Como melhorar a qualidade da educação?

0

A qualidade da educação nas escolas públicas brasileiras é péssima. Grande parte dos alunos conclui a quarta série sem saber fazer operações matemáticas simples. Mas como pode um estudante brasileiro da rede pública ter aulas de matemática praticamente todos os dias letivos durante quatro anos e não saber nem mesmo fazer operações de multiplicação ou ler as horas em relógios de ponteiros? Ou os professores não sabem que devem ensinar operações de multiplicação; ou sabem que devem, mas não sabem como; ou não aparecem para dar aulas; ou sabem, aparecem, tentam ensinar, mas os alunos não aprendem. A realidade contém um pouco disso tudo.

 

Na verdade, parcela significativa do aprendizado depende da estrutura familiar e da participação dos pais. Como o Brasil demorou para acordar para a importância da educação, os pais dos alunos atuais passaram pouco tempo na escola e não sabem como ajudar os filhos a aprender. Logo, a tarefa dos professores fica bastante dificultada, pois grande parte dos alunos atuais não consegue aprender. Mas o que fazer, já que não podemos esperar o tempo passar até que as novas gerações de famílias resolvam esse problema? Já sabemos que a pedagogia “paz, amor e esperança” não funciona. Ela é muito bonita, como os livros de autoajuda, mas não ensina os alunos a fazer as contas de matemática necessárias a seu futuro profissional. Logo, os secretários têm que atuar diretamente sobre os fatores a seu alcance.

 

O governo federal teve uma boa iniciativa, ao lançar um novo índice de qualidade da educação, o Ideb, e traçar metas para todos os municípios até 2022. Mas o governo federal quase não tem escolas e, assim, tem poucas condições de ajudá-las a atingir as metas, a não ser com distribuição de recursos. E isso não basta. A tarefa está com os secretários da Educação. Os secretários têm muito pouco a fazer com relação à formação dos professores, que é muito deficiente. Essa tarefa cabe às faculdades de pedagogia, que passam muito tempo debatendo os grandes pensadores da educação e pouco tempo ensinando os professores a dar aulas. A primeira coisa a ser feita pelos secretários é estabelecer um currículo mínimo, para que os professores saibam o que ensinar para cada série em cada semestre – o que foi feito em São Paulo. Mas isso também não basta. É necessário estabelecer um sistema de incentivos, para atrair os melhores professores e fazer com que eles sejam recompensados pelo seu esforço.

 

Se todos os professores receberem o mesmo salário e bônus no final do ano, a tendência é haver uma acomodação. Afinal, por que o professor vai estar presente sempre e se esforçar para dar boas aulas se, no final do ano, ele vai receber o mesmo que seu colega que falta muito e não está preocupado com o aprendizado dos alunos? Com relação aos professores temporários, sua própria existência é sinal de que alguma coisa está errada. Afinal de contas, a rotatividade dos professores é um dos fatores que mais provocam a diminuição de aprendizado dos alunos. Mas, já que não há um número suficiente de professores concursados, que pelo menos a escolha dos temporários seja feita por meio de uma prova, para que os alunos tenham aulas com os melhores professores dentre os temporários.

 

Mas por que o sindicato de professores reage com tal veemência a propostas desse tipo? Basicamente, porque os sindicatos não estão preocupados com o aprendizado dos alunos, mas com as condições dos professores que já estão na escola. Se novos (e melhores) professores forem alocados para a sala de aula, o sindicato perde parte de sua base de eleitores. O ideal seria que a secretaria e o sindicato atuassem em conjunto para melhorar o desempenho dos alunos. Mas, em algumas situações, os interesses da sociedade e os dos sindicatos caminham em direções opostas. Nesses casos, as secretarias têm que avançar muito lentamente, para evitar as greves, acordando com os sindicatos cada medida, de forma a não prejudicar os seus interesses. Quem perde com isso são as famílias mais pobres e o Brasil como um todo. (Artigo publicado na FSP, de Naércio Aquino Menezes Filho, doutor em economia pela University College London (Inglaterra), é professor titular e coordenador do Centro de Políticas Públicas do Ibmec São Paulo e professor da FEA-USP)

 

Ainda a qualidade da educação

Novamente um trecho do artigo acima:”…Mas por que o sindicato de professores reage com tal veemência a propostas desse tipo? Basicamente, porque os sindicatos não estão preocupados com o aprendizado dos alunos, mas com as condições dos professores que já estão na escola…” Parece coincidência, mas este espaço vem batendo na tecla da qualidade da educação há muito tempo, mas os setores interessados preferem tentar desqualificar este espaço. Só que esquecem de soltar o osso…”

 

Pergunta difícil

Em uma escola pública do Estado de Sergipe, a professora perguntou ao aluno: Antônio Marcelo. É mais fácil ganhar do time do Sergipe ou fugir da cadeia em Sergipe? O aluno chorando falou: “fessora ocê num gosta deu. Só faiz pergunta difice”.

 

Cadê as associações dos policiais?

Com relação aos duelos envolvendo policiais por causa do som alto, até agora não se viu nenhuma manifestação das entidades representativas dos policiais, civis ou militares, sobre o assunto. Será que é também por causa das condições de trabalho que eles estão a duelar em via pública? Será que é por que eles não respeitam a tal autoridade um do outro? Ou será que isso de brincar matando companheiros de polícia é também um “bico”. Esse seria um bom momento para que as entidades de representação viessem a público dizer alguma coisa sobre o que está acontecendo. Não vale alegar que os tiroteios acontecem por causa dos baixos salários.

 

Novo governo e os policiais

A muito se debate sobre a legalidade ou o preparo de policiais Militares e Civis para o uso de armas de fogo no momento de folga e principalmente e locais onde realizam-se  eventos públicos. Pergunta?  Não seria “Novo” um governo que investisse na formação de RH nas corporações pra treinamento e requalificação !!!

 

Itabaianinha e a Gripon

Quem não lembra do projeto de criação de um pólo têxtil em Itabaianinha, capitaneado por ninguém menos que o então secretário da Indústria e Comércio, Zezinho Guimarães, em parceria com uma tradicional família que comanda há anos a política local? Pois bem, tudo começou com a construção (com dinheiro da Codise) de uma grande fábrica chamada Gripon, de propriedade de um dos membros daquela família, comerciante com atuação em São Paulo. Foram centenas de empregos gerados em pouco tempo, mas não tardou e as coisas começaram a se modificar: a fábrica deixou de produzir diretamente, demitiu a maior parte dos empregados e “estimulou-os” a se transformarem em pequenos industriais, garantindo a compra da produção. Uma terceirização disfarçada, para fugir das obrigações trabalhistas. Anos depois, desinteressado com a fábrica, o comerciante radicado em SP arrendou-a para o então gerente que conseguiu tocar o negócio, ampliando-o e pagando os valores do arrendamento, até que, no final do ano passado, foi surpreendido com a ordem de cair fora, tomando um prejuízo de alguns milhões de reais e sem poder fazer nada porque todos os acertos haviam sido feitos verbalmente, na base da confiança.

 

Quase mil trabalhadores de braços cruzados

Mas o pior aconteceu há poucos dias: o proprietário simplesmente fechou a fábrica, deixou de fazer encomendas para os pequenos produtores, em quem deu calote coletivo, e o município vive hoje uma situação de grave crise, com quase 1 mil trabalhadores de braços cruzados. Nesse bolo todo ainda existe o escândalo das máquinas de costura que o Senai teria fornecido ao Sebrae (a essas alturas Zezinho Guimarães já à frente) para fins de treinamento e que terminaram sendo incorporadas ao patrimônio privado (sobre isso o TCU já abriu procedimento para apuração dos fatos). Conclusão: a farsa começa a ser desmontada. O empresário benfeitor que fica rico em SP e volta para ajudar seus conterrâneos revelou sua verdadeira face, ou seja, queria mesmo usar desse esquema para perpetuar sua família  no poder. Como não poderia ser diferente, a figura de Zezinho Guimarães é ator coadjuvante de mais uma novela recheada de mal-feitos.

 

Ciosp já está quase pronto

O Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) que funcionará no antigo prédio da Secretaria de Transportes, na Avenida Maranhão, está quase pronto. Entre as ações, o novo centro integrado 190 vai funcionar como banco de dados, centralizando as informações que serão úteis para planejamentos e ações futuras de prevenção e combate à criminalidade. Assim que o sistema for inaugurado, o cidadão que discar 190 terá sua chamada encaminhada a uma central especialmente preparada para o atendimento de emergências.

 

Avaliação do PAC

O governador Marcelo Déda não participou da abertura do ano legislativo na Assembléia Legislativa ontem, 16, por encontra-se em Brasília, onde manteve audiência com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, abordando assuntos de interesse do Estado. Hoje, 17, o governador tem audiência com o ministro da Justiça, Tarso Genro e outra no Palácio do Planalto sobre uma avaliação do PAC com membros da Casa Civil e da Caixa Economica Federal.

 

Capacidade para enfrentar a crise

Entre os pontos que podem ser destacados na mensagem lida pelo secretário da Casa Civil, Oliveira Junior, o controle das finanças governamentais. No ano passado o governo conseguiu reduzir em 37% seu endividamento, que somados com o ano de 2006 chega a 50%. Ou seja, a divída consolidada do governo chega hoje a metade do que foi encontrada há dois anos. Na mensagem, o governo deixou claro que o Estado tem capacidade financeira para enfrentar a crise atual, justamente porque passou dois anos com uma política de ajuste fiscal e de responsabilidade. O governo agiu com responsabilidade, o sinal de alerta por conta da crise está acesso, mas os investimentos serão mantidos para estimular a economia. Obs: Para este sucesso é indiscutível o acerto fiscal realizado pelo ex-secretário Nilson Lima.

 

Patrimônio do Banese fortalecido

Outro dado mostrado na mensagem governamental foi, sem citar o nome, um recado para o deputado Mendonça Prado e acabar com os boatos. O governo deixou claro que o Banese tem índices excepcionais e no ano passado, como principal acionista (65%), o governo do Estado abriu mão do lucro para que estes recursos fossem reaplicados no próprio banco. A conseqüência foi a expansão do crédito do banco em mais de R$ 400 milhões.

 

R$ 250 milhões do BNDES

Ainda na mensagem o governador disse que manterá os investimentos nas áreas prioritárias como educação, saúde, segurança e infraestrutura, que será reforçada com mais R$ 250 milhões através do BNDES, do programa “Sergipe cidades”. Fora os recursos do BNDES ainda tem os investimentos do governo federal, através do PAC e do próprio governo estadual.

 

Programas radiofônicos

Deu no Periscópio, do JC, no último domingo: “Ao que parece, o programa noticioso radiofônico que tende a ganhar mais público é o de Jason Neto, das 5h às 6h. Ele dedica o programa à transmissão de notícias, com comentários moderados, e não enche o seu espaço com soldados, cabos, sargentos, tenentes, capitães, majores, tenentes-coronéis e coronéis, além dos representantes das associações desse pessoal todo, batendo boca sobre as besteiras da caserna. A hora dos honrados amigos da PM, que começa às 6h e vai até o momento que os soldadinhos querem, já cansou”.

 

Programas exageram e perdem audiência

Na verdade, tem muito programa exagerando e perdendo ouvintes. É soldado, cabo, capitão, major, tenente, tenente coronel, coronel, que começam as 6:00hs da manhã e ocupam o horário todo, quando não, quando terminam entra logo em seguida o Sintese e toda turma. E o mais interessante é que passam de programa em programa, todas manhãs, como se fosse  de forma orquestrada. Em meio a tantos ouvintes, em todos os programas têm meia dúzia que consegue as ligações diariamente. Radio é uma concessão pública e deve servir a comunidade, me parece…

Duplicação integral da BR-101 em Sergipe I

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, assegurou ao governador Marcelo Déda, em audiência nesta segunda-feira, 16, em Brasília, que o Governo Federal disponibilizará recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para a duplicação da BR-101 no trecho Estância até a fronteira de Sergipe com a Bahia. Como outros dois trechos – Propriá-Pedra da Ponte e Socorro-Estância – já dispõem de verbas do PAC, será possível, com a conclusão destas obras, cruzar Sergipe pelo litoral em via integralmente duplicada.“Foi uma grande vitória do estado de Sergipe”, comemorou o governador, após longa audiência com a ministra no Palácio do Planalto. “A ministra Dilma Rousseff assumiu o compromisso com as obras prioritárias para Sergipe. Ao Governo do Estado caberá a responsabilidade de encaminhá-las”. A duplicação integral da BR-101 não estava prevista originalmente no PAC.

 

Duplicação integral da BR-101 em Sergipe II

Pelo encaminhamento acertado entre ministra e governador, convênio entre o Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT) e Sergipe repassará para o Estado a responsabilidade de licitar o trecho entre Estância e a divisa Sergipe/Bahia. Com isso, explicou Déda, talvez seja possível realizar a licitação ainda em 2009 e executar a obra já em 2010. Caso a responsabilidade ficasse a cargo do DNIT, as obras certamente demandariam muito mais tempo, pois o órgão é responsável por licitações em todo o país.Além disso, a ministra reiterou ao governador que os outros dois trechos para que a duplicação seja completa de Norte a Sul do estado serão mantidos entre as obras do PAC, assegurando recursos e prioridade na liberação de verbas federais. A primeira licitação, antecipou Déda, está prevista já para o mês de março, sendo que o início da duplicação deverá começar no segundo semestre de 2009. (ASN).

 

 

 

Prioridade para o social

O deputado Francisco Gualberto (PT), líder do governo na Assembléia Legislativa, disse na reabertura dos trabalhos no parlamento estadual que 2009 será praticamente igual ao ano que passou. Para ele, os embates entre oposição e situação continuarão movimentando as sessões em plenário, mas fica satisfeito ao ver que cada vez mais a população percebe que o Estado foi devidamente recuperado da falência imposta por governos passados. “Está claro que nosso Estado agora serve de referência para vários outros governos que pensam em priorizar o social”, disse Gualberto.

 

SergipeTec reúne empresários

Dentro do convênio firmado entre o SergipeTec e a Secretaria de Estado da Saúde, foi realizada na última sexta-feira uma reunião com mais de 30 empresários da área de Tecnologia da Informação de Sergipe onde foi apresentação o projeto para a governança da saúde em Sergipe. O médico e consultou de TI, Celso Gama apresentou para os empresários toda a proposta que vai gerar 31 projetos que criará um complexo regulatório que garantirá o acesso a oferta de serviços da saúde a toda população sergipana.

 

Reforço da economia local

O diretor-presidente do SergipeTec, Teófilo de Miranda fez um histórico da discussão do projeto, lembrando que um dos alicerces para o chamado ecossistema digital é o poder de compras do governo do Estado, por isso foi feita esta parceria com a Secretaria de Estado da Saúde, que é uma oportunidade impar para a área da tecnologia da informação. “Este projeto será um sucesso porque além da responsabilidade social com a população sergipana, fortalece a economia local e qualifica as empresas e os profissionais do Estado”, disse.

 

Convênio entre TJ e Conselho tem resultado positivo

No final do ano passado, na gestão da desembargadora-presidente Célia Pinheiro o TJ de Sergipe firmou um convênio o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) para facilitar aos magistrados e servidores o direcionamento de parte do imposto de renda devido para o Fundo Municipal da Criança e do Adolescente. A idéia partiu do juiz Sérgio Lucas e está dando frutos positivos. O TJ de Sergipe foi a primeira instituição do Brasil a firmar convênio para fins de dedução do Imposto de Renda, com a declaração anual especificada, ou seja, já com as deduções que podem atingir até 6% (seis por cento) do imposto devido.

 

Adesão de juízes, desembargadores e servidores

A informação é que os juízes e desembargadores estão satisfeito com o convênio e mais de 2% já aderiram a dedução. Pelo convênio, o CMDCA, por seu turno assumiu o compromisso de informar a destinação das verbas em site da web e de entregar toda a documentação ao convenente, TJSE, antes do prazo máximo para declarações do IR. Taí uma boa pauta para a imprensa de Sergipe que pode ser feita com a juíza, Vania Barros, Coordenadora da Infância e da Juventude. Um convênio que parece simples, mas que tem um alcance social grande.

 

Ainda o rei da Sopa, Samarone e som alto

Foram vários e-mails (obrigado aos moradores daquele conjunto) recebidos ontem, 16, de moradores do conjunto Sol Nascente sobre o problema abordado neste espaço (através de nota que surgiu na coluna Cajueiros e Papagaios da Folha da Praia) do fechamento das ruas pelo bar Rei da Sopa, todas as sextas-feiras, com a conivência da SMTT. Nenhum dos e-mails recebidos defendeu o fechamento das ruas. Foram várias criticas, principalmente a omissão do prefeito Edvaldo Nogueira, através do rei, digo, de Samarone, que permite que o trânsito seja prejudicado por conta de um bar. O local é estritamente residencial e não há nenhum respeito aos moradores.

 

Som alto até às 2 da madruga e PM é conivente

E outra denuncia grave. Atenção Ministério Público. Às sextas-feiras, os moradores têm que suportar o som alto vindo do referido lugar até altas horas da madrugada. O pior é que um carro da polícia comunitária, a quem os moradores já recorreram, passa com frequencia e não faz absolutamente nada. Por vezes a “cantoria” no local só termina às 2:00 da manhã. Ou seja, será que os policiais também estão ganhando uma “sopinha”? Um absurdo! Uma falta de respeito e as autoridades, diga-se SMTT e PM não fazem nada. Será necessário que os moradores recorram ao MP?

 

Carros estacionados nas calçadas e na frente das garagens

Para completar a infelicidade dos moradores, alguns clientes do referido bar estacionam seus carros nas calçadas, garagens e até mesmo no meio da rua, pasme! Um morador já teve que dar a volta por outra rua para chegar em sua casa que é quase em frente ao bar e vez ou outra quando chega, ainda dá de cara com o carro de um folgado impedindo a  entrada na garagem. E não adianta chamar a SMTT.

 

SMTT prejudica a qualidade de vida

Pelo quadro passado por vários moradores perto do Rei da Sopa está claro que a omissão da SMTT é consciente, já que a superintendência já foi chamada para tomar as devidas providencias e nada.É em decorrência da ousadia de cidadãos inconsequentes e da omissão do poder público em fazer a lei ser respeitada que situações infelizes como essa dos dois militares ocorrem. Não será a primeira e nem a última ocorrência violenta causada em virtude do desrespeito ao sossego alheio. Infelizmente a qualidade de vida em Aracaju nesse quesito é  Zero, com o apoio da SMTT e da PMP, através do pelotão ambiental que é omisso.

 

Cotinguiba terá carnaval

m 10 de outubro 2009, o Cotinguiba Esporte Clube completa 100 anos de existência. As comemorações já começam em fevereiro, com uma grande notícia: Vai ter carnaval no Cotinguiba! Resgatando a tradição dos carnavais clubísticos, o “Tubarão da Praia” mostra que está mais vivo do que nunca. Serão quatro dias de festa, com animação da banda Água de Cheiro.

 

Conjunto em Ribeirópolis

Na última sexta-feira, 13, em Ribeirópolis a Prefeitura municipal, entregou 75 casas ao povo ribeiropolenses, no conjunto Francisco Modesto Passos. A construção dos imóveis faz parte da Resolução 460 do Conselho Curador do FGTS, entre Prefeitura Municipal de Ribeirópolis, Caixa Econômica e o Governo Federal. Participaram da cerimônia a prefeita Uíta Barreto (PSB), representantes da Caixa Econômica, os secretários de Estado, Maurício Pimentel e Bosco Costa. Durante o evento, a prefeita reafirmou o compromisso dessa administração na área habitacional para as pessoas mais carentes. “É um orgulho grande este momento, pois sabemos o que significa esses imóveis para essas famílias”, comemorou

 

III Folia Consciente em Simão Dias

No próximo dia 22/02 (domingo de carnaval) acontece a terceira edição do Folia Consciente. Neste ano, o bloco será puxado pela Banda de Frevo “OS Tremendões”. Haverá quatro carros-pipa, novo percurso, abadá totalmente personalizado ao preço de R$ 10,00. Adiquira seu abadá nas Lojas Sergisat (Simão Dias, Lagarto e Poço Verde) Eletrônica Soares e Destak Decorações.Org. ONG Ação Consciente.

 

Universidade Federal irá realizar evento para educadores

O Núcleo de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Sergipe comunica que estará realizando de 27 a 30 de abril um evento que tem por objetivo central a discussão de questões relacionadas aos desafios da formação do educador-pesquisador na contemporaneidade. O período de inscrições para apresentação de trabalhos será até 27 de fevereiro. Esse evento tem como meta congregar a comunidade científica: professores, pesquisadores em educação, egressos e alunos do NPGED, alunos de graduação e profissionais interessados com as questões educacionais do Estado de Sergipe. Para maiores informações e as inscrições dos trabalhos é preciso acessar o site www.ufs.br/eventos/npged, ou pelo telefone 2105-6823, das 14:00 às 17:00 horas.

 

Assembléia dos servidores de Canindé

Hoje, 17, servidores da Prefeitura de Canindé do São Francisco realizarão uma assembléia geral, às 9hs, no Clube Altemar Dutra. Logo em seguida realizaremos Ato Público em frente ao Gabinete do Prefeito. Em Canindé o Plano de Carreira (Lei Municipal 214/2008) foi aprovado em 27 Junho de 2008 e seus efeitos produzidos a partir de 1º de janeiro de 2009. No entanto, o Prefeito Orlandinho não pagou os Direitos do Plano alegando não ter dinheiro por conta da Crise Mundial. O Prefeito Orlandinho não responde aos ofícios do SINDISERVE-CANINDÉ que solicita audiência e nem recebe o sindicato e ainda pretende encaminhar para Câmara de Vereadores um novo projeto de Lei retirando direitos e Vantagens contidas na Lei 214/2008 (Plano de Carreira dos Servidores Públicos de Canindé). Canindé é a maior arrecadação per capita do Estado, com média de 6 milhões de reais por mês. E os Servidores Públicos deste município ainda possuem os piores salários entre os municípios sergipanos.

 

DO LEITOR

 

Blog engana a sociedade

Do dirigente estadual do PT e da Articulação de Esquerda, José Carvalho Junior: “Caro Colunista Mais uma vez você só publicou textos com opiniões favoráveis as suas teses. Vejo que o respeito a liberdade de informação, para você é só discurso, retórica. Não me incomoda as críticas, quando são baseadas em fatos reais, o que infelizmente não é o caso. Os 2/3 do Piso não foram pagos, da forma que a lei determina, mas você continua enganado a sociedade, afirmando exatamente o contrário. Sem dúvida é uma pena”.

 

Blog não é nenhuma “seita fundamentalista”

Ao contrário do que pensa o petista José Carvalho este espaço não é nenhuma seita fundamentalista para enganar a sociedade, neste caso a meia dúzia de leitores deste blog. Este jornalista não entende a preocupação de alguns dirigentes da Articulação de Esquerda, vide PT e do Sintese com este espaço. Afinal grande parte dos professores são maiores e vacinados e não fazem parte de nenhuma seita fundamentalista. Não é mesmo?

 

Ainda sobre educação

Do leitor Nairson A. Machado: “Corroboro com o leitor Messias Gonçalves, na falta de profissionalismo, ética e desprezo com a educação por parte dos professores que pretendem mais uma vez prejudicar a sociedade e banalizam o direito democrático da greve. Tornam esse instrumento como verdadeira justificativa para não trabalharem e sabem que os salários serão devidamente pagos e empregos garantidos seja qual for o desdobramento do movimento. Também agem de forma discriminatória com as demais categorias envolvidas com a educação. Diferente dos trabalhadores da iniciativa privada ou até mesmo daqueles professores que trabalham nas escolas particulares. Neste sentido são verdadeiros marajás, recebem salários e não têm compromisso de mostrar à sociedade a sua competência e eficiência, agarram-se no simples fato de ter prestado concurso público. Quanto ao Governador, está claro a sua dependência e inoperância administrativa com determinado grupo ligado aos organizadores da greve, assim, como lembra muito bem o caro leitor “uma vela pra Deus, outra pro diabo”.

 

Continuando Perseguição Política em Salgado I

Do leitor Yuri: “Gostaria antes de tudo agradecer a resposta enviada a este blog.

A perseguição citada na mensagem é a impessoalidade a qual alguns servidores vêm sofrendo em Salgado, chega ser caso até de ódio, pois em mais um caso a Adm. Municipal vem coagindo uma certa Diretora de sua confiança,no ponto de vista da Administração, por esta facilitando o horário para os funcionários transferidos para o novo local de trabalho.Não possuo todo conhecimento dos funcionários listado para troca de posto de trabalho, porém todos procurados para execução desta denúncia trabalharam normalmente no 1° mandato da Prefeita reeleita, porque só a partir de 2009 que passaram a ser transferidos? Já que houve algum erro na contratação dos servidores na saída do Senhor Raimundo Araujo, porque esse caso num foi cobrado na justiça, pela atual reeleita Gestora. É dever do cidadão cobrar e fiscalizar as ações de um Administrador Público, a definição dada para gestor público é aceita, mas lembrando que para isso existem leis regulamentado seus poderes, e estes tem que seguir alguns princípios, e desses, alguns foram utilizados na redação da mensagem enviada a este jornalista os princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade administrativa.

 

Continuando Perseguição Política em Salgado II

Continua o leitor: “Já o dever de julgar essas procedências fica para o Ministério Público, que estará em Audiência com esses servidores ainda esta semana, lembrando que esta denúncia também foi ao ar em outros meios de comunicação ressaltando para que não seja considerada informação distorcida da oposição.Não viemos até este blog para se fazer de palanque político e tentar empurra para o outro o problema atual da perseguição, quanto aos termos técnicos faço uma breve defesa, o uso de termos jurídicos foi dado pelo hábito do estudo, da pesquisa antes de redigir um trabalho acadêmico, lembrando que a denúncia foi feita por mim e não por coligação nem assessoria jurídica de nenhuma coligação.E é bom lembra as últimas reportagens que saíram sobre atual Prefeita, a exemplo da matéria mostrando que o TRE pode decidir por novas eleições em Salgado”.

 

Banese, lembre dos “Barnabés”

Do leitor Messias Gonçalves: “Ontem no blog de Adiberto de Souza (Infonet), ele destacou a preocupação do novo presidente do BANESE, Sauminio Nascimento, quando em reunião com “empresários” da construção civil, da possibilidade do banco, vir baixar os juros praticados, adequando-os ao mercado. Aproveitando o gancho, solicito igual empenho do presidente da instituição financeira estadual oficial, quanto as taxas de juros, quando os funcionários públicos, recorrem ao CREDI-SALÁRIO. São as mais altas taxas praticadas. Fora da realidade do mercado. Somente para prazos menores, é que as taxas são compatíveis, enquanto para longos prazos, aí é “agiotagem”. Por diversas vezes no governo Marcelo Déda, já demonstrei essa preocupação. Infelizmente, até hoje não deram ouvido aos nossos reclamos. Para empréstimos com prazos de até 72 meses, o mercado dos bancos concorrentes, oferecem taxas abaixo de 2,0%. Já o “nosso” banese, mais de 4,0 % ao mês com risco de inadimplência zero”.

 

Remédio Imediato

E-mail recebido: “O município de São Cristóvão há poucos dias, digo até o mês de dezembro/2008 o caos imperava, desordem administrativa, politicagem tudo de ruim acontecia (segundo a oposição da época e que hoje administra o município), até festas foram embargadas com o crivo do Ministério Público. Realmente seria usar da falta de bom senso, pois funcionário sem receber sob a alegação de falta de dinheiro, e festa ser realizada, não caberia mesmo. Mas o que dizer de agora em apenas 51 dias tudo está em ordem, nos trilhos sem reclamação nenhuma, e funcionários que tanto buscaram seus direitos junto ao Judiciário, na imprensa todo dia, jornais, tv e rádio. Estranho que por melhor administrador que seja, a melhor equipe técnica participando, é um tempo muito pequeno para que resultados satisfatórios apareçam, milagre não aconteceu por lá e digo mais até carnaval vai ser realizado mesmo sem o pagamento dos salários daqueles que tiveram seus empregos cortados, funcionários efetivos e estatutários sem os vales transporte, o pagamento dos empréstimos consignados atrasados(Caixa Econômica enviando carta de cobrança ao funcionário no qual já estão descontados na folha). Hora acredito que não se pode construir escola sem dinheiro, posto de saúde também pelo menos a imprensa noticia toda semana assinaturas de ordens de serviço e ai pergunto? O Ministério Público vai aceitar e fechar os olhos para isso, eu não acredito. Agora posso sugerir que a atual administração faça um seminário e convoque todos os prefeitos do interior e apresente a mágica de consertar um município arrasado administrativamente em apenas 50 dias, pois tenho certeza de que nesse dia vai faltar cadeira, todos querem saber como”.

 

Singela avaliação do governo das mudanças I

Do leitor Odirley: “O que tem me chamado, e muito, a atenção e a de alguns amigos com quem converso bastante sobre o assunto que vou expor, é a percepção de que existem dois governos. Um no plano midiático, ou seja, aquele que é arremessado através da mídia para os olhos e ouvidos da população sergipana, e o outro que é o governo a nível da realidade sentida e vivenciada. É a briga entre o governo ilusório, construído, através de uma máquina de propaganda capaz de deixar pasmo o próprio Goebbels e o governo que existe de verdade. A segurança pública, a educação e a saúde, por serem, de fato, as áreas da administração pública com maior relação direta com os cidadãos, são os três termômetros mais eficientes de onde se pode tirar uma idéia da qualidade de um governo. E a avaliação que se pode fazer dos dois anos da atual administração é facilitada pelo simples fato de que esta fez questão de se taxar com o epíteto de “o governo da mudança”. Sendo assim, veremos o que mudou do antigo para o novo governo e dessa equação irá sair como resultado a eficiência atingida pela atual equipe.Da segurança pública, para ser honesto, minha opinião não possui nenhum peso diferenciado da opinião de nenhum cidadão, mas isso não me impede de elencar alguns fatores que servem para uma observação mais íntima desse sempre caótico setor da administração. Lá se vão dois anos e dois meses de gestão, e a maioria das delegacias continua com o mesmo problema de superlotação, gerando um número absurdo de fugas de detentos. Fugas essas que tem como ganhadora do Oscar a do “moribundo” Floro Calheiros. Um trabalho gigantesco para capturá-lo, e é bom não esquecer que toda a operação de captura desse marginal foi cara, muito cara e fomos nós, contribuintes, que bancamos a conta e mais uma vez, o indivíduo, sobre custódia e tutela do Estado, foge. Ainda, sobre as delegacias, me deixa muito preocupado o fato de que o governo propagandeia que um número razoável delas já foram reformadas. Bom! pude conhecer umas dessas “reformadas”, a de Itaporanga, e não gostaria de gastar minhas linhas e minha paciência comentando o que vi. Basta dizer que a cela onde ficam os detentos, continua na sala de espera da delegacia, ou seja, muitas vezes o cidadão chega e ao chamar um policial, o preso se antecipa e passa a informação solicitada ou tira a dúvida reclamada, quem não acreditar, pode ir até lá, é aqui pertinho da capital. A cidade de Itabaiana sitiada pelo crime, o sertão e os roubos de gado, a violência na capital”.

 

Singela avaliação do governo das mudanças II

Continua Odirley: “Recentemente a imprensa veiculou uma matéria sobre a Delegacia de Pedrinhas, que só funciona as segundas e terças, e como conseqüência a pequenina cidade, do tamanho de um conjunto como o nosso Santa Lúcia aqui em Aracaju, se encontra tomada de assalto pela criminalidade. Meus pais, o Sr. Lourival e a Sra. Maria Eunice, residentes no município de Itabaianinha, já não dormem no seu pequeno sítio, ou seja, nem a zona rural, refúgio de tranqüilidade em outros tempos, escapou do desgoverno que vem acontecendo nos últimos e que continua na atual gestão. Quando nos debruçamos sobre a política educacional, e nesse momento eu falo com conhecimento de causa, já que sou professor, as mudanças, assim como nas outras áreas, ainda não se fizeram sentir. As principais bandeiras do atual governador, quando candidato, eram a gestão democrática, o apoio a lei do piso salarial para professor, a informatização da rede de escolas e o programa de inclusão digital para alunos e professores. Essas foram as principais palavras de ordem gritadas nos palanques eleitorais de 2006. Dois anos se passaram e vejamos o que mudou ou melhorou. A gestão democrática está a anos-luz de ser implantada, na escola onde leciono, a Pedro Almeida Valadares, localizada no município de Itaporanga, já teve três direções diferentes. Toda vez que a maré muda e traz uma nova correlação de forças políticas alguém sai e alguém chega e a escola que se vire para colocar seu projeto para funcionar. No ano passado, o MEC enviou doze (12) computadores, como a escola não possuía uma sala adequada, todos voltaram para Brasília ou estão em algum depósito enferrujando. A grande maioria dos professores, não foram contemplados com o programa de inclusão digital e nem se tem notícia de quando serão. O plano Estadual de Educação não sai da intenção, se é que essa um dia existiu. A secretaria da escola onde trabalho funciona com uma conexão discada, é cômico ver a pobre secretaria tendo que atender as urgências da DR, com uma conexão discada. Não existe, definitivamente, projeto que diferencie a Educação no atual  governo,  daquela que existiu nos governos pretéritos. Quem afirmar o contrário vai está caindo no engodo da propaganda governamental, onde tudo é lindo e perfeito. Se toda a verba publicitária fosse direcionada para projetos educacionais sérios, para reformas nos prédios escolares, construção de quadras poliesportivas, certamente nós teríamos uma revolução. Mas a propaganda dá menos trabalho, e mais amigos”.

 

Singela avaliação do governo das mudanças III

Finaliza Odirley: “Na saúde o caos ainda reina. Mas contraditoriamente é, talvez, onde o governo parece demonstrar alguns sinais de mudanças. Apesar do aspecto e das atitudes arrogantes do secretario desta pasta, este tem se mostrado uma pessoa com uma capacidade de liderança e possuidor de uma visão estratégica saúde pública. Para sustentar esta afirmação, basta que se observe um fato. Em outros governos, os grandes investimentos em estrutura hospitalar eram maciçamente direcionados para a capital, o governo anterior, ampliou o Hospital João Alves inúmeras vezes sem obter êxito algum no que tange à resolução da superlotação. Já o atual governo, inverte essa lógica e passa a investir em estrutura hospitalar nos pólos do interior, Lagarto, Estância, Própria, Itabaiana e Glória, pois entende que por mais que se amplie o Hospital João Alves jamais vai consegui superar o crescimento da demanda proveniente do interior do nosso estado e de estados vizinhos.  A criação dessa rede hospitalar no interior vai servir de filtro, já que impede que casos de baixa e média complexidade venham a ocupar leitos preciosos no Hospital de urgência em Aracaju, além de ganhar minutos preciosos no atendimento da vítima. É claro que tudo isso vai ser posto em funcionamento, sendo assim é muito cedo para fazer especulações, mas ao menos há um projeto. Mas no geral, o governo cantado como sendo “das mudanças”, não justificou ainda tal título. O argumento até então tem sido o de estar arrumando a máquina administrativa. O engraçado é que a máquina de propaganda já está pronta há muito tempo. Quem acompanha a publicidade do governo, tira o filho da escola particular, passa a sair pela madrugada da cidade para escrever poesia nas praças vazias e até cancela o plano de saúde. Só sei de uma coisa. Se eu vou passar quatro dias em uma praia, e gasto mais de dois arrumando e limpando a casa, talvez não dê tempo de aproveitar o sol, não é verdade?”.

 

Frase do Dia

Só há duas opções nesta vida: se resignar ou se indignar. E eu não vou me resignar nunca. Darcy Ribeiro.

 

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários