CORPO HUMANO REAL E FASCINANTE

0

Extraordinário! Emocionante! Alguns do adjetivos mais pronunciados pelas pessoas que visitam a exposição “Corpo Humano – Real e Fascinante”, que está acontecendo em São Paulo, no pavilhão Oca, situado no Parque do Ibirapuera, desde a semana passada.      

Ao preço de R$ 30,00 por pessoa (estudante paga meia), o visitante se rende ao fascínio da maravilhosa máquina humana, organizada no recinto do pavilhão através dos diferentes sistemas internos do corpo, cada um com suas características intrínsecas e regras de funcionamento.

São vários corpos humanos reais doados à ciência a exibir suas estruturas internas nos mais diferentes cortes, através de uma perfeita técnica de conservação denominada polimerização, que substitui a água do corpo por borracha de silicone, mantendo as características e evitando o processo de deterioração pela  decomposição natural.

Indiferente à polêmica causada pela exposição dos corpos, cuja origem não é bem explicada e pelas barreiras preconceituosas que na maioria das vezes obstaculiza o desenvolvimento da ciência, a exposição do Corpo Humano tem um propósito essencialmente educativo, ao exibir cortes anatômicos perfeitos que ajudam a desvendar as maravilhas do nosso corpo, de uma forma direta, pela visão impressionante que proporcionam e também de alertar a população sobre os malefícios causados ao organismo por práticas e estilos de vida inadequados. Exemplo disso é a exposição de pulmões escurecidos acometidos por doenças em decorrência do vício do fumo ou um coração dilatado fruto de um infarto do miocárdio.

A exposição do Corpo Humano é produzida pela equipe coordenada pelo Prof.Roy Glover, Diretor Médico e Professor Emérito de Anatomia e Biologia Celular da Universidade de Michigan e está percorrendo o mundo desde o ano passado.

Paralelamente, acontece também no mesmo pavilhão uma exposição sobre a vida e a obra de Leonardo da Vinci e entre as diversas réplicas de instrumentos e utensílios inventados pelo  genial artista renascentista, destacam-se as gravuras anatômicas. É impressionante constatar, através da comparação entre as duas exposições, como uma pessoa poderia desenhar, com tamanha precisão, há 500 anos, estruturas internas do corpo humano tão próximas da realidade, sem contar com os recursos tecnológicos atuais.

A conjugação da arte com a ciência, da observação aguçada e habilidade artística com os mais avançados recursos técnicos, permitem conquistas em prol do desenvolvimento da educação, como instrumento de aperfeiçoamento de processos e até mesmo de influenciar condutas e mudanças voltadas para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais