Cheira a pocilga

0

O brasileiro está se acostumando com os tombos de ministros e outras pessoas graúdas do governo federal. Já é comum ouvir alguém perguntando quem será a bola da vez. Ontem, a Polícia Federal prendeu 38 figurões do Ministério do Turismo, acusados pelo desvio de R$ 4 milhões. Na semana passada já tinha caído o ministro da Defesa, Nelson Jobim, precedido pelo ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, que despencou após denúncias de superfaturamento e pagamento de propina em contratos do Dnit. Antônio Palocci também perdeu a ‘boquinha’ de ministro da Casa Civil porque não explicou direito como ganhou uma fábula sendo consultor de empresas. A continuar nesse ritmo, até o final do ano quase todos os integrantes do 1º escalão terão caído, deixando a presidente Dilma Rousseff (PT) paticamente sozinha para fazer a faxina desse governo com odor de pocilga.

Muita grana

O volume de recursos solicitados ao Ministério do Turismo pela bancada sergipana é coisa de tirar o fôlego. Matéria assinada pelo colega Cristian Góes, no Jornal do Dia desta quarta-feira, mostra que somente para bancar festas, inclusive particulares, nossos parlamentares apresentaram emendas no valor de R$ 55 milhões. Cristian informa, ainda, que o deputado federal Valadares Filho (PSB) é o campeão de emendas junto ao Ministério do Turismo. Sozinho, ele pediu a liberação de R$ 18 milhões. Danou-se!

Pulou a fogueira

O deputado federal Almeida Lima (PMDB) é mesmo um sujeito de sorte. Já pensou se ele tivesse sido convidado, como andaram espalhando, para o Ministério do Turismo? Estava agora às voltas para explicar a patifaria descoberta pela Polícia Federal e que resultou na prisão de 38 figurões daquele Ministério. Sortudo, Almeidinha pulou a fogueira.

A Morte vive

Enganou-se quem pensou que o prefeito de Cedro de São João, Jailton Rocha Santos (DEM), também conhecido como “A Morte”, havia morrido politicamente. Uma liminar garantiu seu retorno à Prefeitura. após ter sido afastado sob a acusação de improbidade administrativa. Feliz com a decisão, Jailton chegou ontem ao município em clima de festa para mostrar que não é tão fácil assim matar “A Morte”.

Cassado

O prefeito de Porto da Folha, Manoel de Rosinha (PT), teve o mandato cassado ontem pela Justiça. Ele é acusado pelo Ministério Público Estadual de improbidade administrativa por ter transferido servidores para funções inferiores às que exerciam com o objetivo único de persegui-los. Manoel de Rosinha ainda pode recorrer da decisão, mas se não abrir o olho fica desempregado e impedido de disputar outros cargos públicos.

Dançaram

E os forrozeiros que animaram o Arraial do Povo, montado na Orla de Atalaia para os festejos juninos, ainda não receberam a segunda parcela do cachê prometido pelo governo do Estado. A mesma situação vive Erivaldo de Carira. Ele espera ser pago pelo show que fez em abril durante a inauguração da rodovia Cuscuz com Leite, ligando Carira a Nossa Senhora da Glória: “Tocamos para os outros dançarem e acabamos dançando”, se queixa Erivaldo. Que lástima!

Agenda comum

Vinte governadores do Nordeste, Norte e Centro-Oeste se reuniram ontem em Brasília e definiram uma agenda comum de interesse imediato para as receitas estaduais. Eles pretendem garantir a melhoria das finanças públicas e ampliar o espaço fiscal dos estados já em 2012. A agenda unificada será discutida agora com o Congresso, a Presidência da República e o Supremo Tribunal Federal.

Contra a Adema

A Prefeitura de Aracaju interpôs recurso administrativo ao Conselho Estadual do Meio Ambiente requerendo a Licença Prévia para implantação do Aterro Sanitário Metropolitano. Recentemente a Adema emitiu parecer contrário à implantação do aterro na área pretendida pela Prefeitura. A presidente da Emsurb, Lucimara Passos, não concorda com a decisão da Adema. Ela garante que os estudos realizados pela empresa Terra Viva mostram que o terreno estudado é ideal para implantação do aterro.

Sem sorte

Os donos do Cajucap, que dizem vender títulos de capitalização e promovem sorteios semanais de prêmios, estão sem sorte. Ontem, o Ministério Público Federal (MPF) moveu uma ação contra o ‘negócio’ alegando que o Cajucap não passa de um jogo de azar mascarado. Segundo o MPF, sequer há um objeto principal, uma vez que não existe qualquer menção a planos de pecúlio ou seguro, mas apenas aos prêmios do sorteio. É, parece que sujou.

Do baú político

Eleições de 1988 para a Prefeitura de Aracaju. O médico Lauro Maia, que começou o embate liderando as pesquisas, despencava igual a avião em queda livre. Não por culpa dele, mas pelas trapalhadas dos coordenadores da campanha. Do outro lado, Wellington Paixão surfava no prestígio político de Jackson Barreto. Não adiantava a força da máquina (Lauro tinha o apoio de Valadares, João Alves, dos Franco e dos Teixeira), a candidatura governista definhava a olhos vistos. Para fechar o caixão, o encarregado pelos showmícios teve a brilhante idéia de convidar o cantor Wando, que estava estourado em todas as paradas de sucesso. Era o showmício de encerramento da campanha no populoso conjunto Augusto Franco. Quanto Wando começou a cantar “Você é fogo”, a praça respondeu em peso: “E eu sou Paixão!”. O bom Lauro perdeu feio.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários