Carona no corona

0

Político é bicho tinhoso. Vive esperando uma oportunidade para aparecer bem na fita, mesmo que seja com a desgraça alheia. Agora mesmo, a maioria dos parlamentares federais está aproveitando onda de coronavírus para divulgar aos quatro cantos as emendas que apresentaram em favor da saúde pública. Outros propagam terem remanejado tais verbas federais para o combate ao Covid-19. O cidadão desatento aplaude emocionado a demagogia. Alguns incautos até guardam os “santinhos” dos malandros de gravata, prometendo votar neles pelo resto da vida. Treiteiros, estes políticos não falam nas inúmeras vantagens oferecidas pelo mandato. Aliás, ficam inimigos de quem sugerir que apresentem um projeto de lei reduzindo seus milionários salários e cortando parte das mordomias custeadas pelas futuras vítimas do coronavírus. Desconjuro!

Calamidade pública

Sergipe está em calamidade pública por conta do caronavírus. Projeto neste sentido foi aprovado, ontem, pelos deputados estaduais. A sessão plenária foi fechada ao público para evitar a propagação da doença. Agora, o governo estadual não precisará cumprir os limites financeiros impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O estado de calamidade pública também suspende o limite de endividamento e permite contratação de serviços e compras com maior rapidez. Ah, bom!

Grana prometida

O governo de Sergipe começa a pagar, terça-feira próxima, a folha salarial deste mês. Vai receber primeiro quem ganha até R$ 3 mil, além do pessoal da Educação, Ipesaúde, Sergipe Previdência, Segrase e Agrese. Os demais servidores com salários acima de R$ 3 mil só colocarão a grana no bolso no distante dia 9 de abril e assim mesmo depois das 13 horas. Danôsse!

Falando só

E os governadores não seguirão as estapafúrdias declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Todos prometem continuar com as ações já iniciadas de combate ao coronavírus. “Não vamos recuar nenhum milímetro com relação ao que estamos fazendo”, afirma Belivaldo Chagas (PSD). O governante sergipano diz que, em vez de ouvir as asneiras de Bolsonaro, prefere continuar seguindo a orientação do Ministério da Saúde, dos médicos, da área sanitária e dos infectologistas. Crendeuspai!

Sonho de verão

As famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família não terão mais direito ao “13º salário”, que foi pago no final de 2019. É que a Medida Provisória tornando permanente o pagamento do abono extra perdeu a validade ontem. Para que o 13º pagamento anual do Bolsa Família se tornasse permanente, a MP teria que ter sido votada dentro do prazo (120 dias) pela Câmara Federal e pelo Senado. Será que se a Medida Provisória tratasse de uma vantagem financeira para os congressistas eles perderiam o prazo? Homem, vôte!

Aula sobre quarentena

E o ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita (Republicanos), está dando aula sobre como sobrevier à quarentena. Ele revela ter experiência no assunto, pois sobreviveu ao isolamento de um anos e dois meses na penitenciária: “É preciso cuidar do corpo e da mente para você sair bem dessa”, ensina. Segundo Sukita, com disciplina e determinação “vamos sair dessa, prontos para reconstruirmos tudo”. Então, tá!

Políticos na muda

Os políticos que pretendem disputar as eleições deste ano e não estão satisfeitos com seus partidos só têm até o próximo dia 3 para mudarem o endereço partidário. Por conta disso, está havendo uma grande correria, mas ninguém abre o bico sobre suas pretensões, para evitar contratempos de última hora. Diante disso, o resultado exato das novas filiações só será conhecido lá pra sábado da próxima semana. Aguardemos, portanto!

Leite derramado

Apesar do anúncio de que o grupo cearense Betânia assumiu a indústria de laticínios Sabe, esta continua fechada. Pertencente aos empresários Albano e Ricardo Franco, a empresa foi colocada em hibernação no começo deste ano, desempregando cerca de 300 trabalhadores. Segundo as más línguas, para que a Sabe volte a funcionar, só falta as partes interessadas depositarem no Banco do Nordeste o mínimo de 10% da dívida contraída pela fábrica. Vixe, será?

Uma esmola

O governo de Sergipe criou o programa social “Cartão mais Inclusão”, visando doar R$ 100 mensais aos atingidos pela crise do coronavírus. A previsão é atender cerca de 35 mil famílias de baixa renda. O governo federal também promete doar R$ 200 aos miseráveis. Só falta as prefeituras prometerem outros R$ 50. Em tempos de festa, pedintes arrecadam muito mais nas portas das igrejas. Marminino!

Edições esgotadas

E aí, você que é metido a intelectual, quantos livros dos imortais da Academia Sergipana de Letras enfeitam a sua estante? De alguns acadêmicos é impossível encontrar qualquer obra nas melhores livrarias da cidade e do país. Será que as edições estão esgotadas? Aff Maria!

Recorte de jornal

Publicado no jornal Correio de Aracaju, em 24 de novembro de 1909

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários