Carona na enxurrada

0

Afugentadas da enxurrada popular que varreu o país contra o reajuste da tarifa dos ônibus, as centrais sindicais tentam, quinta-feira próxima, pegar uma carona na corrente de insatisfeitos com os desmandos governistas. Aproveitando que o caudaloso rio de protestos está retomando seu leito natural, sindicalistas de várias correntes e líderes de movimentos sociais vão promover uma paralisação geral com direito a passeatas e fechamento de rodovias. As bandeiras reivindicatórias são praticamente as mesmas empunhadas nas manifestações populares de dias atrás. Resta saber se o povo, que rechaçou os partidos políticos e os líderes classistas, vai engrossar as fileiras das centrais sindicais, ávidas por aparecer na foto do movimento que parou o Brasil e colocou muitas pulgas nas orelhas dos que se achavam donos da cocada preta.

Debate

A Universidade Federal de Sergipe organiza hoje um debate sobre ‘Os Movimentos de Junho de 2013 no Brasil e a Invenção Democrática: Uma leitura das recentes manifestações de rua a partir da obra de Calude Lefort’. Será às 19h, na Didática III do Campus Universitário. O palestrante convidado é Luciano Oliveira, doutor e pós-doutor em Sociologia pela Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais em Paris, França.

Luto

Foi sepultado ontem no cemitério Colina da Saudade o corpo do ex-prefeito de Laranjeiras, empresário Manoel do Prado Franco, ‘Seu Manelito’. Com 101 anos ele deixa a esposa Maria Ribeiro Franco e dois filhos: deputado estadual Zé Franco (PDT) e a ex-deputada estadual Celinha Franco.

Marcha

Quem pretende falar hoje com um prefeito deve telefonar pra Brasília. É que a maioria dos administradores municipais se encontra na capital federal para participar da 16ª Marcha dos Prefeitos. Com abertura prevista para hoje, o evento prossegue até quinta à tarde. Como das vezes anteriores, os prefeitos vão reivindicar melhorias na saúde, educação, mobilidade urbana, etc, etc e tal. Devem retornar de mãos abanando.

Exigência

Os alunos que ingressarem nos cursos de medicina a partir de 2015 terão que atuar dois anos no Sistema Único de Saúde (SUS) para receber o diploma. A medida é válida para faculdades públicas e privadas e faz parte do Programa Mais Médicos, anunciado ontem pelo governo federal. Com isso, o curso passará de 6 anos para 8 anos de duração.

Mais cultura

Acontece amanhã no plenário da Assembléia Legislativa a audiência pública de apresentação do programa Mais Cultura nas Escolas. Juanna Nunes Pereira, diretora de educação e comunicação para a cultura do Ministério da Cultura, apresentará o programa. O objetivo da audiência é estimular a adesão das escolas ao programa, que visa democratizar o acesso à cultura entre alunos da escola pública. Participe!

Pavimentação

O prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), estará daqui a pouco no bairro Siqueira Campos acompanhando o início do recapeamento asfáltico da rua Mariano Salmeron. A obra marca o início da implantação do projeto Rodando no Macio, que visa renovar toda a pavimentação da capital. As ações serão realizadas inicialmente em 36 vias da cidade.

Novo ritmo

Não se fala em outra coisa em Sergipe que não seja a disposição do governador Jackson Barreto (PMDB) em dar um novo rumo à administração estadual. Além das visitas constantes ao interior, o peemedebista tem mantido contatos políticos visando substituir auxiliares e reconquistar a maioria na Assembléia Legislativa. Nem precisa dizer que o ritmo de trabalho do governador já está incomodando alguns petistas.

Latas velhas

Uma reunião marcada para daqui a pouco vai tratar sobre o pagamento do tíquete alimentação e do salário de junho passado aos motoristas e cobradores da empresa VCA. O assunto será discutindo entre o sindicato da categoria, a direção da concessionária e o Setransp. O atraso do pagamento dos tíquetes, férias e horas extras referentes a maio já levou os trabalhadores da VCA a cruzarem os braços por dois dias.

Do baú político

Em artigo publicado no Jornal da Cidade, o desembargador aposentado Artur Oscar de Oliveira Déda lembra o colega da Faculdade de Direito, Carlos Henrique de Carvalho. “Ele era baixo na estatura e elegante no vestir. Daí o apelido que carregou enquanto viveu: Bonequinha. Precursor da crônica social em Sergipe, fez amigos e inimigos, estes representados geralmente por pais protetores ou Romeus ciumentos”. O desembargador escreve que, certa vez, numa sessão solene de posse realizada no Tribunal de Justiça, com a presença de representantes do Exército – foi precisamente na tarde do dia 31 de março de 1964, o dia do golpe – Carlos Henrique discursou louvando as qualidades do novel desembargador, o Dr. Serapião de Aguiar Torres, chamando-o de ‘desembargador do povo’. Conta-se que, dias depois, fora intimado pelos militares para explicar a razão do título conferido ao magistrado. E ele calmamente esclareceu: ‘Sim, eu disse… desembargador do povo… quer dizer… do povo rico’.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários