Contas-sujas no páreo

0

Os políticos contas-sujas, como são chamados aqueles que tiveram a contabilidade da última campanha reprovada pela Justiça Eleitoral, vão poder disputar as eleições deste ano. Isso será possível graças ao recuo do Tribunal Superior Eleitoral, que em março passado havia proibido a participação dos contas-sujas no próximo pleito. Por maioria, os ministros do TSE restabeleceram o entendimento de que é necessário apenas a apresentação da conta da campanha passada, e não a aprovação dela para garantir a nova candidatura. A decisão de ontem, que beneficia cerca de 20 mil políticos no país, não alcança os gestores públicos que tiveram suas contabilidades rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União. Estes continuam correndo o risco de inelegibilidade.

A vice é Ceiça

O PT definiu ontem o nome da deputada estadual Conceição Vieira como candidata a vice-prefeita de Aracaju na chapa encabeçada pelo deputado federal Valadares Filho (PSB). A parlamentar, que estava relutante em aceitar a empreitada, foi convencida pelo governador Marcelo Déda (PT) durante a viagem que os dois fizeram anteontem à Itabaiana para participação da convenção que homologou a candidatura à reeleição do prefeito Luciano Bispo (PMDB).

Canção apóia

Embora não diga publicamente, o radialista Gilmar Carvalho (PR) vai torcer pela eleição de Valadares Filho. É que, com isso, o comunicador retorna à Assembleia Legislativa em lugar de Conceição Vieira, que precisará renunciar o mandato de deputada para assumir o cargo de vice-prefeita da capital. O “Cancão” é 1º suplente da coligação que elegeu a petista.

Pulou fora

O ex-presidente da OAB, Henri Clay Andrade (PSOL), desistiu de disputar a Prefeitura de Aracaju pela Frente de Esquerda. Diante do recuo, os líderes do PSOL, PSTU e PCB aprovaram a candidatura. Vera Lúcia, que terá como parceiro de chapa o estudante Vinicius Oliveira. Henri Clay alegou pressão familiar para desistir da disputa.

Indecisos

Na véspera das convenções partidárias, os irmãos Amorim (PSC) ainda não definiram se lançam candidato a prefeito de Aracaju, ou se apoiam a candidatura de outro partido. Hoje os dois voltam a se reunir com lideranças aliadas para tentar chegar a um acordo. Segundo o senador Eduardo Amorim, o PSC tanto pode lançar uma candidatura própria, como apoiar Almeida Lima (PPS) ou João Alves Filho (DEM), desde que indiquem o candidato a vice. Aguardemos, portanto!

Boca calada

Fica sem resposta quem perguntar ao presidente do TCE, Carlos Alberto Sobral, sobre a ação popular impetrada pela OAB contra o excesso de cargos comissionados na Corte de Contas. O máximo que ele diz é que “não posso fazer juízo de valor sobre as posições da OAB”. Atualmente, apenas 24% dos servidores do TCE são do quadro efetivo. Os outros 76% são cedidos por outros órgãos e ocupantes de cargos em comissão. Um absurdo!

Manguezal

O jornalista Marcos Cardoso ouviu de um velho pescador uma explicação lógica para a morte de parte do manguezal da praia 13 de Julho, em Aracaju. Segundo o pescador, a vegetação está morrendo por causa do avanço da areia do mar sobre a lama. Sem ela o mangue não sobrevive. Sendo assim, não procede a informação que os moradores dos prédios de luxo da 13 de Julho teriam jogado algum produto para matar o manguezal porque as árvores atrapalham a visão do mar.

Merreca

Os servidores estaduais já podem começar a fazer as contas sobre o que não poderão comprar com o miserável reajuste salarial de 5,02% aprovado ontem pela Assembleia. Talvez a ninharia dê para comprar um pacote de mariola parcelado em quatro módicas prestações. É meu “fio”, com doce e bolo se engana os tolos!

Só depois

E o projeto reajustando os salários dos professores só será apreciado em agosto, quando os deputados retornarem do recesso parlamentar. A matéria não foi votada ontem a pedido da própria categoria, que sonha com um aumento de 22,22%. Há quem garante que, se depender do governo, os educadores vão esperar sentados para serem atendidos. Será?

Rasteira católica

A Igreja Católica exonerou ontem o monsenhor Carvalho de Souza da direção do Colégio Arquidiocesano. Após ter recuado da demissão com medo da pressão dos pais e alunos, o arcebispo metropolitano, dom Palmeira Lessa, criou coragem e aplicou uma baita rasteira no reverendo. Para o lugar do exonerado, foram nomeados os padres Rinaldo Rezende (diretor administrativo) e Anderlan Róbson (diretor pedagógico).

Do baú político

Na década de 80, historiadores sergipanos tiveram que ir a publico desmentir a existência da lenda do cacique Caju Ieba, criada por marqueteiros do governo para divulgar o turismo estadual. A falsa história dava conta que, para guiar seus guerreiros, o valente cacique deixava pela mata pedrinhas conhecidas como Ieba. Depois, descobriu-se que as ditas pedrinhas davam sorte a quem as encontrasse. Simultaneamente à falsa lenda, o governo mandou confeccionar milhares de chaveiros de pedrinhas brancas que eram distribuídas pela Empresa Sergipana de Turismo (Emsetur) a quem visitava Sergipe. Para evitar que a “lorota” ganhasse mais corpo, historiadores foram à imprensa e desmentiram a existência de tal cacique em Sergipe, assim como das pedrinhas da sorte. Encabulado, o governo colocou a viola no saco e a Emsetur destinou ao lixo os chaveiros de pedrinhas, sepultando a história que nunca existiu.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais