Corda no pescoço

0

Ao afirmar que não dispõe de recursos para reajustar os salários dos servidores, o governo de Sergipe assina um atestado de incompetência, torna pública a ineficiência da política fazendária e deixa claro que seu discurso de valorização dos recursos humanos não passa de uma falácia. Iludidos há anos com a promessa de criação do Plano de Cargos e salários, os trabalhadores do estado vêm apertando o cinto, fazendo das tripas coração, reduzindo despesas e aumentando os débitos. Agora, em vez de honrar o prometido, o Executivo diz simplesmente não ter dinheiro nem para recompor a inflação do período. Sem outra alternativa, os servidores começam a cruzar os braços, mesmo sabendo que esta atitude extrema resultará em prejuízos à sociedade. É uma pena que justamente um governo do PT coloque a corda nos pescoços dos trabalhadores do serviço público.

Crime

Uma grande área de mangue está sendo criminosamente aterrada à luz do dia entre os bairros Augusto Franco e Ignácio Barbosa. A grave denúncia foi feita ontem pelo vereador aracajuano Max Prejuízo (PSB). Ele lamentou que os órgãos responsáveis pela proteção do meio ambiente não tenham tomado qualquer providência para impedir o crime contra a natureza. Uma lástima!

Debate

“Negociações Coletivas, Crescimento e Salários”. Este é o tema do debate que começa daqui a pouco no auditório do Sindicato dos Bancários, em Aracaju. Organizado pelo Dieese, o evento conta com a participação das centrais sindicais CUT, CGTB, Força Sindical, CTB e UGS. Prestigie!

Boa grana

O Ministério do Turismo já liberou o empenho no valor de R$ 20 milhões para reforma e ampliação do Centro de Convenções de Sergipe, incluindo a construção de um novo pavilhão de feiras. Os recursos são resultados de emendas apresentadas pelo senador Antônio Carlos Valadares (PSB) ao Orçamento da União. A boa notícia foi dada ontem ao governador Jackson Barreto (PMDB) pelo ministro do Turismo, Gastão Vieira.

Visita

Os empresários Albano Franco e Walter Franco estiveram ontem no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, visitando o governador Marcelo Déda (PT), internado para tratar de um câncer no estômago. Aproveitaram para visitar também o secretário da Fazenda, João Andrade, que se recupera de uma cirurgia de diverticulite.

Na Justiça

A Secretaria da Fazenda ingressou na Justiça com uma ação de desocupação de sua sede, em Aracaju. O prédio foi ocupado pelos professores da rede estadual em greve. Eles prometem só deixar as dependências da Fazenda quando forem atendidos em suas reivindicações. Segundo a Secretaria, a presença dos educadores tem atrapalhado as atividades dos servidores.

Não trabalham

Não convidem para a mesma reunião os médicos da rede municipal e o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM). O demista anda por aqui com a categoria que, segundo disse, não cumpre o horário nas unidades de saúde. “Muitos médicos recebem por quatro horas e só querem trabalhar uma hora. Eles vão para os postos, trabalham um pouquinho e depois saem”, denunciou.

Pré-Caju

A Prefeitura de Aracaju, empresários e a Associação Sergipana de Blocos e Trios estão discutindo a possibilidade de transferir o Pré-Caju da avenida Beira Mar para o bairro Coroa do Meio. A informação foi publicada pelo jornalista Eugênio Nascimento no blog Primeira Mão. Segundo ele, também está sendo analisada a hipótese de reduzir o período da prévia para apenas três dias.

Literatura

Crianças do 1º ao 3º ano do ensino fundamental terão acesso a livros de literatura para ajudar no processo de alfabetização. São livros de poemas, contos, fábulas e lendas, além de clássicos da literatura infantil e textos da tradição popular. A ação faz parte do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Legal!

Do baú político

Está no livro ‘Histórias de Vários Tempos – fatos e pessoas’, escrito pelo desembargador Artur Oscar de Oliveira Déda: Voltando ao tempo estudantil, na Faculdade de Direito de Sergipe, eu tive um colega da Bahia, vindo de Salvador, que desejava muito ser fotografado na tribuna do salão do quinto ano, em dia de festa, com grande assistência. Faltava-lhe, porém, inspiração… Mas conseguiu! Aproveitou-se de um encontro bem concorrido e acertou tudo com o fotógrafo Valmir. Pediu a palavra ao presidente da sessão e ocupou a tribuna. A plasticidade o favorecia, sendo o fotógrafo dos mais competentes. E começou: “Protesto, senhor presidente!”. Mudava de posição e seguia protestando. E o fotógrafo trabalhava sem parar, aproveitando todos os ângulos dos protestos do orador. Até que o presidente – era Roberto de Paula Lima, que comandava então a União Estadual dos Estudantes de Sergipe – quis saber a razão do inconformismo. O orador preferiu encerrar o caso para sempre: “Senhor presidente, retiro o protesto!”.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais