CORRIDA (TIRANDO ALGUMAS DÚVIDAS)

0

Na minha opinião, e a meu ver, a corrida deveria ser praticada por quem realmente gosta e é “viciado” em correr. Exemplo: atletas que têm que incluí-la para ter um condicionamento cárdio-respiratório e, consequentemente, um fôlego essencial nos esportes que praticam, tanto no amadorismo, como no profissionalismo. Porém, se você gosta de correr, eis algumas dúvidas tiradas para você:

 

Qualquer um pode correr?

Depende da avaliação médica. Em princípio, a corrida é desaconselhável para quem tem problemas cardíacos, na coluna, nas articulações, obesos mórbidos, hipertensos.

 

Quem corre precisa fazer algum exercício complementar?

É bom fortalecer, através da musculação, a musculatura das pernas, coxas e costas, para não sobrecarregar as articulações do joelho, quadril, coluna e tornozelos. Alongamentos devem ser feitos antes do treino e após a corrida também é aconselhável a realização de alongamentos suaves (relaxamento), para evitar lesões.

 

Qual é a velocidade ideal para a corrida?

Não existe uma velocidade ideal. O importante é manter o ritmo e a freqüência cardíaca. Em geral, os iniciantes começam num ritmo bem lento (60% de freqüência cardíaca máxima) e vão aumentando aos poucos.

 

Os gordos podem correr?

A corrida não é aconselhável para obesos, porque o peso do corpo aumenta o impacto nos joelhos, tornozelos, quadril e coluna, causando lesões. É melhor começar com bicicletas horizontais, hidroginásticas, natação, depois caminhadas e passando, só posteriormente, a correr.

 

E os fumantes?

Poder, pode. O problema é que quem fuma tem menos fôlego, e o desempenho na corrida costuma ser pior que o dos não fumantes.

 

Correr emagrece?

Sim, desde que se tenha uma alimentação correta. É um dos exercícios que mais emagrecem porque provoca um alto gasto calórico. Para emagrecer, deve-se correr pelo menos meia hora três vezes por semana, atingindo 75% de freqüência cardíaca máxima.

 

Devo me preocupar com a freqüência cardíaca?

Sim, pois ela serve como ponto de referência para medir a intensidade do esforço. O ideal é trabalhar numa faixa entre 60% e 80% da freqüência cardíaca máxima. (Como fazer o cálculo da freqüência cardíaca segue logo abaixo). Ultrapassar esse limite reduz a eficiência do exercício e pode causar taquicardia e falta de ar.

 

COMO CALCULAR A FREQÜÊNCIA CARDÍACA

Os iniciantes devem treinar com 60% da freqüência cardíaca máxima (os mais avançados, entre 70% e 80%). Abaixo, como calcular o batimento cardíaco ideal durante o treino.   

 

220 – IDADE = TOTAL DE BATIMENTOS CARDÍACOS POR MINUTO (Freqüência cardíaca máxima que é igual a 100%)

Exemplo:

Uma pessoa que tem 30 anos

220 – 30 x 0,7= 133 (que é igual aos 100% da FCM.)
Daí vamos tirar o 60% da FCM.

60% de 133 = 79,8 (batimentos cardíacos por minuto)

Agora vamos calcular o 80% da FCM desta mesma pessoa:
80% de 133 = 106,4 (batimentos cardíacos por minutos)

Daí, a zona de treinamento de segurança para esta pessoa com esta idade (30 anos) é de 79,8 batimentos cardíacos por minuto a 106,6 batimentos cardíacos por minuto.


Dúvidas e Sugestões: araujinhopersonal@infonet.com.br (0xx79) 9978-6799
O conteúdo das colunas assinadas no Portal InfoNet são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores.

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários