CURRÍCULO BRASIL

0

O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Busato, que esteve em Aracaju para participar da abertura do Colégio de Presidentes de Conselhos Seccionais da OAB, transmitiu uma mensagem ao país que deixa clara a preocupação das instituições sociais, com o currículo sujo de uma nação. O Brasil realmente perdeu o crédito, porque a cada vez se vê vencer a indignidade e prosperar a corrupção, acredita-se menos nele. Esse é um Brasil de poucas saídas e há necessidade de procurar uma brecha para se respirar aliviado. Busato transmitirá o cargo em primeiro de fevereiro de 2007 e sugeriu ao seu sucessor “que acompanhe e participe da construção moral, política e institucional deste país, premissa básica para a realização do sonho de todos nós – a superação das desigualdades, a construção de um Brasil mais justo e próspero”.

Afiado contra as questões que abalam a sociedade brasileira, Roberto Busato aproveita momentos como os de ontem, em Sergipe, para demonstrar toda sua indignação com um quadro de dificuldade moral em que define a pátria que todos nós, de alguma forma, lutamos por ela. Ontem, Busato fez mais um pronunciamento de elevada contundência, após relatar os grandes desafios e questões que enfrentou nesses dois ano. E fez um relato que fotografa bem toda a violência que atormenta o povo brasileiro e os freqüentes casos de corrupção. Disse o seguinte: “o Brasil vive hoje uma tragédia dentro da tragédia, um escândalo dentro do escândalo”. E fez um apelo: “o resultado aí está a nos desafiar e precisamos manter a credibilidade da população em nossas instituições republicanas”.

E foi com esse tom, de uma absoluta contrariedade, que conclamou a sociedade brasileira a unir forças para reverter esse quadro e pregou a necessidade urgente de uma reforma política, que considerou a mãe das reformas. Sugeriu, como se estivesse num movimento de transformação política, a concentração entre os homens de bem deste país, “que felizmente existem e podem ser encontrados em todos os partidos e instituições”. Lamentando que o Brasil seja hoje um país do qual os brasileiros se envergonham diante de tantos desmandos, o presidente nacional da OAB disse que o Brasil precisa voltar a acreditar em si mesmo. Numa crítica indireta à propaganda do governo Luiz Inácio Lula da Silva que se intitula “Brasil um País de todos”, Roberto Busato concluiu sua fala salientando que o Brasil precisa ser “um País efetivamente de todos – não como slogan, mas como realidade efetiva”.

É bom ouvir homens como Roberto Busato, que ainda conseguem pregar a unidade pela defesa do Brasil. Aliás, essa tem sido uma prática comum dentro da Ordem dos Advogados do Brasil, sempre convocada a assumir a frente da luta democrática contra as distorções que marcam administrações desastrosas, como a que se assistiu nos últimos quatro anos. É possível que adiante pouco, mas tem pessoas que são predestinadas a fazer o papel do pequeno pássaro que tentava apagar um gigantesco incêndio na Amazônia, voando ao rio, trazendo uma gota d`água e jogando ao fogo: “isso não vai adiantar nada”, disse-lhe uma outra ave. “Mas estou fazendo a minha parte”, respondeu o pássaro. Talvez seja a comodidade de uma sociedade cansada com a bandalheira que se instalou no Brasil, que faz muita gente pensar como a ave que desenganou o passarinho na questão do incêndio: muito poucos fazem a sua parte. Assim como Busato, que tem levado essa mensagem de luta, de indignação, de convocação a um povo, para mudar esse quadro que está se transformando insustentável e não há quem imagine onde isso vai parar.

Ontem, no Rio de Janeiro, até o bandido Marcola fez acusações a políticos, inclusive de uso de cocaína, e a sociedade atônita não pode avaliar para onde este Brasil caminha. Lógico, tudo depende do voto. Um simples teclar para mudar. Mas até onde o povão está interessado nisso, se o presidente Lula tem maior índice de voto e aceitação nas regiões mais pobres desse país? É difícil, caro Busato, muito difícil. Mas é bom que algumas pessoas continuem acreditando que um dia tudo isso vai mudar.

 

 

MUDANÇAS

A presidenta regional do PSDB, prefeita Maria Mendonça, de Itabaiana, terá que deixar o partido, porque não vota no partido para nenhum mandato.

Em seu lugar assume o prefeito Carivaldo Souza, que está na mesma situação eleitoral e também deverá deixar o PSDB.

 

REUNIÃO

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) foi chamado a Brasília para uma reunião com a Executiva Nacional do partido.

Na pauta a rebeldia de boa parte dos tucanos em Sergipe. É possível que se discuta a composição de deputados estaduais que não trabalhem para a composição.

 

ATITUDE

O PSDB nacional tomará uma atitude que retire os candidatos rebeldes do “chapão” que apóia o governador João Alves Filho, porque eles estão fora da coligação.

Albano está levando também a insatisfação dos aliados da coligação, que não considera justo esses candidatos serem beneficiados pelo “chapão”. O PSDB vai agir com rispidez.

 

POSIÇÃO

O candidato a governador pelo PDT, João Fontes, está animado com a receptividade que vem sendo registrado em Aracaju à sua campanha.

Na classe média João Fontes é bem aceito e em determinados segmentos está em situação idêntica ao do candidato do PT, Marcelo Déda.

 

ENTREVISTA

Ontem, João Fontes concedeu entrevista ao apresentador Carlos Batalha e fez críticas aos candidatos que estão polarizando a disputa – João Alves e Marcelo Déda.

João também expôs os 12 programas de Governo e condenou a candidatura de parlamentares que integraram o mensalão.

 

LAÉRCIO

O candidato a deputado federal Laércio Oliveira (PSDB) saiu da toca e resolveu colocar sua campanha na rua. Aconteceu no Cotinguiba Esporte Clube.

Emprego tem sido a palavra de ordem de sua campanha, porque Laércio acha que o crescimento de um país depende de sua capacidade de gerar empregos.

 

DROGAS

O traficante Marcola declarou – sem citar nomes – “que políticos fluminenses usam cocaína”. Quem repassou a informação foi Marcelo Crivella.

Candidato do PRB ao governo do estado, Marcelo Crivella surpreendeu com essa informação, porque parte de um bandido que, naturalmente, confia em Crivella.

 

HORROR

“Há político envolvido com roubalheira nas verbas da saúde, político freqüentando mansões com prostitutas. É um horror”.

“E tem políticos aí que, segundo o Marcola, cheiram até cocaína. E eu acredito — afirmou Crivella, que se negou novamente a identificar os alvos do ataque.”

 

SELEÇÃO

Um político sergipano ao tomar conhecimento disse que “quando um bandido tenta se igualar a setores da classe política, o problema é grave”.

Concordou com o colunista de que isso tem que partir de uma reformulação partidária e do fim  do corporativismo, quando estiver em risco da dignidade da instituição.

 

REUNIÃO

O candidato a deputado federal Eduardo Amorim (PSC) reuniu-se com centenas de pastores, para falar de projetos.

Eduardo pediu a unidade do bloco, para que ele consiga levar à Câmara projetos que se incremente as políticas públicas, principalmente as voltadas à Saúde.  

 

CHATEADO

Não há dinheiro para proporcionais, apenas a distribuição de santinhos e cartazes. A situação está difícil para os candidatos majoritários.

Os proporcionais reclamam que sequer são atendidos…

Um deles desabafou ontem: “no segundo turno vão estar atrás da gente, principalmente dos que se elegem e querem descansar na Europa”.

 

KÉRCIO

Kércio Silva Pinto não poderá comparecer para depor no julgamento do assassinato do então deputado Joaldo Barbosa, ocorrido em 28 de dezembro de 2003.

Hoje Kécio é superintendente na Amazônia e na data marcada tem uma missão a cumprir na região. Vai comunicar isso à Justiça de Sergipe.

 

HILDEGARDS

O presidente do Tribunal de Contas, conselheiro Hildegards Azevedo, diz que sua aposentadoria está na ordem do dia de 22 de outubro. E pronto…

Adiantou que até o momento não foi procurado por ninguém para tratar sobre um afastamento antecipado.

 

 

Notas

 

AMBULÂNCIAS

Os deputados envolvidos na CPMI dos Sanguessugas só devem ser julgados depois das eleições de outubro. É o que prever o presidente do Conselho de Ética, deputado Ricardo Izar (PTB-SP). Segundo o parlamentar, “o importante é que os processos iniciados na atual legislatura continuem na próxima”.

O acusado tem o prazo de cinco sessões ordinárias para apresentar uma defesa por escrito. Caso a CPMI encaminhe os nomes em agosto, as sessões será contadas a partir de setembro, quando haverá esforço concentrado.

 

ÔNIBUS

A CPMI dos sanguessugas deve investigar irregularidades cometidas em licitações de outros setores além do de Saúde. Há evidências de que emendas beneficiaram esquemas semelhantes na compra dos chamados ônibus de inclusão digital por parte da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).
A CPMI tem autorização para investigar qualquer irregularidade cometida nas emendas parlamentares, ainda que essas investigações sejam realizadas após o dia 16, quando deverá ser apresentado o relatório.

 

RECEIO

A senadora Heloísa Helena (AL), candidata do Psol à Presidência da República, disse ontem de que a disputa eleitoral contamine as investigações em torno da máfia das ambulâncias no Congresso. Ela afirmou, ontem, recear o fechamento de um “acórdão” entre PT e PSDB, para proteger culpados.
“O risco maior à CPI não é nem da utilização política, mas de haver uma tentativa de polarização de denúncias para nada apurar e a todos acobertar”, afirmou a candidata, durante caminhada pelo centro de Belo Horizonte.

 

É fogo

 

O deputado federal Bosco Costa (sem partido) está bem entrosado no meio da oposição e trabalha para Marcelo Déda (PT).

 

Quando concluir seu mandato vai se dedicar a suas atividades profissionais. Pelo menos é isso que pensa neste momento.

 

O candidato a deputado federal Albano Franco (PSDB) tem atendido a cabos eleitorais na sede do partido ou em seu escritório.

 

O recesso da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) termina na segunda-feira, o que atrapalha um pouco a ação dos candidatos.

 

Já no dia 2 os parlamentares estréiam a reforma do prédio da Câmara e deixam a Assembléia Legislativa.

 

A Marcha dos Sem Terra, que saiu do interior do estado em direção à capital sergipana, chegou em Aracaju sem registrar nenhum incidente.

 

Eles vieram pela BR-101 e chegaram na cidade pela avenida Chanceler Osvaldo Aranha ocupando apenas um lado da pista.

 

Termina também o recesso na Assembléia Legislativa, mas o pessoal vai freqüentar pouco as sessões, dentro de um entendimento.

 

A campanha eleitoral começa a esquentar mesmo a partir de agosto e quem tem mandato ficar com menos tempo para chegar aos seus eleitores.

 

A Petrobras está aprimorando a gestão da carteira de projetos da área internacional para diluir riscos políticos, geológicos e comerciais nos países onde atua.

 

O Ministério da Fazenda anunciou a permissão dos free shops a aceitarem reais e não somente moedas estrangeiras.

 

brayner@infonet.com.br

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários