CARTA AOS NORDESTINOS

0

O governador João Alves Filho (PFL) passou a tarde de ontem reunido com o candidato a presidente pelo PSDB, Geraldo Alckmin, para ver o layout da Carta aos Nordestinos, que será impressa e distribuída na região. O documento foi um resumo, em tópicos, de um projeto que João Alves produziu para que o candidato tucano usasse durante a campanha já no primeiro turno, o que não foi possível em razão da estrutura de marketing. Agora o projeto foi transformado em tópicos e será distribuído em todos os estados, como compromisso do candidato, que pode ser cobrado pelos nordestinos caso ele seja eleito.

João Alves disse que é preciso desmistificar uma série de inverdades que são ditas pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o Nordeste: “Lula foi o pior presidente para a região”, disse João. Acrescentou que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso “foi horrível para o Nordeste, mas o presidente Lula consegue ser pior”.

Trabalhando na coordenação da campanha de Alckmin na região nordestina, o governador João Alves Filho cita alguns fatos em que procura mostrar que Lula não trabalhou para o desenvolvimento do Nordeste. Lembrou que na campanha para presidente, em 2002, Lula promoveu um abraço simbólico no antigo prédio da Sudene, em Recife, para mostrar que iria reabri-la: “não abriu, mesmo envolvendo, em uma solenidade, em Fortaleza, da qual participei, uma das figuras símbolo do Nordeste, Celso Furtado”, disse João. No mesmo dia o presidente Lula assinou o projeto para enviar ao Congresso e colocou o pedido de urgência urgentíssima: “quando chegou em Brasília, retirou o pedido de urgência e o projeto se encontra entre os que ficam rondando no legislativo”, denunciou.

Baseado em informações oficiais, o governador João Alves Filho disse que de todos os investimentos públicos feitos pelo Governo Federal, apenas 3% vão para o Nordeste: “e dos investimentos sociais do Governo Lula, voltados para o pobres, são disponibilizados apenas 4.4%. Isso é um deboche”, se indignou. Todos esses dados estão na Carta aos Nordestinos, acrescidos da informação de que o Governo Federal paga 156 bilhões de reais dos juros da dívida com os bancos e gasta apenas 10 bilhões com o Bolsa Família. Quanto à refinaria de petróleo, onde foram gastos milhões de reais com projetos, há um ano do anuncio de construção em Pernambuco existe apenas uma placa colocada em uma área na cidade de Abreu e Lima, localizada no Grande Recife. Outro fato citado na Carta aos Nordestinos e lembrado ontem pelo governador João Alves Filho foi o projeto de transposição do rio São Francisco: “criou-se um conflito entre os nordestinos em torno de uma obra que, se fosse realizada, seria uma maluquice sem tamanho”.

Tudo isso será mostrado ao Nordeste de forma didática e com proposta para resolver problemas graves da região, que continua sofrendo com a indiferença da maioria dos presidentes, incluindo Lula, “que nasceu no Nordeste mas tem a cabeça em São Paulo”, definiu João Alves Filho.

Depois do encontro de ontem, o candidato Geraldo Alckmin visitou o Banco do Brasil: “foi uma festa”, avaliou João Alves Filho que o acompanhou. Alckmin agora está usando uma jaqueta em que expõe símbolos da Caixa Econômica Federal, dos Correios e Telégrafos, da Petrobrás e do Banco do Brasil. Por sugestão de João Alves ele está colocando a logomarca da Sudene e da Suframa, para mostrar que não vai privatizar nada, como está divulgando o presidente Lula, em seus comícios e programas de televisão, com o objetivo de desgastar o candidato tucano.

Quanto as pesquisas, que mostram uma diferença grande entre Alckmin e Lula, o governador João Alves Filho disse que o Comitê Central de Campanha está recebendo um trecking (pesquisa antecipada) que demonstra uma tendência de ascensão constante, que pode ser favorável no final: “o pessoal está com muita fé”, concluiu.

 

 

ENCONTRO

O governador eleito Marcelo Déda (PT) será recebido hoje, no Palácio dos Despachos, pelo governador João Alves Filho (PFL). Será o primeiro encontro depois das eleições.

Segundo informação de setores do governo, um dos assuntos a ser tratado será o orçamento para 2007. Déda pretende sugerir mudanças.

 

TUDO BEM

Do aeroporto de Brasília, através de telefone, o governador João Alves Filho, confirmou o encontro para as 10 horas: “vou recebê-lo com boa vontade”.

João Alves disse que desconhecia o assunto a tratar, “mas se houver qualquer pedido em relação ao orçamento, não haverá problema. Estou para facilitar”.

 

ENTENDIMENTO

João Alves disse que, ao deixar o governo, vai buscar restabelecer o bom relacionamento entre políticos que brigam nas eleições e depois todos se unem em favor de Sergipe.

Acrescentou que vai para uma oposição que poderá colaborar com todos os projetos de Marcelo Déda que sejam bons para Sergipe.

 

SUCESSÃO

A cientista política Lúcia Hipólito, em artigo publicado no Blog do Noblat, diz que a sucessão presidencial de 2010 já está em discussão.

Para ela, o candidato natural à sucessão de Lula, caso ele seja reeleito, é o governador eleito da Bahia Jacques Wagner. Ele se transformou na “principal estrela da constelação petista”.

 

DÉDA

No mesmo artigo ela reconhece que o governador de Sergipe, Marcelo Déda, e Fernando Pimentel também estão no páreo para presidente.

Conclui a disputa principal poderá ser mesmo entre Jaques Wagner e Tarso Genro e que o “governado da Bahia na está de brincadeira”.

