Choradeira justa

0

A crise das prefeituras é fruto da exagerada concentração de recursos nas mãos do governo federal, que ainda faz festa com o chapéu alheio ao reduzir ou isentar de impostos determinados produtos. Quando promove desonerações, o Palácio do Planalto aquece a economia, porém reduz o quinhão tributário dos municípios, muitos deles totalmente dependentes dessa receita. Agiram certos os prefeitos ao abrirem o berreiro contra essa nefasta política tributária do governo federal. Além da choradeira, eles devem pressionar ainda mais os senhores deputados federais e senadores. Somente uma pressão através do Congresso fará a presidente Dilma Rousseff (PT) abrir a mão e liberar recursos para socorrer os municípios, antes que a maioria feche por total falta de dinheiro.

Sufoco

Socorro a desembargador com problema no carro causa prejuízo a motorista do Tribunal de Justiça de Sergipe. Leia sobre o assunto na nota ‘Essa é do baú’.

Sem risco

Não há risco de desabastecimento nos 71 municípios sergipanos atendidos pela Deso. Foi o que garantiu ao portal UOL o diretor de Operações da Companhia, Sílvio Múcio. Sobre a grande Aracaju, ele informou que o perigo de falta d’água é zero, pois a recém-construida Barragem do Poxim alcançou sua capacidade máxima devido às últimas chuvas. Legal!

Imprensa

O jornalista sergipano José Cristian Góes será ouvido hoje (29) em Washington numa audiência pública na sede da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA). Vai falar sobre os processos judiciais movidos contra ele pelo desembargador Edson Ulisses, que se identificou em uma crônica ficcional redigida por Cristian. Por causa disso, o jornalista já foi condenado a sete meses e 16 dias de prisão.

Muita grana

A economia sergipana deve ser receber agora no final do ano com cerca de R$ 1,08 bilhão resultante do pagamento do 13º salário à classe trabalhadora. Cerca de 703,40 mil pessoas vão receber o décimo em Sergipe, o que significa 1,44% do total que terá acesso ao benefício no Brasil e 8,50% do Nordeste.

Autógrafos

Como dizem os colunistas sociais, a sociedade sergipana de A a Z prestigiou ontem o lançamento do livro que trata sobre a gestão de Albano Franco à frente da Confederação Nacional da Indústria. A tarde de autógrafos aconteceu no auditório do Radisson Hotel Aracaju e contou com palestras dos jornalistas Ancelmo Góis e Eliane Catanhêde.

Revalida

Menos de 10% dos candidatos foram aprovados na primeira fase do Revalida, exame que avalia os diplomas médicos expedidos no exterior. Os candidatos ainda terão que ser aprovados na segunda etapa do exame para ganhar o direito de atuar livremente no Brasil. O exame é conhecido pelo alto grau de dificuldade. No ano passado, o índice de aprovação variou entre 6,41% para estudantes bolivianos (o mais baixo) e 27,27% de aprovação entre os venezuelanos (o mais alto).

Banese

O Conselho de Administração do Banese se reúne na próxima quinta-feira para homologar o nome do secretário da Fazenda, Jeferson Passos, como seu novo presidente. Ele vai substituir Vera Lúcia, que, na condição de presidente do banco, responde interinamente pela presidência do Conselho desde a renúncia do ex-secretário da Fazenda, João Andrade.

Certidões

O prefeito de Capela, Ezequiel Leite (PSC), informou que finalmente o município conseguiu todas as certidões negativas junto a órgãos como INSS, Caixa Econômica e Receita Federal. Com esses documentos, a Prefeitura já pode pleitear aos deputados federais e senadores que coloquem emendas parlamentares para Capela. Segundo o prefeito, o município perdeu cerca de R$ 18 milhões por ter ficado um ano sem certidões negativas.

Talião

Moradores de Propriá aplicaram ontem a Lei de Talião, expressa pela máxima olho por olho, dente por dente. Revoltados com o assassinato do vigilante José Barbosa dos Santos, 71 anos, os populares cercaram o assaltante e o mataram a pauladas, chutes e pontapés.

Queda livre

Piadinha que circula na internet: “O Vasco está?”. “Tá lá embaixo da tabela, quer que chame?”. “Não, eu o encontro na segunda divisão”.

Essa é do baú

Há cerca de 15 dias, um desembargador de Brasília telefonou aflito para o Tribunal de Justiça de Sergipe pedindo socorro, pois o carro em que viajava com a família quebrou nas proximidades de Aracaju. Como manda a ‘santa’ burocracia, a ligação foi passada para vários setores até que um servidor se sensibilizou e decidiu resolver o problema. Escalou um motorista para ir com um carro do TJ socorrer o doutor Alexandre. Com dificuldade para usar o moderno celular por falta de sinal, o magistrado pediu ao motorista que, antes de encontrá-lo, parasse em um posto de combustível e colocasse R$ 50 de crédito no telefone da doméstica que viajava com ele. De pronto, o rapaz estacionou numa loja de conveniência e passou o telefone à atendente para o desembargador orientá-la sobre o número de aparelho que receberia os créditos. Bastaram poucos minutos para o estrago ser feito. Do outro lado da linha, o falso magistrado – na verdade um vigarista, doutor em 171 –, mandou creditar R$ 1.900,00 em vários celulares. Resultado: o motorista do TJ só deixou o posto quando outros dois colegas foram socorrê-lo, emprestando seus cartões de crédito para pagar o prejuízo. Pior é que o vagabundo, certamente recluso em algum presídio nordestino, continua telefonando quase todos os dias para tirar onda com a turma do Tribunal de Justiça.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais