Coronavírus X vírus da corrupção

0

“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.

Todos sabem e têm consciência da existência do COVID-19 (o novo coronavírus). Não há nenhuma dúvida, mesmo para aqueles que acreditam na tal teoria da conspiração. O vírus é tão certo que até os descrentes lavam constantemente as mãos com água e sabão e fazem uso de álcool em gel, quando da disponibilidade.

Porém, paralelo ao coronavírus, um outro vírus irá causar um grande estrago: o da corrupção que tanto assolou o nosso país.

Nunca, nunca mesmo, na história do Brasil, foi destinado tanto dinheiro para a saúde pública. Parece até que não existia falta de leitos no Brasil. Parece que tudo funcionava perfeitamente. Mas de repente, por causa do coronavírus, a saúde está sucateada. O que é bem verdade. Não apenas está, mas sempre esteve.

Com a pandemia, “estados de calamidade” foram decretados pelos governos estaduais, inclusive o estado de Sergipe, além de centenas de prefeituras em todo país. Além, é claro, do governo federal que editou uma MP que dispensa licitações para compras. E quais as consequências? Não haverá licitação para os gestores em todos os níveis adquirirem o que, possivelmente, necessitam. Daí o grande perigo: com a dispensa das licitações, os espertos e experts farão a festa. Nos governos federal e estadual as fiscalizações, inclusive de parlamentares, ainda existem, mas em muitos municípios elas andam bem longe.

Como é recurso federal, resta apelar para que os órgãos de controle e de fiscalização (CGU, MPF, Polícia Federal) fiquem de olhos bem abertos, pois alguém pode querer tirar proveito da trágica situação atual e guardar um pouco do dinheiro para garantir a vida na pós-pandemia.

É um alerta que vale para todo o país.

 

O vídeo é da praia da Cinelândia, estacionamento da Passarela do Caranguejo ontem, 30, às 17h. Todo mundo sabe que correr ou caminhar sozinho ou com mais uma pessoa ao lado não tem problema. Porém, no fim de tarde na Passarela do Caranguejo as aglomerações são diárias no fim da tardee e até jogo de futevôlei. Muita gente junta sem caminhar e correr, apenas conversando no local. A PM passou ontem, 30, e nada fez. Qual o motivo? Os moradores da região querem uma explicação.  Essa turma aí não está confinada, está de férias. O vídeo enviado por moradores mostra o carro da PM passando e não fez nada. Depois vai para a TV dizendo que está cobrando… piada…

Japaratuba: prefeita Lara Moura abandonou as ruas do Loteamento Maria Madalena E-mail enviado por diversos moradores que também foi encaminhado ao MPE, pedindo providências: “Até o momento, a administração da prefeita Lara Moura não conseguiu dar uma solução sobre o grande problema que afeta as ruas do Loteamento Maria Madalena. Hoje, a situação é ainda mais dramática. As pessoas já não conseguem nem guardar os carros, porque o acesso às garagens não existem mais. Muitas residências estão ameaçadas, se a chuva continuar neste ritmo. Mas o que mais incomoda à população é que do acontecimento inicial, quinta- feira passada, até o momento, não houve nenhuma medida para proteger as residências dos moradores daquela localidade. Portanto, o sentimento é de abandono total. Prefeita Lara Moura, o povo merece RESPEITO. Isso não pode continuar do mesmo jeito. Até quando as pessoas terão que sofrer com este descaso e desrespeito. Isto é, obras sem planejamento e sobretudo mal feitas.” O vídeo recebido:

 

Lagarto: Sérgio Reis propõe que prefeita acabe licitação milionária e crie programa para atender trabalhadores autônomos A prefeita de Lagarto, Hilda Ribeiro, contrariando o percurso emergencial de saúde no enfrentamento ao coronavírus (Covid-19) no Brasil, pretende gastar R$ 6 milhões com aluguel de máquinas na próxima quarta-feira, 1° de abril.Vale ressaltar que os deputado federal Fábio Reis (MDB) e o ex-deputado federal, André Moura (PSC), por meio de emenda de bancada, destinaram diversos equipamentos e maquinários semelhantes à Prefeitura, como patrol e caçambas novas que estão na garagem municipal.

Cancelamento Por conta disso e da falta de prioridade para o momento, o Ministério Público recomendou o cancelamento da licitação. No entanto, no portal da transparência do município, o pregão presencial está em andamento. Com poucos dias para o processo licitatório, o presidente do MDB/SE, Sérgio Reis, propôs o cancelamento da licitação milionária, para criação de um repasse direto aos trabalhadores autônomos de Lagarto, que estão sem trabalhar devido ao resguardo social e necessário ao controle da pandemia.

Programa de auxílio aos trabalhadores autônomos “Não é justo conceber que a prefeita Hilda Ribeiro marcou uma licitação no valor de R$ 6 milhões para alugar máquinas. No ensejo, aconselho a prefeita investir o valor milionário para criar um programa de auxílio aos trabalhadores autônomos. R$ 400 para cada trabalhador durante 2 meses. O alimento de cada dia e a preservação da vida são mais importantes que máquinas. É preciso agir”, diz Reis.
Exemplo de Salvador Segundo o presidente do MDB Sergipe, a prefeita Hilda pode se inspirar na atitude do prefeito de Salvador, ACM Neto, que criou um programa semelhante. “Ele mesmo declarou que fez cortes de outras despesas para priorizar quem realmente precisa. Isso é governar com sensibilidade”, afirma.

Itabaiana exemplar Este espaço já intencionava destacar a postura do prefeito de Itabaiana, Valmir de Francisquinho, pela antecipação dos salários em meio ao caos econômico que tem sido esse período do isolamento social por conta do novo coronavírus, já que a prefeitura pagou o salário dos professores no dia 20 deste mês e finalizou a folha na última sexta-feira, 27, numa demonstração de que, mesmo em meio a crise, com organização e vontade política, é possível fazer a diferença. Mas então o prefeito surpreendeu mais uma vez, quando anunciou, antes de todo mundo, que facilitaria a vida da população e dos comerciantes ao mudar datas de pagamento do IPTU e da TLF.

Decretos do bem Em relação ao IPTU, Valmir ampliou a data limite para pagamento com 20% de desconto em cota única para o dia 30 de junho, uma vez que a data limite seria exatamente hoje, 31 de março. Além disso, a prefeitura aumento de duas para quatro parcelas, sem multa e sem juro, o pagamento para quem preferir parcelar, sem o desconto de 20%. Já em relação a Taxa de Localização e Funcionamento, a TLF, Valmir liberou a renovação também para mais 60 dias, assim como garantiu 60 dias para quem está abrindo um novo negócio. Claro que Valmir não pode garantir anistia, uma vez que isso seria ilegal sem uma lei que venha de cima para baixo. Mas aumentar o prazo para os pagamentos mostra o compromisso do gestor e deveria ser exemplo para todos os demais, pois é uma forma de demonstrar sensibilidade para com o povo e para com o pequeno empreendedor, que gera emprego e renda para a população. Tomara que os demais gestores sergipanos sigam o exemplo de Valmir de Francisquinho.

Empresários em ação Este blog foi informado de que um grupo de empresários sergipanos, do LIDE, fez uma campanha para a aquisição de aparelhos respiratórios para colaborar no enfrentamento do coronavírus. Bela iniciativa e que sirva de exemplo para muitos outros.

Qual a contribuição das escolas particulares nesse momento de crise (COVID 19)? De um pai de aluno: “Acabo de receber o boleto de cobrança da escola do meu filho no valor normal, gostaria de lembrar que as aulas estão suspensas e as escolas estão economizando com gastos de água, energia etc. Além disso, tivemos que dar aula (ajudar nas tarefas escolares enviadas pela internet), aos nossos filhos. Se as economias descritas acimas não estavam previstas, as escolas irão lucra com essa pandemia.”

PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES – (79) 99890 2018

Perfil fake na Barra E-mail recebido: “Oposicionistas na Barra dos Coqueiros parecem ter entregue os pontos em relação as próximas eleições. É que só pode ser isso o que motivou a criação de um perfil fake do prefeito da cidade, Airton Martins (MDB) no Facebook para “atacar” eleitores. Sim, isso mesmo que você leu. Imagina se alguém, em sã consciência, acreditaria que um político atacaria uma eleitora em plena rede social? Mas alguém “muito inteligente” achou que isso colaria e criou um perfil falso de Airton e jogou pra ver se alguém caía. Logo se descobriu ser um fake e a história já tomou conta da cidade, com todos atribuindo a opositores essa atitude desesperada. Assim fica difícil esperar uma eleição ao menos equilibrada na Barra. E olha que Airton Martins, em virtude do atual momento, nem de política está falando e nem lançou a candidatura a prefeito que contará com seu apoio em 2020.”

Sobre o artigo do blog de ontem, 30 Do leitor João Luiz: “Cinematográfico, real e atual esse seu artigo de hoje, pois retrata com muito bom humor e fidelidade o jornalismo que trata de uma casta da sociedade que com a pandemia não tem o que fazer. Mais uma comprovação que o vírus não escolhe cor, religião e muito menos poder aquisitivo.”’

Republicado por incorreção. Texto e foto do leitor Argolinho: “Na contramão do que decreta, a prefeitura coloca em risco trabalhadores para cortar a grama do campo de futebol do parque da sementeira ( essencial ), quando todos sabemos que o SEBRAE usou esse espaço com a promessa de colocar um gramado novo, com a palavra o MP.”

 

Sergipe Profundo Por Antônio Samarone: “Apontamentos sobre a história de Macambira. O lançamento da candidatura de Cecilio Eugenio Alves a Prefeitura de Macambira, primeiro Prefeito da cidade, aconteceu durante a grande festa de Reis do ano 1954, com a presença da alta cúpula da UDN. O discurso de saudação foi feito pelo Major Miguel Rodrigues Pereira, onde ele conta um pouco sobre o surgimento do município. O povoado Macambira começou o seu desenvolvimento com a chegada do Tenente da Polícia Militar Francisco Rodrigues Pereira (Iô-iô Rodrigues), tio do orador, designado para ali destacar pelo chefe político de Itabaiana Dr. Batista Itajay.”

 

PELO E-MAIL E FACEBOOK

NOTA DE ESCLARECIMENTO

TJSE foi o primeiro Poder em Sergipe a adotar medidas de prevenção ao contágio da Covid-19

O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Sergipe (Sindijus) publicou, em seu sítio na internet, no dia 27/03/2020, mais uma notícia que não corresponde à realidade dos fatos. Afirma o referido Sindicato que o “Presidente do TJSE mantém servidores obrigados a trabalhar inclusive presencialmente”. A verdade é que desde o dia 13/03/2020 o Tribunal de Justiça de Sergipe vem adotando medidas de controle e prevenção ao contágio da Covid-19.
Nesse período, foram publicadas as Portarias Conjuntas 12, 13 e 16/2020, todas elas com o objetivo de alinhar a atuação do Poder Judiciário, que presta serviço imprescindível à sociedade, com a pandemia do coronavirus que o mundo enfrenta nesse momento. Além disso, há o compromisso da revisão das medidas, sempre no sentido de equilibrar a prestação de serviço e a proteção dos servidores e jurisdicionados.

Com relação aos servidores, mais de 95% estão realizando os serviços de casa, remotamente, de forma aguerrida e comprometida, mantendo a produtividade da nossa Justiça, aos quais agradeço e rogo pela manutenção do desempenho. A sociedade precisa de nós e o TJSE não pode e nem vai parar.

O reduzido número de servidores que ainda estão prestando serviços de forma presencial o fazem, em sistema de rodízio, com as cautelas necessárias, pelo fato destes não poderem ser realizados à distância, a exemplo dos serviços de protocolo, segurança, manutenções urgentes, recepção do Palácio da Justiça e telefonistas, inclusive são essas profissionais tão importantes que, neste momento, recebem as ligações, a partir do 79 3226-3100, e repassam aos setores competentes.

O momento é de união de esforços. Disseminar inverdades não ajuda a ninguém. Ao contrário, gera dúvidas e incertezas, razão pela qual reafirmo que todas as medidas necessárias para garantia da segurança dos servidores e magistrados, bem como a continuação da prestação dos serviços jurisdicionais à população, estão e continuarão a ser adotadas.

Ao final, reitero a minha preocupação e solidariedade com todos os servidores e magistrados, desejando, com fé em Deus e na ciência, que esse momento passe da forma mais rápida e menos traumática possível, e para isso todos nós faremos a nossa parte com responsabilidade e esperança de dias melhores.

Em breve estaremos de volta aos nossos locais de trabalho, reencontraremos nossos colegas e teremos aprendido novas lições.

Des. Osório de Araújo Ramos Filho
Presidente do TJSE

 

ARTIGO 

A tragédia italiana e a brasileira Por Paulo Costa Neto

Ainda não foi possível mensurar o tamanho da tragédia italiana devido a pandemia do coronavirus. Com a contagem de mortos ainda beirando a casa das centenas diariamente, e quase 20 milhões de italianos em isolamento social aguardando uma trégua. Sem “cálcio” na tv e sem poderem sair de casa, o ócio italiano tem sido criativo para abrandar a dor pelas mortes e pelo isolamento. Em Turim e Milão onde o vírus tem ceifado vidas aos milhares o povo dá manifestações de resistência e tenacidade.

Das sacadas dos apartamentos os italianos entoam árias de Verdi, Puccini além de Bella Ciao que, aqui no Brasil, ganhou versões infames logo após a exibição do seriado “La casa de papel”. Até os bolsonaristas cantaram as versões de Bella Cia o sem suspeitarem que se tratava de uma canção de resistência ao fascismo de Mussolini.

Aos médicos e profissionais da saúde italianos um coral virtual dedicou a ária “Va pensiero” da ópera Nabucco de Giuseppe Verdi. Enquanto aqui no Brasil as homenagens se misturaram ao panelaço e se restringiram a meros aplausos, talvez devido ao fato de que o juramento de Hipócrates para alguns médicos aqui no Brasil ser uma mera formalidade antes da farra da formatura.

A tragédia aqui no Brasil ainda não se configurou de fato em tragédia ou farsa como alguns alardeiam. O ministro da saúde afirma que a luta é para abrandar a curva dos contágios e de mortes, já o presidente afirma que num país de atletas o vírus será apenas uma gripezinha. E esse descompasso no discurso já nos coloca numa situação bastante delicada.

Mas a nossa tragédia já é um fato se compararmos a Itália, e ela se deve ao binômio ignorância e educação deficitária. Basta atentarmos ao repertorio singular da maioria da classe média brasileira durante o período de isolamento. Villa Lobos, Carlos Gomes, Chiquinha Gonzaga e Radamés Gnatalli são desconhecidos da maioria do povo brasileiro, que durante o isolamento cantou “Evidências” de José Augusto e Paulo Sergio Valle que muitos só conhecem através de Chitãozinho e Xororó. Assistiu no Rio ao show de Mumuzinho e em Salvador de Léo Lordelo, cantando a maior expressão da musica baiana (Durvalino meu rei). Nada contra a manifestação dos artistas populares em levar alegria nessa hora tão difícil para todos nós, mas gostaria de relatar uma experiência pessoal que me deixou bastante pessimista em relação a falta de educação e a ignorância do brasileiro.

No primeiro domingo do isolamento aqui no Brasil as imagens que chegavam da Itália mostrando a população homenageando aos profissionais de saúde com um trecho da ópera Nabuco de Verdi,me fizeram imaginar que poderia fazer o mesmo da janela do meu apartamento. Coloquei a caixa de som na janela e pus a tocar a primeira ária(Cantilena) das Bachianas de Villa Lobos. Nem demorou dois minutos de execução pra vizinha do andar de cima gritar: Baixa essa música de velório f.d.p.

É o retrato da realidade do nosso país que não conhece o “chiclete com banana” de Jackson do Pandeiro, só o de Bel Marques.

CAMPANHA

Parque dos Falcões lança campanha para se manter em funcionamento

Por Daniel Rezende/Infonet

O Instituto Parque dos Falcões, localizado em Itabaiana, município do Agreste Sergipano, vem registrando uma queda de 95% da sua receita devido à crise desencadeada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Para tentar manter suas atividades, que incluem a alimentação dos animais abrigados e o pagamento dos seus funcionários, o local iniciou uma ‘vaquinha’ para arrecadar fundos via internet.

De acordo com um dos coordenadores do instituto, Ricardo Alexandre, os mantimentos disponíveis para a alimentação dos mais de 300 pássaros durarão, no máximo, mais duas semanas. “Nós já tivemos algumas doações, mas restam duas semanas mantimentos apenas. A parte financeira do parque, incluindo as famílias que aqui atuam, está comprometida”, completa.

Para Alexandre, a dificuldade financeira enfrentada pelo Parque dos Falcões deve afetar cerca de 40 pessoas indiretamente a partir dos seis funcionários cuja renda é exclusiva do trabalho efetuado no parque. “Se juntar essas pessoas com seus familiares, temos praticamente 40 pessoas que vão ficar sem recursos”, diz.

A solução encontrada pelos coordenadores foi a criação de uma vaquinha, disponibilizada no link https://www.kickante.com.br/campanhas/acao-emergencial-parque-dos-falcoes. A ação pretende arrecadar um total R$ 60.000,00 no prazo de dois meses.

Apesar dela, Ricardo Alexandre destaca que é necessário que sejam efetuadas doações diretamente ao parque, pois os recursos atuais devem acabar antes da conclusão do prazo da vaquinha. Para isso, os contatos disponibilizados são os telefones (79) 99962-8396 / 99885-2522 / 99945-9020 e os e-mails percílio/alexandreparquedosfalcoes@hotmail.com ou
atendimento@parquedosfalcoes.com.br.

PELO TWITTER

www.twitter.com/andretrig Só no dicionário “economia” vem na frente de “saúde” e de “vida”. É preciso fazer chegar o dinheiro onde ele se tornou escasso por causa da pandemia. O resto é retórica. O Papa entrou nesse debate e denuncia o risco de genocídio.

www.twitter.com/jsantana61

www.twitter.com/palmeriodoria Nem o Twitter respeita Bolsonaro. Tirou seus posts genocidas do ar.

www.twitter.com/frednavarro O presidente é uma ameaça à saúde pública em tempos similares aos de uma guerra. O que a Constituição prevê nesses casos, prezados juristas e constitucionalistas do Twitter?

Siga Blog Cláudio Nunes:

Instragram

 Facebook

 Twitter

Frase do Dia
“Podeis enganar toda a gente durante um certo tempo; podeis mesmo enganar algumas pessoas todo o tempo; mas não vos será possível enganar sempre toda a gente.” Abraham Lincoln.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários