COMO SE DAR BEM?

0

“Trocar de cônjuge é trocar de problema”.

NO CASAMENTO NÃO BUSQUE SOMENTE SER FELIZ, BUSQUE MAIS, FAZER O OUTRO FELIZ.

Ai está a construção da verdadeira harmonia conjugal.

A ideia de falar sobre isso me veio por ocasião de uma palestra que proferia para um grupo de jovens. Fui interpelado com uma pergunta, de certa forma, muito pertinente, visto que a plateia era constituída de moças e rapazes que, poucos recém-casados, outros pais e mães solteiros e, a maioria, prestes a dar este passo tão importante e decisivo, em suas vidas, que é se unir, para sempre, a outra pessoa até que a morte os separem.

O jovem levantou a mão e disparou a seguinte indagação:

– Tio! O que é necessário para uma pessoa se dar bem no casamento?”.

Tentei dar a resposta e também a minha opinião, dizendo:
Certamente que não tenho uma resposta satisfatória a esta sua pergunta: “o que é necessário para uma pessoa se dar bem no casamento”.

Na verdade, creio não haver uma fórmula mágica, “para a pessoa se dar bem em nada”.  Se eu soubesse não estaria, de vez em quando, eu mesmo, me dando muito mal em muitas coisas. No meu casamento não. Neste ponto eu acertei e, agradeço a Deus por isso. Porém, devo dizer que eu faço a minha parte no processo e, não tenho dúvidas que a minha esposa também faz e, é por isso que: "nos demos e nos damos muito bem no nosso casamento".

Aliás, toda vez que vejo alguém entrando em qualquer empreitada apenas com a perspectiva de somente ele “se dar bem”, vejo com reserva essa atitude pois, é quase certo que ele vai mesmo, “é se dar muito mal.

Na sua indagação, está implícito um dos maiores equívocos que, miseravelmente, faz parte da cultura nacional: a busca alucinada para “se dar bem” de qualquer forma e usando qualquer tipo de artifício à mão para realizar este desejo,  esquecendo que:desejo não é direito e, que na vida nada é gratuito, tudo tem um dono e que, também,  tudo acontece numa via de mão dupla: só se recebe aquilo que se dar; só se colhe aquilo que se planta; só se tem aquilo que se conquista pelo esforço justo.

Num casamento, então, essa expectativa egoísta, do“se dar bem” rouba todas as outras boas possibilidades, isso porque casamento, na verdade, quer dizer união de duas pessoas e, se cada um, separadamente, pensar em “se dar bem” não haverá felicidade conjugal.

O ideal é que cada um queira a felicidade do outro, pois se o outro estiver realizado e feliz, o casamento estará salvo.

Talvez a colocação mais prudente, neste caso, fosse: Tio, o que eu posso fazer para “tornar o meu cônjuge mais feliz?” Ou ainda, Tio, “como devemos fazer para termos um casamento feliz?”

Particularmente devo afirmar, pois comungo da opinião de que o casamento foi, é, e será sempre o melhor caminho a ser trilhado pelos jovens com idade para tal e, com o devido respeito aos que não concordam, preciso afirmar também que deve ser compromisso sagrado, feliz e para a vida toda.

Respondendo a sua inteligente indagação querido “sobrinho”, devo dizer que não há uma formula para ser feliz o que há são possibilidades muito boas de se chegar a esta felicidade sonhada que é conhecer e praticar procedimentos simples, que todos conhecemos, sabemos onde estão,  conhecemos os seus valores e efeitos porém, poucos de nós usamos, eu uso e tenho me dado muito bem, são eles: compreensão, paciência, renúncia, tolerância, persistência e, sobretudo, amor verdadeiro.

PENSEM NISSO E SEJAM FELIZES NOS SEUS CASAMENTOS, VOCÊS MERECEM.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários