Cycle chic – a moda em sintonia com o pedal

0

Numa dessas manhãs de segunda-feira atípicas, quando a gente acorda com vontade e disposição para mudar os rumos da vida e do mundo, eu fui pedalar. Enquanto seguia a uma velocidade vergonhosa se comparada com à dos atletas de calçadão, uma dupla de meninas passou por mim. E teria passado despercebida se não fosse por um detalhe: a roupa delas. Elas, mesmo de bicicleta, usavam peças esvoaçantes, coloridas, numa composição inusitada, mas agradável aos olhos. Roupas que, além de quebrar a monotonia das típicas calças de lycra usadas no circuito Parque da Sementeira – Beira Mar, mostraram um pouco de quem aquelas meninas realmente são. E elas me pareceram lindas.

Cycle Chic em Nova Iorque (foto: downtownfrombehind)

Segui meu caminho com a cena na cabeça. Logo mais adiante, num cruzamento, parei ao lado de outra ciclista urbana. Ao que pareceu, ela estava indo trabalhar. Dias depois, foi a vez de um desses quarentões de escritório passar por mim de camisa social, calça de alfaiataria e bicicleta. É, não estamos em Copenhague, mas é certo que de Cycle Chic já temos algum movimento. E Cycle Chic é justamente isso: pessoas, como eu e você, pedalando com as mesmas roupas que usam rotineiramente.

O termo surgiu em 2007 duma sacada de Mikael Colville-Andersen, um fotografo e jornalista dinamarquês, que eu considero fantástica. A explicação dele soa simples e óbvia: o termo contemporâneo representa algo que, na verdade, existe desde o século 19, época em que a bicicleta foi inventada. E a melhor parte é justamente essa: a desmistificação da bike que, pelo que dizem, foi concebida como um meio de transporte, não como um brinquedo ou aparelho esportivo.

As fotos que Mikael segue postando em seu blog desde aquele ano impressionam. Em parte pela elegância de mulheres pedalando de vestido e salto alto. Em parte pela naturalidade com a qual a bike faz parte do cenário urbano. Mas o que eu realmente aprecio é que em tempos de um carro por cabeça, existe em algum canto do mundo uma cidade onde fora de moda mesmo é cada um usar, diariamente, o carro para ir trabalhar.

Faça um exercício. Imagine como seria ter um monte de ciclistas estilosos pelas ruas de Aracaju às 7h. Seria, no mínimo, mais interessante. Ou não é uma das coisas mais lindas ver o esvoaçar de um vestido duma mocinha pedalando. Da minha parte, prefiro o tal esvoaçar sobre duas rodas do que preso dentro de um carro qualquer.

Cycle Chic em Aracaju por Adson Rocha (foto: Luciano Otávio)

E me parece que eu não sou a única a apreciar o visual mais apurado de alguns ciclistas urbanos. Os chamados blogs de street style, aqueles que registram o estilo de anônimos pelas ruas, começaram a direcionar suas lentes também para quem passa de bicicleta. Os fotografados, por sua vez, trazem as tendências da temporada diluídas em combinações autênticas e cheias de charme. Tudo é muito despretensioso e, em alguns casos, paradoxal. A Birkin Bag, por exemplo, vez ou outra aparece jogada displicentemente na cestinha da bicicleta. Em vez de capacete, usam-se chapéus, gorros, bonés.  Os fones de ouvidos parecem mais um acessório para arrematar a produção. Além dos óculos escuros, é claro.

Tanta sintonia entre moda e bicicleta não poderia passar despercebida pelas grifes mundo afora. A Levi’s desenvolveu a linha Commuter, voltada especialmente para o ciclista urbano que vai trabalhar pedalando. Tecidos como o jeans foram tratados com tecnologia que deixam a roupa impermeável, as peças da coleção também são mais elásticas proporcionando maior mobilidade e conforto. Outras trazem ainda películas refletoras que ficam no punho das jaquetas ou na barra das calças podendo ser escondidas fora do trânsito. Marcas de luxo como Missoni, Chanel e Hermès foram além e criaram suas próprias magrelas.  No começo do ano, a Dolce & Gabbana distribuiu seu modelo exclusivo para editores de revistas do meio testarem durante a semana de moda de Milão. A bike tem aquele ar vintage tão caro aos fashionistas. Para arrematar, uma estampa de leopardo. Mais “trend” impossível.

Para saber mais:
http://www.copenhagencyclechic.com/
http://curitibacyclechic.blogspot.com.br/
http://aracajucyclechic.blogspot.com.br/

Outros blogs:
http://downtownfrombehind.tumblr.com/
http://www.thesartorialist.com/tag/bicycles/

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários