Cidadania a varejo

0

A Câmara de Itabaiana pretende entregar em menos de dois meses 66 títulos de cidadania, todos aprovados entre 1989 e 2012. Os homenageados são políticos, comunicadores, militares, professores e outros menos votados, inclusive alguns que já não estão mais neste mundo. Por óbvia falta de tempo para realizar atos solenes, o presidente do Legislativo, vereador Zé Roberto Imperador (DEM), decidiu fazer a entrega da enxurrada títulos durante as sessões ordinárias. E mais: os laureados só terão cinco minutos para ir à tribuna agradecer a mesura e receber os vistosos diplomas. Na longa relação dos novos ceboleiros estão os governadores Marcelo Déda (licenciado) e Jackson Barreto (em exercício), senador Antônio Carlos Valadares, professor Jouberto Uchôa, ex-senador Zé Eduardo Dutra, jornalista Luciano Correia e outras sessenta pessoas. Aqui pra nós, este fato faz lembrar o fatídico ano de 1964, quando, para se curvar ao golpe militar, a Assembleia Legislativa entregou, numa única tarde, oito títulos de cidadão sergipano a oficiais do Exército.

Atraso

Desde que Marcelo Déda (PT) assumiu o governo de Sergipe em 2007, esta é a primeira vez que os servidores estaduais não recebem os salários dentro do mês. A folha de julho só começa a ser paga hoje. Os aposentados, pensionistas e o pessoal das autarquias vão botar a mão na grana somente no dia 1º de agosto, ou seja, quinta-feira próxima. O governo não deu qualquer explicação para o atraso do pagamento.

Separados

Em convenção extraordinária realizada ontem, o PMN nacional desistiu da fusão com o PPS para criar o Mobilização Democrática (MD). Pelo twitter, o tesoureiro do PPS em Sergipe, Marcos Aurélio, festejou a decisão: “Uma excelente notícia para os que defendem a democracia. Vamos retomar o processo de fortalecimento do partido, que tem uma história de luta em favor do povo brasileiro”.

Olhos da cara

De uma simpática dona de casa na saída de um supermercado em Aracaju: “Em vez de ficar zangado se alguém mandá-lo plantar batatas, receba a sugestão como incentivo ao empreendedorismo. É que o quilo do tubérculo já custa mais de R$ 5”. Misericórdia!

Nova empresa

A Prefeitura deve anunciar hoje a empresa de ônibus que vai substituir a VCA na Grande Aracaju. A retirada da concessionária agravou ainda mais o precário sistema de transporte coletivo da capital, Socorro, São Cristóvão e Barra dos Coqueiros. Empresários comentavam ontem que a Real Alagoas é uma das cotadas para substituir a VCA. Será?

Insistência

E a Prefeitura de Aracaju não abre mão de aterrar uma extensa área do rio Sergipe para fazer ali uma obra eleitoreira. É quase certo que a Procuradoria do Município recorra contra a decisão judicial, obrigando a realização de obras emergências visando liberar o trecho interditado da avenida Beira Mar. Pior é que a Prefeitura não dispõe de qualquer estudo técnico para justificar a pretendida agressão ecológica.

Parada Gay

Os organizadores da 12ª Parada do Orgulho LGBT de Sergipe se reúnem depois de amanhã no quartel da Polícia Militar visando definir a segurança da festa, marcada para o próximo dia 11 na Orla de Atalaia. A previsão é que mais de 100 mil pessoas participem da colorida e animada festa.

Novo diretor

O advogado Armando Batalha Júnior assume nesta segunda-feira a diretoria administrativa e financeira da Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur). O cargo estava vago desde o início do ano, quando o jornalista André Carvalho preferiu deixá-lo para ser secretário adjunto da Prefeitura de Aracaju. O novo diretor é filho do presidente do PRP em Sergipe, ex-deputado estadual Armando Batalha.

Labuta

As merecidas férias dos parlamentares terminam quinta-feira próxima. A 1ª sessão deverá ser apenas protocolar, pois deputados e vereadores retornam ao ‘batente’ muito cansados das visitas feitas às bases eleitorais. Portanto, ‘trabalham’ por pouco tempo na quinta e folgam até segunda-feira da semana que vem. Ô vidão, hein!

Do baú político

O primeiro embaixador negro do Brasil foi um sergipano de Estância. Nascido em 1923, Raimundo Souza Dantas chefiou as embaixadas brasileiras de Gana (1961) e da Argentina (1976). Para chegar lá, no entanto, ele comeu o pão que o diabo amassou. Filho de uma lavadeira e de um pintor de paredes – ambos analfabetos –, Souza Dantas quase não frequentou a escola. Foi aprendiz de ferreiro e marceneiro, entregou embrulhos, trabalhou numa tipografia e na oficina do Correio de Aracaju. Ao chegar no Rio de Janeiro, vendeu frutas até conseguir vaga de contínuo no jornal Diretrizes. Incentivado pelo jornalista Joel Silveira, Raimundo leu grandes autores, faz amizade com vários outros, a exemplo de Graciliano Ramos, e aprendeu francês. Em 1944, escreveu o primeiro romance: Sete Palmos de Terra. O estanciano autodidata foi nomeado embaixador de Gana pelo presidente Jânio Quadros. No livro "África Difícil, Missão Condenada: Diário" (1965), Souza Dantas narra a discriminação racial de que foi vítima, por parte de intelectuais e diplomatas brasileiros. Autor de oito livros, Raimundo morreu no Rio de Janeiro em 2002.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários