Cidadão investigativo e a imprensa

0

Com tantos problemas pulando ao nosso redor numa grande cidade, e até mesmo nas pequenas, a imprensa já não tem mais condições de ser o intermediário único entre o cidadão comum e os tomadores de decisões. A lacuna está sendo preenchida por iniciativas que só poderiam ser possíveis num ambiente como a internet, um espaço que cada vez mais se parece a um baú de soluções.

 

Os moradores da cidade inglesa de Birminghan, orientados por um repórter do jornal The Guardian, resolveram investigar por conta própria a atuação dos políticos regionais, agora que a Inglaterra se prepara para eleições gerais do dia 6 de maio. É um caso de parceria entre um jornalista profissional e membros de uma comunidade para  tentar resolver o vácuo informativo causado pela incapacidade da imprensa de estar em todos os lugares.

 

O repórter e professor de jornalismo Paul Bradshaw criou o site Help Me to Investigate e chamou os moradores de Birminghan para que sugerissem temas que afetam a população da cidade e que estão sendo menosprezados por políticos e administradores locais. A principal ferramenta do site é a produção colaborativa por meio da qual os moradores reúnem dados e informações sobre temas visando pressionar os legisladores. 

 

É um exemplo do que pode ser feito com poucos recursos para gerar grande impacto social e político. Não é preciso ser nenhum gênio da informática e nem especialista em informação. Basta a vontade de usar ferramentas digitais para forçar os políticos e administradores a trabalharem em sintonia com a comunidade. 

 

A iniciativa atraiu também a atenção da imprensa britânica, especialmente o jornal local de Birminghan, cujos repórteres passaram a postar perguntas aos leitores usando o site Help Me to Investigate. Esta parceria entre público e editores começou por acaso quando o jornal Birminghan Post usou dados fornecidos por leitores para compor uma reportagem sobre as ruas preferidas pelos policiais para multar carros mal estacionados. Com as informações do público, o jornal montou um mapa da incidência de multas, que serviu de base para uma revisão do tráfego de veículos na região. 

 

 Nos Estados Unidos, a Escola de Jornalismo da Universidade da Califórnia (Berkeley) promoveu na semana passada um simpósio sobre jornalismo investigativo dedicado quase que exclusivamente ao debate de experiências colaborativas. Para os 23 panelistas que participaram do debate, não há mais dúvidas de que a parceria — mais do que uma mera participação — com o público é um componente obrigatório da produção de reportagens investigativas.

 

 

 

O que dividiu os participantes foi a questão das formas de financiamento das organizações que aglutinam leitores, ouvintes, telespectadores e internautas, como é o caso da Help Me to Investigate. Entre os participantes do simpósio se encontravam representantes de cerca de 20 projetos de produção colaborativa de notícias de vários países.

 

A leitura da transcrição dos debates mostrou também que a categoria de reportagem investigativa tende a perder sentido, na medida em que todo o trabalho jornalístico passa a ser investigativo. A diferença surgiu por conta da burocratização da cobertura noticiosa, nos últimos 20 anos.

 

Agora, uma pergunta ao leitor do Código: você estaria disposto a participar de uma iniciativa similar aqui no Brasil? (Carlos Castilho em artigo publicado no Observatório da Imprensa).

 

 

Projeto da Zona de Expansão

O presidente Lula informou ao governador Marcelo Déda que, já na próxima semana, analisará o projeto de macrodrenagem da Zona de Expansão. A iniciativa presidencial visa agilizar a liberação de R$ 26 milhões destinados ao projeto de combate as enchentes. A audiência aconteceu na sexta-feira, 23, à noite com o governador Marcelo Déda, o presidente da AL, Ulices Andrade e o representante do estado em Brasília, Pedro Lopes.

 

Mais verbas

 O governador explicou que já tem R$ 30 milhões assegurados, mas precisa de mais verbas, principalmente para os municípios de Aracaju, Laranjeiras e Maruim. O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, não participou da audiência porque foi ao Rio de Janeiro receber o prêmio de Saúde Bucal para Aracaju, através de premiação do Conselho Federal de Medicina.