 

TRADUÇÃO

Marcelo Déda defende um PT de cara diversificada: “o PT precisa traduzir o crescimento que o partido teve nas urnas, com uma cara mais diversificada de organização”.

Para o governador eleito de Sergipe, a “dinâmica partidária não pode reproduzir automaticamente a vontade de uma regional (São Paulo)”.

 

DEMONIZAR

Déda deixa bem claro: “Não se trata de demonizar São Paulo, mas é preciso incorporar a agenda dos demais estados, que tenha um sotaque político diferente, multifacetado”.

Ele vai propor antecipação do congresso nacional do PT, marcado para o final de 2007, a fim de que os filiados do partido possam discutir as propostas de mudanças.

 

AVANÇO

A bancada do PSC vai crescer mais rápido do que se imaginava. O deputado João da Graça (PTdoB) já está com os dois pés dentro e será o mais novo cristão.

Com uma bancada de sete parlamentares e a possibilidade de juntar-se ao PL, terá um terço da Assembléia Legislativa. Isso sem contar com o deputado federal Eduardo Amorim.

 

QUENTE

A informação ferve entre os membros da bancada: já há proposta sólida de setores vinculados ao governador eleito Marcelo Déda, para que o PSC o apóie.

Uma fonte influente do partido diz que “antes serão vistas algumas pretensões de bancada, dois objetivos a ser cumpridos para depois se tomar uma decisão”.

 

RESISTÊNCIA

A informação é de um parlamentar com trânsito junto a setores do PT: “há uma reação de segmentos do partido em relação a uma composição com o PSC”.

A mesma fonte acrescenta que dois cristãos não terão condições de compor com o novo governo (Comentário meu: o poder é sedutor e erótico).

 

FONTES

O deputado federal João Fontes (PDT) disse que o governador eleito Marcelo Déda (PT) tem tentado tirar o partido do seu comando e passá-lo para um aliado.

João Fontes fala em reestruturar o partido para as eleições de 2008. Deixou bem claro: “só fica no PDT quem fizer oposição a Marcelo Déda”.

 

ALMEIDA

João Fontes declarou que o senador Almeida Lima (PMDB) se quiser pode retornar ao partido ao PDT, mas terá que seguir a nova orientação da legenda.

Fontes conversou com o presidente nacional do PDT, Carlos Luppi, sobre o assunto e foi orientado a conduzir o partido dentro de um programa já definido.

 

MACHADO

O deputado federal José Carlos Machado (PFL) avisou ontem que vai fazer uma oposição responsável ao governador eleito Marcelo Déda (PT).

“Nada que prejudique o estado”, disse. Do ponto de vista pessoal, Machado diz que se dá muito bem como o futuro governador.

 

Notas

 

REUNIÃO-1

O presidente regional do PDT, deputado federal João Fontes, respondeu ontem, com veemência, declarações feitas pelo advogado Nilton Vieira Lima, candidato derrotado ao Senado pelo partido: “ele (Nilton) vai ter que provar em juízo que eu estava a serviço do governador João Alves Filho”.

Fontes acrescentou que “não vou brigar com ninguém, as pessoas civilizadas resolvem seus problemas na Justiça”. O encontro ocorreu para traçar rumos do PDT e serviu para um desabafo do presidente regional.

 

REUNIÃO-2

Na reunião da Executiva do PDT, no Rio de Janeiro, Nilton Vieira mostrou fotos de João Fontes, então candidato a governador, ao lado da senadora Heloísa Helena (Psol), que disputava a Presidência da República. Mostrou que Fontes não apoiou o candidato do PDT, senador Cristóvam Buarque.

Além disso, em entrevista à imprensa, Nilton acusou João Fontes de estar a serviço do governador João Alves Filho e divulgou que ele (João) estava respondendo isso junto ao Conselho de Ética do PDT.

 

COMÉRCIO

O ministro Cezar Peluso negou ontem o pedido de liminar que pretendia suspender a abertura e funcionamento do comércio no dia das eleições. A decisão monocrática do TSE foi tomada no julgamento do Mandado de Segurança, ajuizado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio (CNTC).
O TSE entendeu que “o funcionamento do comércio no dia das eleições, desde que os estabelecimentos comerciais proporcionem aos seus funcionários condições para que exerçam seu direito-dever de votar”.

 

 

É fogo

 

Muita gente espalhando botos sobre a formação do secretariado, o que cria problemas neste momento de transição.

 

Pedrinho Valadares (PFL) vai tentar derrubar Jackson Barreto (PTB) que foi reeleito com processos que o impediam de disputar as eleições.

 

O governador João Alves Filho (PFL) vai manter a sua atividade política, com a movimentação do Diretório Regional do seu partido.

 

As Secretaria de Estado já estão em ritmo de encerramento de atividades, para que não haja problema no próximo governo.

 

O deputado federal eleito Albano Franco se encontra em Brasília e tem conversado com lideranças do seu partido.

 

O deputado estadual Venâncio Fonseca (PP) pode se tornar o líder da oposição na próxima legislatura. Vai inverter a posição de hoje.

 

Com uma diferença de 20 pontos, fica muito difícil o candidato do PSDB reverter esse quadro que favorece ao presidente Lula da Silva.

 

O deputado estadual Luis Mittidieri (PSDB) confirma convite do senador Valadares para trocar de legenda e filiar-se ao PSB.

 

Luiz Mittidieri terá uma conversa com o deputado federal eleito Albano Franco, para tomar pé da posição do partido em 2007.

 

A deputada reeleita Ana Lúcia (PT) está analisando o Orçamento do Estado para fazer algumas considerações no plenário.

 

brayner@infonet.com.br

Comentários