Carnaval em ritmo de prevenção

0

O carnaval está chegando e com ele a expectativa de grandes acontecimentos. Daí, quando se fala em carnaval, logo vem à cabeça festa, alegria e até novos relacionamentos amorosos passageiros ou não. Para alguns, datas como esta é oportunidade para extravasar e mudar de comportamento. É uma espécie de ritual coletivo, espécie de autorização ou convite para o excesso. Para as pessoas que se encaixam nesse comportamento, alguns lembretes são importantes antes de começar a festa. Façam uma reflexão sobre as consequências de possíveis situações de risco que poderão se envolver. Muitos são afetados por exageros nas bebidas alcoólicas trazendo consequências às vezes graves na condução de veículos e na vida sexual.

É sempre bom lembrar que algumas ações podem ter consequências para além dos dias de folia, até mesmo para a vida inteira. É frequente ouvir a frase: “no carnaval do ano passado, bebi todas e transei sem camisinha e não sei nem com quem”. Esta é uma atitude considerada de alto risco para o surgimento de uma gravidez fora de hora (os chamados “filhos do carnaval”), de uma infecção pelo HIV (vírus da AIDS), infecção pelo HPV (vírus causador de verrugas genitais e até câncer), hepatites virais, sífilis e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST). É importante destacar que nem toda DST se manifesta através de sintomas. As manifestações clínicas da AIDS, por exemplo, quando ocorrem, acontecem 5 a 8 anos depois daquela relação sexual sem camisinha. O HPV e as Hepatites Virais geralmente são chamados de “doenças silenciosas”, isto é, nem sempre se manifestam.

A Secretaria de Estado da Saúde e Secretarias Municipais de Saúde estarão disponibilizando, em locais estratégicos da folia, os preservativos masculinos e folhetos informativos. Portanto, as pessoas terão acesso fácil às camisinhas. O uso correto e consistente da camisinha é fundamental para uma relação sexual saudável e segura. Tenham cuidado, pois as bebidas alcoólicas e outras drogas podem favorecer ao não uso da camisinha. Caso alguém, por algum motivo, não tenha utilizado  a camisinha nas relações sexuais, deverá procurar  um serviço de saúde,  30 dias após,  para a realização do teste para AIDS, SÍFILIS E HEPATITES B e C.

Carnaval é alegria e diversão. Mas tudo pode ser aproveitado com responsabilidade e adotando medidas de prevenção. Ande sempre com camisinha.

Comentários