 

Almoço de adesão

O ex-deputado Jorge Araújo, foi surpreendido na última sexta-feira com um almoço de adesão promovido pelos amigos que são simpáticos a sua candidatura a Assembleia Legislativa pelo PSL. Além dos amigos e diversas lideranças políticas do interior, participaram do almoço no hotel Aquarios, os secretários Jorge Alberto (Administração), José Lima (Educação), João Andrade (Fazenda), o ouvidor do Estado, Luiz Eduardo Costa, o empresário Edvan Amorim e o ex-deputado federal Heleno Silva, entre outros.

 

Venâncio ironiza JB

Para o líder da oposição na AL, deputado Venâncio Fonseca (PP) as criticas do deputado federal Jackson Barreto (PMDB) taxando-o de mentiroso e irresponsável tem uma origem: Almeida Lima, senador do PMDB. Venâncio entende que Jackson passa por um momento delicado por conta da decisão de Almeida Lima em disputar a reeleição.

 

Presidente que não manda

Para Venâncio d as agressões de Jackson Barreto são reflexos da força de Almeida Lima dentro do PMDB. “Essa ofensiva de JB para mim só se explica de uma forma: ele teve que ceder em 2008 quando Almeida Lima foi candidato a prefeito de Aracaju. Agora ele vai ter que fazer o mesmo porque Almeida vai disputar a reeleição que é um direito natural seu. Em síntese, Jackson está sentado na cadeira de presidente, mas não manda em nada! Em fim de carreira, ele deveria ser menos raivoso e buscar ter mais credibilidade junto ao povo sergipano.  Jackson já fez tanta calúnia que hoje caiu no descrédito”.

 

Laranjeiras recebe Feira de Oportunidades

O Clube Recreativo Antônio Carlos Franco recebe nesta terça-feira (27) a primeira Feira de Oportunidades de Laranjeiras promovida pelo Conselho Comunitário da Votorantim Cimentos. O evento, que é totalmente gratuito, será realizado das 14h às 22h, tendo como público-alvo empreendedores e pessoas interessadas no desenvolvimento local.

 

Projeto Empreende Laranjeiras

A Feira de Oportunidades faz parte do projeto Empreende Laranjeiras, um ciclo de iniciativas em benefício da qualificação dos empreendedores locais. O principal objetivo é elaborar um plano de desenvolvimento dos empreendedores locais, com o apoio de parceiros e empresas da região, que incrementará parte dos pequenos negócios do município

 

Mesa de Enrolação da CUT toma calçadão

 A retomada do diálogo e a valorização do servidor público. De acordo com o sindicalista Cristiano Cabral, vice-presidente da Central Única dos Trabalhadores, não existe outra explicação para a insistência com que a CUT vem cobrando a retomada da Mesa de Negociação Permanente instituída pelo Governo para mediar o debate com o funcionalismo. Depois de solicitar a reabertura dos trabalhos formalmente, em audiência com o Secretário de Administração Jorge Alberto, no último dia 23 de março, a Central realizou um ato público no Calçadão da Rua João Pessoa, ontem pela manhã, quando colocou sua própria mesa na rua. De maneira bem humorada, o cardápio da Mesa de Enrolação da CUT ofereceu uma porção de enroladinhos como Prato do Dia.

 

Solidariedade a luta

Representantes de diversos sindicatos, a exemplo do Sintese e do Grupo Atitude, além da deputada estadual Ana Lúcia, manifestaram solidariedade à luta encampada pela CUT. De acordo com a parlamentar, as restrições impostas pela Lei Eleitoral não podem ser utilizadas como empecilho para que o Estado converse com os sindicalistas. “A luta dos trabalhadores não está restrita à questão salarial. O governo precisa sentar com os seus representantes para conhecer as demandas dos trabalhadores”.

 

Próxima rodada da enrolação

O professor Dudu, presidente da CUT, informou que, no caso do Governo não conceder atenção aos trabalhadores, a próxima rodada da Mesa de Enrolação já tem local e cardápio definidos. “Iremos para a porta do Palácio do Governo, com uma porção de enroladinhos, e algumas fatias de pizza”.

 

Mutirão de Limpeza contra Dengue no Coroa do Meio

Neste sábado, dia 24, a Prefeitura de Aracaju vai inserir as atividades do Mutirão de Limpeza contra Dengue no bairro Coroa do Meio. Os trabalhos serão abertos às 8 horas na Praça Durval Andrade. Agentes comunitários, de endemias, de limpeza e de fiscalização de terrenos baldios vão atuar de forma integrada em todo o bairro com um único objetivo: intensificar o combate ao mosquito transmissor da doença.

 

Fiscalização de terrenos baldios

Serão executados serviços de varrição, capinação, recolhimento de lixo e pintura de meio fio, fiscalização de terrenos baldios. Além disso, será realizado um grande bota fora de lixo e entulho. A ideia é estimular a comunidade a eliminar materiais que precisam ser descartados, evitando, dessa maneira, o surgimento de focos do Aedes aegypti. É preciso que a PMA atue com rigor na questão dos terrenos baldios. A Coroa do Meio é a área que tem mais terrenos baldios da cidade. É preciso cobrar a responsabilidade dos proprietários.

 

A Vale aposta em Sergipe

A Vale já confirmou sua presença na Feira da Indústria e Inovação Tecnológica, garantindo junto à Êxito Eventos patrocínio Diamante. Com este patrocínio a Vale estará ao lado do Governo apoiando a realização do maior evento do setor industrial de Sergipe. No pavilhão, a mineradora estará com um stand de 60m² onde dará uma pequena demonstração dos minerais que explora em Sergipe. A Vale, bem como o Banco do Brasil, Banese, a FIES, o BNB, o SEBRAE e outros órgãos, estão apoiando a realização da FITEC e apostam no sucesso do setor produtivo sergipano. A Vale acredita no desenvolvimento da indústria sergipana.

 

MCS apóia fórum dos municípios petrolíferos

Aracaju recebe nos dias 27 e 28 de abril o III Fórum de Desenvolvimento dos Municípios Petrolíferos em Sergipe, cujas atividades acontecerão no Hotel Parque dos Coqueiros a partir das 20h da próxima terça-feira, 27. A abertura do evento será feita com a palestra magna Perspectivas e Desafios para os Municípios Petrolíferos Diante da Realidade do Pré-Sal, a ser proferida pelo engenheiro José Renato Ferreira de Almeida, atual coordenador do Programa de Mobilização da Indústria do Petróleo (Prominp).

 

Contribuição para os municípios

O evento é uma promoção do PROMINP e do Governo do Estado de Sergipe, e está sendo desenvolvido em parceria da Petrobras com o Sebrae Sergipe, contando com o apoio da Rede Petróleo & Gás, do Movimento Competitivo Sergipe (MCS), do Gespública Sergipe e da Prefeitura Municipal de Aracaju. O objetivo geral do Fórum é contribuir para o desenvolvimento local e territorial sustentável dos municípios petrolíferos sergipanos, através do fomento à cultura da gestão e do incentivo à construção de redes de cooperação.

 

 

Retratação para com “Lila” ex-vice-prefeito de Lagarto/SE

Em 23 de Dezembro de 2009 este espaço publicou uma nota tecendo comentários sobre o município de Lagarto/SE, intitulada “político sem compromisso”, onde fazia a afirmação de que o ex-vice-prefeito Lila Fraga, recebia duplo salário, como vice e como secretário especial, além de escrever que tinha como provar por meios de documentos. Ocorre que tal informação não é verdadeira, e por equívoco deste jornalista foi publicada erroneamente. Assim, diante da confirmação de que o ex-vice-prefeito de Lagarto/SE, José Wilame de Fraga – “Lila”, não recebia duplo salário, bem como que este profissional prima pela verdade, vem a público para pedir desculpas ao ex-vice-prefeito de Lagarto/SE, José Wilame de Fraga – “Lila”, pelos constrangimentos por conta da informação inverídica transmitida por este blog.

 

DO LEITOR

Esclarecimentos aos leitores

Por conta de alguns processos judiciais, envolvendo e-mails de leitores, este espaço vai exigir que todo texto enviado com denúncias seja identificado com todos os dados do responsável (C.I. e CPF), inclusive o endereço e telefone fixo, para a devida comprovação antes da publicação das informações. Somente desta forma o blog deixará de ser responsabilizado judicialmente por alguns textos, evitando os transtornos para o titular deste espaço, já que começa a afetar não apenas o lado profissional, mas pessoal.

 

 

 

Resposta: Deso é caso de polícia. E de justiça também

Caro Jornalista Cláudio Nunes,Em seu blog de 22.04.2010, sob o título “Deso é caso de polícia. E de justiça também”, o leitor Messias Gonçalves tece comentários sobre a forma como a DESO calcula sua tarifa de água. Pelo visto, o Sr. Messias não procurou conhecer o sistema de tarifação da DESO, que se coloca a disposição para esclarecer-lhe, e a qualquer pessoa, sobre este assunto.Cabe comentar que, diferentemente do que dá a entender dito Senhor, a cobrança das tarifas da Cia de Saneamento está amparada em arcabouço legal, isto é, a DESO não pratica qualquer cobrança de serviços sem o devido amparo legal. Neste caso, o amparo legal está disciplinado na Lei Nº 4.898, de 10 de Julho de 2003, publicada no Diário Oficial Nº 24324, do dia 16.07.2003.Como forma de esclarecimento, o quadro tarifário da DESO é composto por faixas de consumo. A primeira faixa traz a tarifa mínima para consumo de água, que atualmente é de R$ 17,25 para quem consome até 10m3 mensais. As faixas subsequentes são de 11 a 20m3 mensais; de 21 a 30m3 mensais; de 31 a 50m3; de 51 a 100m3 mensais e acima de 100m3 mensais. Estas faixas são válidas para o consumo residencial. O cálculo é escalonado, isto é, o usuário paga sempre a tarifa da faixa de consumo para o consumo naquela faixa. No caso do Sr. Messias, e em qualquer caso residencial, a conta de água com consumo de 35m3 é assim calculada: para os primeiros 10m3, o valor da tarifa mínima, R$ 17,25; de 11 a 20m3, o valor desta faixa que é de R$ 3,86/m3, o que totaliza R$ 38,60. Para o consumo de 21 a 30m3, o valor desta faixa, que é de R$ 5,87/m3, totalizando R$ 58,70. Para o consumo de 31 a 35m3, o valor desta faixa que é de R$ 8,22/m3, totalizando R$ 41,10. A totalização da conta fica em R$ 155,65(R$ 17,25 + R$ 38,60 + R$ 58,70 + R$ 41,10). Se a cobrança fosse como induz o Sr. Messias, isto é, se o consumo é de 35m3, a cobrança deveria ser pela tarifa até os 30m3, o valor da conta saltaria para R$ 205,45 (35m3 x R$ 5,87/m3). Na reclamação do Sr. Messias, acreditamos que o valor da fatura alegada por ele deva ser de R$ 88,05 (R$ 58,70 + R$ 29,35). Não conseguimos encontrar o valor de R$ 80,05. Este valor – R$ 88,05 – somente inclui o consumo de 21 a 35m3, isto calculando o consumo de 31 a 35m3 pela tarifa de consumo de 21 a 30m3. “Esqueceu”, o Sr. Messias, de incluir o valor do consumo dos primeiros 20m3. Acreditando ter contribuído para elucidar a questão, a DESO novamente se coloca a disposição, através dos seus canais de atendimento, para esclarecer qualquer questão inerente a sua prestação de serviços. Éverton dos Santos Teixeira

Diretor de Administração e Finanças – DESO.

 

 

Uma questão de valores

Do leitor Carlos Nascimento: “A imprensa, este blog inclusive, tem cada vez mais repercutido duas questões que afetam a juventude em nosso estado, uma é o avanço das drogas, outra são os problemas que alguns jovens têm causado em um dos nossos shoppings.Muito já se escreveu e foi debatido por psicólogos, educadores, jornalista, etc. Cada um tem a sua opinião sobre o que vem causando isto, e eu, apesar de não ser dos mais qualificados, vou acrescentar algumas linhas, acerca de um ponto que creio ser crucial, a perda de valores positivos referenciais.Hoje o grande referencial é o da lei da selva, ao invés de se discutir civilidade no trânsito opta-se por culpar a prefeitura que multa alguém que viola as leis de trânsito, ou cobra-se gastar dinheiro com campanha de educação para o trânsito com alguém que já deveria estar educado a partir do momento em que conquistou a sua habilitação. Cala-se diante daqueles que furam a fila; joga-se papéis na rua sob a desculpa que não há lixeiras e ainda diz “é só um papelzinho”.No Jackson de Figueiredo, colégio onde estudei, no escudo há o lema educar e instruir, deixando claro que são dois processos distintos, e  os Professores Benedito e Judite Oliveira cuidavam e vigiavam pessoalmente para que isto fosse cumprido. Hoje o que se chama educação resume-se a acumular conhecimento para galgar mais um degrau até que seja mais um nome na publicidade de cursinhos e colégios para mostrar o quanto eles treinaram bem os seus pupilos. No dia 23 de abril, celebrou-se o Dia do Escoteiro, o membro de um movimento de educação não formal, surgido há 103 anos na Inglaterra e que no Brasil chegou há 100 anos com a colaboração de um sergipano, Manoel Bomfim. O Escotismo é um movimento de educação não formal,  uma escola de valores, para crianças e jovens de todas as classes sociais, tocada por voluntários que doam seu tempo para contribuir para um mundo melhor.Interessante que no surgimento do Escotismo quem era de esquerda taxava-o de direitista, por pregar valores espirituais de cidadania; e quem era de esquerda taxava-o de direita porque dá às crianças e jovens instrumentos de decisão, e por seu cunho internacional.Mas o mais importante, estes valores que são trabalhados na infância e juventude permanecem por toda a vida, como testemunhou o Vice-Presidente José Alencar em entrevista a “O Globo” quando questionado sobre seu sorriso permanente e a coragem em enfrentar as dificuldades, ele respondeu, fui escoteiro e aprendi que “o escoteiro é alegre e sorri nas adversidades”, filosofia simplista, presente há 100 anos e que hoje povoa os manuais de auto ajuda”.

 

Oficina Antinuclear do Nordeste

Do leitor Carlos Eduardo Silva: “Quem disse que só os políticos que são a favor das usinas (Albano Franco e Marcelo Déda) e os professores e estudantes de Física da UFS, é que estão organizados para defender a construção de Usinas Nucleares e a proliferação desta temática? Pois estes que fiquem de olho, pois na próxima semana ocorrerá em Olinda (PE) uma mega reunião das maiores e melhores organizações ambientalistas do Brasil, claro que eles “Os Exterminadores do Futuro” não poderão participar, pois é uma reunião só para convidados, neste caso as pessoas que são contrárias à construção de usinas nucleares. No evento além dos dirigentes das maiores ONGs ambientalistas do Brasil estarão presentes especialistas no assunto e vitimas de acidentes nucleares ocorridos no Brasil e no mundo, a exemplo da turma que foi prejudicada pelo acidente do Césio 137 (Goiânia, GO). Por Sergipe está confirmada a participação de Professor Cadu Silva, presidente do Instituto Socioambiental Árvore e diretor da Sociedade Brasileira de Ecoturismo, durante o evento este político e ativista estará nutrindo a imprensa sergipana com informações em tempo real sobre o evento através de seu Twitter http://twitter.com/cadusilva25 (interessados entrem em contato pelo e-mail contato@cadusilva.com.br). Fiquem de olho! Energia Nuclear! Nem aqui e nem em qualquer outro lugar!”

 

 

Participe ou indique este blog para um amigo: 

claudionunes@infonet.com.br

 

Frase do Dia

“O cidadão é o poeta do direito e da justiça; o poeta é o cidadão do belo e da arte”. José de Alencar.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários