um bem sucedido gestor público que tinha referencial em algumas outras cidades.

  O gestor público – que adorava aparecer na mídia – começou a implantar idéias novas. Começou a cobrar para sentar e tirar fotos no banco. Para conseguir a simpatia da população local criou uma carteira dos “sócios” do banco com o intuito de fomentar a divulgação do mesmo. Depois começou a vender diversos produtos vinculados ao banco como atrativo para os sócios com a desculpa de aumentar a capilaridade do mesmo.

  Não satisfeito com os recursos que começaram a chegar o gestor público começou a colocar nos balanços financeiros créditos indevidos que ainda poderiam ser recebidos através da Justiça, por contas de alguns sócios que deixaram a cidade e não pagavam mais suas carteiras. Essa operação foi chamada de antecipação de tutela, que chegou a arrecadar a bagatela de alguns milhões, fazendo com que o balanço do banco tivesse uma alta significativa.

  Como tinha o aval do administrador da cidade, o gestor público criou vários mecanismos para gerar receita e retirar recursos do banco para ajudar na administração municipal. Enquanto isso, o gestor público tinha grandes contatos na mídia de todo país e, a cada dia fazia com que a fama do banco precioso se espalhasse pelo país. Com isso começou a ser divulgado em páginas de algumas revistas e jornais especializados. Foi o ápice.

    Porém um grupo de sócios começou a realizar uma auditoria sigilosa no banco. E foram descobrindo que muitas destas operações foram feitas sem lastros financeiros, por conta disso o banco da praça já estava com três processos junto ao financiador maior, localizado na capital da país. Nas assembléias gerais, realizadas na praça, com o banco ficando ao redor, os sócios começaram a questionar algumas operações de risco. Estavam temendo que o banco pudesse ser vendido para uma empresa particular para que os compromissos fossem honrados. O certo é que o banco não era mais o mesmo, os metais nobres tinham se desgastado e as pedras preciosas tinham sumido misteriosamente. O final da história esta coluna ficará devendo aos leitores, pelo menos por enquanto…

 

 Programas de televisão fracos I

Enquanto os programas eleitorais de Lula e Alckmin estão bem produzidos, principalmente o do petista que tem um foco bem definido, em Sergipe os programas dos dois principais candidatos ao governo do Estado deixam a desejar. No lado de Marcelo Deda (PT) o programa de televisão poderia render mais, por conta da estrutura e da equipe montada. A sorte de Deda é que o programa de João Alves consegue ser bem pior sem um foco definido. 

 

Programas de televisão fracos II

Porém, com as pesquisas que vêm sendo realizadas para consumo interno mostrando o crescimento do adversário, certamente o programa de João Alves deve sofrer alterações significativas nos próximos dias. Desta forma é bom a equipe de marketing de Deda acender uma luz amarela, porque, se hoje a falta de empolgação do programa não vem prejudicando a campanha, amanhã os prejuízos poderão ser incontornáveis. E, para Deda, o programa de televisão, depois da presença dele nos lugares, é a principal vitrine.

 

 

Banese fará almoço no Augustus

Anualmente a diretoria do Banese reúne os funcionários e seus familiares para mostrar os números do desempenho do Banco. Este ano será feito no teatro Tobias Barreto, mas o tradicional almoço, que sempre é realizado no clube do Banese, será realizado no Augustus. Este ano foram convidados para o almoço também os aposentados e seus familiares. Como o Augustus tem uma divida com o Banese, cujo processo tramita na justiça e o leilão chegou a ser suspenso, vários funcionários do banco estão pensando que a diretoria está pensando em incorporar o Augustus ao patrimônio do banco. O pessoal que trabalha no setor de recuperação de crédito vai aproveitar o almoço para fazer uma avaliação financeira minuciosa do local.

 

 

Prefeitos de Passos apóiam Deda

Por esta João Alves não esperava. Em menos de dois dias, o candidato petista, Marcelo Deda recebeu a adesão de dois prefeitos ligados politicamente ao presidente da Assembléia, Antônio Passos. Foram eles, Zico, de Glória e Laércio Passos, de Rosário do Catete. Tem alguma coisa que ninguém ainda conseguiu decifrar.

 

 

PF prende empresário em Sergipe I

Na madrugada da última terça-feira um empresário de uma banda de forró de Sergipe, foi preso pela Polícia Federal na residência dele sob a acusação de copiar cd`s com músicas “esculhambado” com um candidato a presidente da República e outro ao governo do Estado, além da confecção de panfletos. A PF apreendeu dois malotes com cd`s e no depoimento o empresário negou tudo. A operação teve o tramite semelhante ao da operação Fox. O empresário foi liberado, porém vai responder ao processo que foi aberto. O empresário fez uma paródia da música “Veja só que festa de arromba”. A PF investiga agora as ligações telefônicas do empresário como também o dono da casa onde estava ocorrendo o crime eleitoral.

 

PF prende empresário em Sergipe II

Na representação – feita pela coligação “Sergipe vai mudar”,  é alertado que o panfleto com a letra da paródia não tinha a autoria. Um trecho da representação: “Não há o que duvidar que esta ação partiu da Representada e/ou dos seus coligados. Apenas para ilustrar o Secretário de Estado – Antônio Valdione de Sá – distribuía estes CDs, na semana passada na churrascaria Pampa com lideranças do interior, fato este presenciado por populares que reprovavam o ato do secretário. A deslealdade eleitoral por parte da Representada é tamanha que também panfletos contra outros participantes da Coligação – Pastor Heleno e Gilmar Carvalho – já foram distribuídos pelo interior do Estado, tendo como quartel general as entranhas do Palácio de Despachos”.

 

 

 

Jantar no bar do Sapatão

Amigos do promotor Rosselvelt Santanta realizam amanhã um jantar no bar do Sapatão na Orlinha do Bairro Industrial para “comemorar”  a vitória dele que não precisará atravessar a nado de Aracaju a Barra dos Coqueiros por conta da conclusão da ponte. Foi que ele apostou que se a ponte fosse inaugurada no dia 25 de agosto às 19h, como prometeu o governador ele faria a travessia. Tem gente já querendo apostar que a ponte não será inaugurada dia 25 de outubro.

 

Pedágio só depois da eleição

Já está decidido o pedágio na Ponte Aracaju/Barra dos Coqueiros somente será cobrado após o período eleitoral. A cobrança é uma atitude desgastante eleitoralmente e seria difícil a população entender, porque teria que pagar para usar uma obra que foi construída com o dinheiro público.

 

 

Camisas no Baixo São Francisco

Ontem,  em Propriá, foi um verdadeiro derrame de camisas verdes contra a transposição do rio São Francisco. Como não tem nenhum ato e a transposição foi suspensa judicialmente o promotor local vai averiguar se não existe por trás da distribuição alguma intenção eleitoral. É claro que não, neste período ninguém está pensando em conseguir votos, apenas em salvar o “velho”, que não é o Chico.

 

Trauma do Hospital João Alves

A situação no Hospital João Alves não é maravilhosa. No setor de trauma, por exemplo, tem dias que três médicos estão de plantão e têm que fazer revezamento em apenas um birô para atender os pacientes. É mais uma fila formada naquela unidade de saúde.

 

Denuncie os abusos eleitorais

Esta coluna vai continuar lembrando para o leitor o e-mail da Procuradoria Regional Eleitoral, para que o cidadão possa enviar denúncias sobre condutas irregulares dos candidatos durante a campanha eleitoral deste ano: (eleitoral@prse.mpf.gov.br), ou então pelo telefone: 3234-3700. Todo o trabalho da Procuradoria em Sergipe está no site: www.prse.mpf.gov.br.

 

Empurrando com a barriga

Foi inteligente a decisão dos deputados federais que não renunciaram ao mandato em função da abertura de processo, renunciar na atual situação seria antes de tudo um atestado de burrice, porque a renúncia asseguraria ao atual parlamentar o direito de ser candidato em pleitos futuros. Isto em tese, porque da forma como a questão está sendo tratada, os processos terão prosseguimento e com certeza ao final do processo, os comprovadamente envolvidos, vão perder os direitos políticos, ou seja, seria apenas uma questão de tempo. Dessa forma o que muitos fizeram, foi empurrar com a barriga, receber mais alguns salários e aguardar pelo destino.

 

Caos na BR-101

Não tem mais pra onde apelar, o Ministério Público precisa urgentemente esgotar a tolerância que tem utilizado com a duplicação da BR 101. Ontem circulou na imprensa local informação dando conta de que os trabalhos de duplicação da já batizada “Rodovia da Morte” foram suspensos em função das chuvas. Nos dias de chuva, mesmo inconformada a população aceitava tal argumento, mas como aceitar que exatamente quando estamos vivenciando dias ensolarados o DNIT apresente essa explicação. É preciso que algum deputado tome a iniciativa de provocar o Ministério Público para que seja adotado e cumprido, um termo de ajustamento.

 

 

AC&VB capta novos eventos para Aracaju

Para manter os bons índices de ocupação dos hotéis,  o empresário Manoel Lisboa, presidente do Aracaju Convention & Visitors Bureau – AC&VB, disse que a instituição não tem medido esforços para captar e apoiar novos eventos para Aracaju. A geração de eventos tem feito à alegria dos que fazem a cadeia produtiva do turismo em Aracaju, que tem visto o setor gerando emprego e renda para a população local.Segundo Mônica Costa, gerente de negócios e marketing do AC&VB, “a instituição está com o seu trabalho a mil por hora captando vários eventos e apoiando outros”. Ela cita a captação do Congresso Brasileiro de Parques Tecnológicos e Incubadoras; Congresso Nacional de Voluntários e Instituições de Apoio á Criança com câncer; o Encontro Norte/Nordeste de Angiologia e Cirurgia Vascular; e o Congresso Nacional de Reprodução Animal, além do apoio do Convention ao Mico – Seminário de Mídia e Comunicação, e ao I Encontro Nordeste de Direito do Consumidor.

 

Frase do Dia

“Lendo este livro, talvez você possa compreender melhor a sociedade em que vivemos, as pessoas que nos cercam e  este nosso querido Sergipe, terra das possibilidades impossíveis”. Dedicatória escrita no livro “De Jesus Cristo a Bill Gates”, por uma pessoa bastante conceituada na sociedade sergipana e que conhece muito bem os bastidores da política sergipana.

 

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais