Comprar software pronto ou fazer em casa?

0

Muitas são as situações que nos deparamos com este dilema. Será que vale a pena comprar um software pronto ou é melhor que a equipe interna faça. Argumentos não faltam de cada um dos lados. Porém, para não ficar cansativo vamos tentar analisar apenas dois pontos: custos e tempo.

Fazer um software não é uma tarefa simples, requer esforço, dedicação, inteligência e uma boa administração. Como tudo que é muito especializado, qualquer software é caro. Sei que caro ou barato é relativo, é tudo uma questão de ROI (retorno do investimento). De qualquer forma a análise financeira é uma questão importante na escolha. Quando vamos comprar o software de um fornecedor, a primeira coisa que solicitamos é o orçamento. O que acontece é que depois de tomar o “susto” com o valor, decidimos que ele deve ser mesmo feito pela equipe da casa.

O preço elevado pode até mesmo nos fazer optar pela solução caseira, mas não sem antes contabilizar quanto será gasto com o novo projeto. O que tenho visto é que essa conta não é realizada. É só inserir mais esse projeto na área de TI e está tudo resolvido. Custo do projeto? Zero! Afinal de contas a equipe já está sendo paga mesmo. É como se milagrosamente as horas da equipe se multiplicarão e o projeto será entregue dentro do prazo previsto. É claro que esse projeto tem tudo para nem sair do papel. O correto é conseguir mensurar o tamanho do projeto para saber quando vai custar de forma a poder comparar os custos.

Outro ponto que merece análise é o tempo de desenvolvimento. Será que a empresa tem tempo sobrando para pode esperar que o projeto seja concluído? Em projetos pequenos até arrisco dizer que seja possível. Entretanto, em projetos grandes acho pouco provável. A empresa pode perder o timing do mercado e ficar para trás. É um risco que se corre pela espera. Recentemente a Secretaria da Fazenda deu seis meses a um segmento do mercado para que os mesmos enviassem as suas notas fiscais de forma eletrônica. O desenvolvimento de um sistema como o da NFe não fica pronto em menos de seis meses. É um caso típico onde fica complicado fazer com uma equipe interna.

Poderia até colocar outros pontos de análise, mas acho que esses dois são muito importantes. É bom que fique claro que não estou querendo dizer todos os softwares devem ser comprados prontos, ao contrário, acho que fazer um software com uma equipe interna é bom para o crescimento da empresa. Entretanto, não podemos ser radicais ao extremo de nem ao menos fazer uma análise da relação custo/benefício de ter uma solução externa.

 

Video no gmail

Semana passada foram introduzidos no Gmail recursos de áudio e vídeo. Ainda perde para os concorrentes similares (Skype e Messenger). Porém, isto me fez refletir porque o Google (que não dá ponto sem nó a muito tempo) fez este investimento no browser. Esta claro que a aposta do Google está em massificar cada vez mais o browser como plataforma de software e, provavelmente, por este motivo lançou seu próprio navegador (o Chrome). Quando isto acontecer (ainda não dá para arriscar quando), o Google vai ter o Docs (pacote Office), um email com capacidade enorme (hoje está com 7Gb), o comunicador instantâneo (Gtalk), um calendário, o Google Maps, o YouTube, etc, etc, etc… A M$ precisa mesmo investir em sua plataforma cloud.

Até a próxima semana!

Em tempo: O Mengão está de volta ao grupo dos G4 de onde nunca deveria ter saído.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários