Chegar aos 90 anos de idade

0

Joana D’ Arc 

Comemorar 90 anos de existência é uma felicidade para quem busca a longevidade. Conheça um pouco da vida de Joana D’ Arc Sobral Pacheco, uma mulher que alcançou essa proeza por viver num estilo de vida simples e natural.

Quais são as atitudes realmente importantes para uma pessoa viver mais e melhor? Queremos ter informações sobre a vida de pessoas que alcançam a longevidade para poder obter uma vida duradoura com mais qualidade e saúde.

De acordo com o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a esperança de vida ao nascer, para ambos os sexos, em 2010 foi de 73,48 anos. As pessoas estão fazendo escolhas que permitem uma maturidade cada vez mais longa e feliz. Um dos exemplos está na vida de Joana, que se dedica a servir ao próximo e viver com naturalidade.

Homenagem dos netos Vanessa e Vítor

Joana nasceu no dia 17 de agosto de 1922, na cidade de Capela-SE, sendo a filha mais velha do casal Pedro Dias Sobral e Afra Maria Sobral.
Ela fala muito da sua adolescência em Laranjeiras e da escola de D. Zizinha Guimarães onde era sempre a primeira alunada da sala, laureada com medalhas.
O que Joana gostava mesmo era de dançar e de ter a companhia das irmãs Teresa e Maria Rosa e também da afilhada Cleonice, a quem ela considera como irmã.
Muito esperta e vivaz ela sempre participava das festas no mês de junho do colégio e das procissões das igrejas do Sagrado Coração de Jesus e N. Senhora de Conceição, onde sempre levava o estandarte. Viajava muito para Aracaju, de suburbano, para fazer o curso de Professora e passou a lecionar em Laranjeiras logo após se formar.

Sua grande paixão chamava-se Orlando e com ele namorou muitos anos até se casar e morar em Recife. Agora Joana realizou o sonho da vida dela, pois esperou dez anos para ser a esposa dele e dona de casa.

Seu esposo era proprietário de uma sapataria no centro comercial de Recife e eles viviam financeiramente bem. Com o passar dos anos Joana teve três filhos, Pedro Ranulfo, Jolanda e Orlando Filho. Muito amorosa, ela se dedicou na criação e educação das crianças. Com o passar dos anos, Joana almejava um esposo amoroso, mas só consegui um esposo companheiro, sendo pai dedicado e de valores nobres.

A tristeza na vida de Joana começou a pesar quando abruptamente ela perdeu o seu filho mais velho, quando ele tinha 20 anos e já cursava engenharia elétrica. O luto por Pedro Ranulfo a deixou numa depressão profunda a qual consegui vencer com fé e perseverança. Mais tristezas na vida de Joana aconteceram, sua situação financeira ficou ruim com a falência da sapataria e agora o dinheiro está contado para poder pagar as contas e criar os filhos. Ela tinha de ser talentosa para esticar o dinheiro com a venda de imóveis e economizar nos afazeres domésticos. Isso ela sabia fazer muito bem e nunca se revoltou com as adversidades da vida. Mãe dedicada, educou seus

O neto Vítor e a nora Vânia

filhos na base dos valores humanos, sua filha Jolanda, conseguiu se formar em Medicina e seu filho Orlando em Educação Física. Os altos e

Beijo do médico cardiologista e amigo, Eniedson e sua esposa Mônica

baixos da vida dessa mulher sempre foi buscando a paz e compreensão. Joana D’Arc é uma lutadora, como a heroína francesa e santa católica, pois é dotada de força e muito amor. Sua felicidade está no apego que encontra na Família e amigos. Recebe dedicação dos filhos, Jolanda e Orlandinho, apoio e carinho da nora, Vânia e dos seus queridos netos, Vanessa e Vítor.

Quando pergunto a Joana o que uma pessoa deve dar valor, ela diz que é na vida e na saúde, pois sem ela, não temos nada.
Pergunto também, o que não devemos dar importância. Ela relata que devemos deixar de lado as encrencas, pois isso é uma perda de tempo e prejudica a quem inicia ou dar continuidade as desavenças.

Com sua filha Jolanda, com roupa azul

Joana diz que para ter mais qualidade de vida devemos procurar alimentos naturais, controlar a alimentação, comer pouco, sem exageros, eliminar comidas gordurosas, respeitar os horários, não beber bebida alcoólica e não fumar. Procurar ter atividades com amigos, passear, tomar chás, propagar energias positivas, dormir bem, andar, ser útil, cozinhar, ler, ter bom humor, saber perdoar, e ser humanitário.

Com as irmãs, Teresa e Cleonice, parentes e amigos

Valsa com o filho, Orlando

Sobrinha Cássia e a filha Jolanda
O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais