Chorando miséria

0

O secretário da Fazenda, Jeferson Passos, deve chorar miséria na Assembleia quando for apresentar o balanço financeiro do primeiro quadrimestre de 2014. Certamente repetirá para os deputados que o erário está em séria crise, sendo necessário adotar novas medidas para conter as despesas visando impedir que os gastos ultrapassem os limites definidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Esse discurso de pires na mão tem sido repetido há anos, sem que o governo anuncie providências para mudar o quadro. Por sua vez, a oposição repete que a coisa não é bem assim, contudo, não apresenta números confiáveis para justificar seu argumento. Como se fosse um siri, que sofre com a briga do rochedo contra o mar, o servidor estadual acompanha de bolso vazio o confronto de ideias entre o governo e a oposição. Uma lástima!

Navalha afiada

E o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), disse ontem que a Operação Navalha é coisa superada. Não é. Ele próprio figura entre os réus na ação penal que tramita no Superior Tribunal de Justiça para apurar crimes de corrupção passiva, peculato e formação de quadrilha. Além de João Alves, outros 11 figurões de Sergipe foram denunciados pelo Ministério Público Federal de integrarem e se beneficiarem de um esquema de desvio de recursos públicos e fraudes em licitações.

Não a violência

Foi lançada ontem a campanha nacional “Violência contra as mulheres – Eu ligo”. O objetivo é estimular as denúncias por meio da Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180. A campanha, que começa a ser veiculada em TV aberta e fechada a partir de domingo próximo, fica no ar por um mês. A iniciativa é da Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Ministério das Cidades e da Secretaria de Comunicação Social da Presidência. Legal!

Gazeteiros

Decididamente, o vereador Agamenon Sobral (PP) presta um serviço ao povo quando fiscaliza os postos de saúde de Aracaju e denuncia os médicos que não aparecem para trabalhar. Ontem, ele atestou que dos três médicos plantonistas na unidade Nestor Piva apenas um estava trabalhando. “O mais faltoso é o doutor Glauco. Por morar na Bahia ele nunca cumpre o horário de trabalho”, denuncia Sobral.

Sem auxílio

O deputado federal Mendonça Prado (DEM) é a favor Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que alterar o texto do auxílio-reclusão. De acordo com a PEC, o benefício não será pago a presos condenados pela prática de tortura, racismo, terrorismo, tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins, pedofilia e crimes definidos como hediondos.

Unanimidade

E o deputado federal Laércio Oliveira (Solidariedade) foi eleito ontem por unanimidade presidente da Fecomércio para o quadriênio 2014/2018. Logo após a votação, ele prometeu trabalhar com os demais diretores da Federação para atrair recursos visando reforçar as atividades sociais do Sesc e do Senac em Sergipe. Laércio substituirá o empresário Abel Gomes, cujo mandato termina no próximo dia 10.

Coco de fora

Apesar de ser o 3º maior produtor de coco do Brasil, Sergipe importou nos últimos quatro meses 482 toneladas do fruto seco. Originárias do Sri Lanka (72%), Vietnã (24%) e Malásia (4%) as compras representaram quase 1 milhão de dólares. O coco seco é utilizado como bem intermediário pelas indústrias sergipanas do setor de alimentos. Dados do IBGE revelam que em 2012 o coqueiral sergipano produziu 242,8 milhões de frutos.

Banese de fora

O prefeito João Alves Filho (DEM) se queixou que até o momento o Banese ainda não decidiu se vai patrocinar o Forro Caju, principal evento dos festejos juninos em Sergipe. “Ainda temos esperança de contar com o apoio do Banese”, disse o demista, ao anunciar a programação da mega festa caipira. Serão 30 dias de muita alegria ao som de 35 bandas e artistas nacionais e 270 locais. É forró pra ninguém botar defeito!

Sem greve

Após discutirem com o governo as reivindicações da categoria, os delegados de Polícia decidiram ontem que não farão greve. Promoção automática e incorporação de gratificações foram as principais reivindicações dos delegados. "Aceitamos a proposta por confiar no governo, que informou ter atingido o limite máximo da negociação", disse Kássio Keliton, presidente da Associação de Delegados. Enquanto isso, os policiais civis de Sergipe seguem em greve por tempo indeterminado.

Nome de guerra

Pela primeira vez, travestis e transexuais podem usar o nome social no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A medida foi celebrada por ativistas e atraiu mais candidatos ao exame. Segundo a Agência Brasil, 68 pessoas já solicitaram o uso do nome social pelo telefone 0800-616161 O prazo para este tipo de solicitação termina hoje, assim como o período de inscrição para o Enem.

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano Diário da Manhã, em 18 de dezembro de 1918

Resumo dos Jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais