Chega de Violência

0

A aberração e a violência de uma  ação da Polícia Federal determinada pelo Ministro do STF ,Alexandre de Morais, causou revolta em todo o Brasil a ponto de exigir do Presidente da República, Sr. Bolsonaro, se dirigir as pessoas que se concentraram em frente ao Palácio do Planalto, um pedido formal de desculpas  e o compromisso de que tais fatos jamais voltar]ao ocorrer.  O próprio Presidente chegou a revelar que ainda havia muitas pessoas  a mais a serem “visitadas” pela PF que certamente sofreriam  violências extremas.

O ex-deputado Roberto Jefferson foi um dos que sofreram nas mãos da arbitrariedade e lamentou que sua ex-mulher, de quem é deixado há mais de 20 anos,  tenha passado  vexames estúpidos em seu apartamento com esses policiais que só cumpriam ordens, é verdade, e mas que extrapolaram num cumprimento destes ordens. Sara Winters, a chefe do Acampamento 300, em Brasília, dirigiu-se ao Ministro o Alexandre de Moraes, através de palavras duras, onde ela expressou o seu ódio por ter sido vítima de uma ação injusta e extravagante.

Um publicitário foi acordado logo cedo pela manhã, com o seu apartamento invadido por tropas da PF que não respeitaram a inviolabilidade do seu lar, e ameaçaram sua mulher gestante de quase nove meses, e sua filhinha menor de dois anos de idade. Os relatos dos que sofreram esta ação policial determinada pelo Ministro do STF, Alexandre de Moraes, são deveras impressionante – parecia que o País vivia um regime de exceção mais duro do que os tempos vividos em 1964, época do regime militar e do famigerado AI-5.

Não havia a quem recorrer, pois o Presidente do STF ,Sr.  Dias Toffoli, está internado num hospital em Brasília, passando por exames médicos. Vamos e convenhamos: o sr. Alexandre de Moraes não tem um passado que o autoriza a ocupar uma cadeira no STF. Por todos os cargos que passou anteriormente viu-se envolvido em atos de violência extrema. Certamente aproveitou-se da hospitalização do sr.  Dias Toffoli  para agir desta maneira sórdida e violenta. É de se esperar que a promessa do Presidente Bolsonaro de que isto não voltará a ocorrer seja levado a sério.  Até que se prove o contrário, este país ´é uma democracia, regido por Leis democraticamente aprovadas. E se dependesse do escriba, gente como Alexandre de Moraes deveria ser excluído do convívio de pessoas democráticas.

                OS CANDIDATOS

O País tem hoje uma série de inimigos públicos- pessoas que parecem só trabalhar contra todos. É o caso dos governadores de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Goiás. O interessante é que, até  agora, os três são candidatos à Presidente da Republica em 2022. No caso do governador de São Paulo, ele se perdeu durante essa pandemia do coronavírus. O que fez de besteira não está no gibi. O Governador Witzel já está sob observação de órgãos de segurança. O afã oposicionista dos três parece não ter operado o humor da opinião pública.

                NOVO FERIADO

Segunda-feira é um novo feriado – o governador Belivaldo Chagas no seu combate ao coronavirus  – decretou novo ponto facultativo em dias de semana. Então, segunda-feira que vem, o Estado não trabalhará. A sua presença é facultativa.

                O RACISMO DE VOLTA

A morte de um homem negro por um policial de cor branca, faz reviver as brigas raciais dos anos 40 a 60 nos Estados Unidos. O que parecia página virada já há algum tempo, voltou com tudo agora. Agora é ver como o Presidente Donald Trump vai reagir a essa revivência tardia. O que parecia página virada…

              JOSÉ FERNANDEZ

Um dos maiores artistas plásticos do momento em Sergipe, o notável José Fernandez curte uma quarentena no Hospital de Cirurgia, onde trata de insidiosa moléstia, que requer muitos cuidados. Os amigos ficam, do lado de cá, torcendo pela sua recuperação.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários