Cenário se repete, até quando?

0

Ao assumir seu primeiro mandato em janeiro de 2001, o prefeito Marcelo Déda (PT), começou sofrendo uma série de derrotas na Câmara Municipal. Perdeu a presidência da casa, formação das comissões temáticas, teve alguns projetos de lei de seu interesse derrotados. À época, o PT e aliados elegeram uma bancada minoritária, logo, essas derrotas de certa forma podiam ser encaradas com naturalidade. Mas a cena se repete após Déda ter sido reconduzido ao posto, com nada menos que 72% dos votos válidos dos aracajuanos e ter elegido 10 dos 19 vereadores. Mas, perdeu essa maioria num piscar de olhos.

 

-Perdeu a presidência da Câmara, a formação das comissões temáticas e agora enfrenta um turbilhão de projetos de lei – todos apresentados pela oposição a seu governo – que se aprovados irão lhe causar muitas e muitas dores de cabeça. Dentre os projetos em tramitação na Câmara consta um que dará poderes às comissões, hoje compostas em maioria pela oposição, para vetar qualquer projeto de lei antes mesmo de ser submetido à apreciação do plenário. Isso acontecendo pode se transformar num grande entrave à administração petista.

 

É cada vez maior o número de pessoas que através de contatos diretos ou de e-mail têm perguntado por que o prefeito Déda e seu vice, Edvaldo Nogueira, ambos com vasta experiência parlamentar, não têm conseguido contornar essa situação adversa!?. Alguns petistas e aliados da atual administração argumentam que o prefeito já aprovou todo o necessário na Câmara até o ano passado. Por isso não estaria fazendo muito esforço para remontar a maioria. Outros dizem que seria “muito caro” a reconquista dessa maioria. Não explicam que “caro” é esse, se é na ocupação de espaço na administração ou algo mais…

 

De tudo isso persiste uma certeza. Déda, embora diga o contrário, trabalha para ser candidato ao Governo no próximo ano e por sua vez, o governador João Alves (PFL), como adversário, tem procurado lhe criar o maior número de dificuldades possíveis e para isso vem utilizando-se do instrumento que tem às mãos no momento. A maioria da oposição na Câmara Municipal. Enquanto isso Déda não tem conseguido, nem recobrar a maioria na Câmara e muito menos construir um bloco forte de oposição ao governo na Assembléia para se contrapor às investidas do adversário.

 

Os próximos raunds dirão para que lado a maré tenderá….

 

 

Tá chegando

O comando do PSDB em Sergipe deve passar às mãos do senador Almeida Lima, neste final de março. Isso ao menos foi o anunciado desde o início deste ano pelo próprio senador.

 

Para quem não lembra 31 de março é a data comemorativa do “Golpe Militar” no Brasil. Será que o PSDB fará a intervenção em nome de Almeida? Dê sua opinião.

 

É federal

O ex-governador Albano Franco, segundo um amigo próximo, já tem definido em sua cabeça que cargo disputará em 2006: uma vaga na Câmara dos deputados. Senado e governo, segundo ainda este amigo, estão fora de cogitação.   

 

Franco atirador

Entre os políticos e profissionais de jornalismo em Sergipe, o deputado federal João Fontes, hoje no PDT, é chamado de “franco atirador”. Atira em todas as direções, mais não tem conseguido atingir o alvo. Que é sua reeleição.

 

Circo

Essas manifestações contra a transposição das águas do rio São Francisco, estão sendo transformadas em circo. Alguns poucos entram no picadeiro e o distinto público não consegue nem aplaudir, porque não entende nada. Se a água será captada antes da barragem de Paulo Afonso e também de Xingó, em que afetará o baixo são Francisco sergipano?

 

Queda

Quase todo o dia é noticiado a “queda” de um secretário importante do Governo. Se vai cair por que não citar o nome? Ou será blefe?

 

José Araújo é jornalista

josearaujo@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários