Data Vênia

0

BOSCO COSTA. BC é um dos políticos mais emblemáticos do Estado. O excesso de cautela e serenidade o diferencia dos demais. No exército, ele seria o combatente “moita”, aquele que nunca aparece, mas quando chega mostra que tem capacidade eleitoral e surpreende a todos. Está no seu segundo mandato na Câmara Federal e procura construir novas bases, pois deve perder o apoio de Walmir de Francisquinho em Itabaiana que é certamente sua maior base eleitoral.

FÁBIO HENRIQUE. FH tem se saído bem no exercício da função parlamentar, contando com o apoio do presidente do PDT Nacional Carlos Lupi. No último ano, teve o dissabor de perder as eleições para prefeito de Nossa Sra. do Socorro, cidade que governou por duas vezes. Acredita que será o candidato de Edvaldo Nogueira, por ter dado a legenda para este se reeleger, tendo o próprio Lupi vindo a Sergipe para tratar deste acordo, até agora não fechado. O deputado precisa avançar mais com as lideranças do interior e formalizar uma base política mais sólida, senão terá uma eleição difícil, a menos que decida ir para a ALESE, que seria o caminho mais seguro.

FÁBIO METIDIERI. FM pretende voar mais alto nessas eleições e chegar à governadoria, sendo apresentado por Belivaldo como candidato da situação. Nas eleições passadas, pensou em candidatar-se ao senado, mas logo desistiu. Sua última cartada foi trazer o ex-deputado André Moura para a base aliada do governo, algo que não foi bem visto pela ala mais conservadora. Acredita FM que AM pode incrementar sua campanha, entretanto até agora não visualizou nenhum ganho com este “matrimônio”. Seus índices não são bons e tem sido postos em discussão com os aliados, que estão temerosos com a indicação. Com sua saída abre-se uma vaga na Câmara Federal.

FÁBIO REIS. FR terá pela frente uma reeleição difícil. Perdeu o apoio do padrinho, o ex-governador Jackson Barreto, que também é candidato a deputado federal e recentemente tomou uma lavada nas eleições municipais de Lagarto pelo grupo adversário comandado pelo também deputado federal Gustinho Ribeiro. Na verdade, FR é um parlamentar “morno” que herdou o PMDB e não soube conduzir a sigla da forma que ela merece e isso o enfraqueceu. Sem candidatos a vereador na capital viu os vereadores Bigode e Gonzaga migrarem para outros partidos e perderem a eleição. Outro erro dos “Reis” foi tirar a presidência da Fundação Ulisses Guimarães do ex-governador e deputado federal Benedito Figueiredo, que vinha fazendo um excelente trabalho junto à entidade.

LAÉRCIO OLIVEIRA. LO é um excelente parlamentar e transita muito bem no Palácio do Planalto. Já disse que não pretende ir para a reeleição, pois quer ocupar um cargo majoritário – senador ou governo. Quando da visita do Ministro Marinho ao Estado de Sergipe este o lançou candidato a governador, criando um desconforto a todos, principalmente à base do Governo. Com a vinda de André Moura para a base aliada, sua esperança de ser candidato ao senado foi por água abaixo. Sua estratégia ainda é uma incógnita, por isso trabalha em silêncio para alcançar seu objetivo, que só depende de uma pitada de coragem. Recentemente foi procurado por um grupo oposicionista para que se apresentasse como uma terceira via ao governo. Como um calango, apenas balançou a cabeça acenando a possibilidade.

VALDEVAM 90. Noventa tem se mostrado o mais decidido de todos os parlamentares federais e não deixa nenhuma dúvida de que será candidato ao senado. No começo do ano, juntou sua base política e começou a rodar o Estado, em busca de apoio para sacramentar sua intenção. Visitou políticos antigos, deputados federais e estaduais, prefeitos e diversas lideranças no interior, onde tem recebido apoio das mais diversas classes políticas. Possui um tom carismático de fazer política e fama de honrar o que promete. Com sua saída abre-se mais uma vaga na Câmara Federal.

GUSTINHO RIBEIRO. Ao que tudo indica, GR terá uma eleição tranquila, pois nestes últimos três anos só fez aumentar sua base eleitoral. Deu um baile nas eleições de Lagarto, reelegendo sua esposa Ilda Ribeiro e em Tobias Barreto venceu novamente os “Reis”, apoiando Dilson de Agripino. Político inquieto, não pára de se articular e avança com muita força em outras regiões de Sergipe. Na esfera federal é o vice-líder do SOLIDARIEDADE, um dos partidos que apoiam o Governo Federal.

JOÃO DANIEL. O catarinense JD, que “pousou” por acaso no palanque sergipano, tentará o seu terceiro mandato na Câmara Federal pela bancada de Sergipe, sendo o mais forte dos candidatos do PT e, certamente, deverá se manter no cargo. Seu trabalho consiste em fomentar os assentamentos de terra, principalmente no sertão sergipano, onde deve dividir os votos com Pr. Heleno Silva – que tem feito campanha na região e fixou endereço em Nossa Senhora Glória. JD também perde o apoio integral dos militantes, pois dividirá os votos de federal com a vice-governadora Eliane Aquino e Márcio Macedo, que tem como padrinho o presidenciável Lula.

PASTOR JONY MARCOS. PJ é o primeiro suplente da sua coligação, com 39.380 votos nas últimas eleições. Apoiado pela Igreja Universal, avalia candidatar-se à Câmara Federal, visto que o líder do seu partido, Heleno Silva, também pretende disputar o mesmo cargo, não havendo votos para os dois. JM é inteligente e não pretende cometer o mesmo erro das últimas eleições quando dividiu os votos dos evangélicos com o Pr. Antônio e acabou ficando de fora. Acredita-se que faça uma dobradinha com Heleno Silva para federal e ele estadual. Se tivessem optado por essa estratégia no último pleito, ambos estariam com mandato. Há também a possibilidade de ambos serem candidatos a federal, formando uma “chapinha” para eleger um dos dois, visto que o partido precisa de um representante na Câmara Federal.

MÁRCIO MACEDO. MM só conseguiu chegar à Câmara Federal com o apoio de Marcelo Déda. Órfão politicamente, tentou por mais duas vezes e não teve o sucesso que esperava. Nas últimas eleições teve 49.055 votos, ficando na sétima colocação. Enfrentará uma eleição muito difícil, pois o PT vem com mais dois fortes candidatos à Câmara Federal – João Daniel e Eliane Aquino. Aposta alto na “onda vermelha” do PT e no apoio do padrinho Lula. Ultimamente tem afinado os diálogos com Rogério Carvalho, coisa que não se via dentro do PT há anos..

PASTOR ANTÔNIO SANTOS. PA é uma pessoa simples que foi levado à candidatura de deputado federal pelo então candidato a senado André Moura. PA levou AM para dentro da Assembleia de Deus. Em troca, esperou os votos do candidato para a Câmara Federal, o que não aconteceu. Segundo pessoas mais chegadas ao PA, há um apelo dos seus familiares para que ele não dispute nenhum cargo nas próximas eleições e dedique-se à igreja. Será uma decisão pessoal, até porque, o Pastor Virgílio decidiu liberar a Igreja para votar em quem quisesse, óbvio em algum nome da congregação.

ADELSON BARRETO. O maior erro de AB foi ter sido candidato a deputado federal e tentar eleger o sobrinho, pois se afastou do Estado e deixou de lado o trabalho filantropo que fazia com as comunidades mais carentes. Deve ser candidato a deputado estadual, para o qual certamente será eleito. Foi um desastre na Câmara Federal!

ELBER BATALHA. Nas últimas eleições, EB saiu em disputa à Câmara Federal por uma exigência do PSB, beneficiando Fábio Henrique, pois sabia que não tinha cabedal político para ir para Brasília. EB pouco fez campanha e surpreendeu com os 16.857 votos obtidos. Homem de partido, espera as deliberações dos “Valadares” (Pai e Filho) para decidir seus próximos passos na carreira política. Faltou-lhe também mais empenho na candidatura de FH a prefeito de Socorro, o que lhe renderia dois anos de mandato federal na câmara federal, com chances de reeleição.

ALEXANDRE FIGUEIREDO. AF já disse aos amigos e correligionários que será candidato a deputado estadual e pretende nos próximos dias procurar uma sigla nova, pois não cabe mais no MDB, comandado pelos “Reis”. Naturalmente deve esperar o start de Belivaldo para traçar seu rumo. Mantém conversas preliminares com lideranças políticas e passa os finais de semana na “pista”, ou seja, garimpando votos pelo interior. Na verdade, AF nunca parou de fazer campanha desde o último pleito.

DANIELA GARCIA. DG atingiu um bom índice de intenção de votos para governo na semana quando assinou a filiação no Podemos. Superou até o Fábio Metidieri, mas índice é índice. O que vale mesmo é grupo político e DG ainda não tem o seu. Na visita a Diná (deputada pelo PODE) foi bem recebida, mas nada ficou ajustado quantos aos planos à Câmara Federal. Diná tem compromisso com Fábio Reis e deve cumpri-lo. Enquanto isso, Daniela navega sozinha no oceano político.

DOUTOR EMERSSON. DE é um nome que permaneceu incólume aos efeitos desgastantes da política, deve ser parabenizado pela sociedade sergipana pela seriedade, coerência, capacidade de trabalho e ética. Convidado para ser o presidente do CIDADANIA, nunca se utilizou do partido para fins pessoais, muito pelo contrário trouxe a alternativa de uma administração conjunta. Humilhado pelo senador Alessandro Vieira que o pôs para correr do partido na semana passada, pousa com toda acolhida no PSB dos “Valadares” onde terá carta branca. O jornalista Cláudio Nunes em seu blog de ontem bem definiu a saída do médico: “Em respeito ao Dr. Emersson: Quem não lembra que o sério e ético Dr. Emerson construiu o Rede a duras penas em Sergipe, sacrificando até mesmo a vida profissional dele na tentativa de dar uma alternativa de verdade aos sergipanos? Depois que Alessandro entrou, Dr. Emerson – que tinha um grupo, não grande, mas coeso – virou coadjuvante e foi literalmente “atropelado” na campanha de Aracaju virando uma carta fora do baralho, mesmo sendo presidente do diretório de Aracaju. Desiludido entregou o cargo. Para onde segue Dr. Emerson e seu grupo? Cidadania, Podemos? Ou vai pendurar as chuteiras já que a desilusão com alguns é notória…”. Agora fica a cargo dos cidadãos avaliarem o cargo.

… Washingnton Coração Valente é o mais novo candidato a senador de Sergipe. Entrevistado pelo jornalista e radialista Gilmar Carvalho, o mesmo disse que está pronto para entrar em campo. Interessante que o primeiro ouvinte que entrou no ar para apoiá-lo coincidentemente chamava-se Romário. Valente deve querer repetir o gol que o “baixinho” fez no Rio.

Deu no NE: “…O início de agosto será decisivo para o ex-deputado André Moura. A ação de improbidade administrativa movida contra ele pelo Ministério Público Estadual, referente ao período em que foi prefeito de Pirambu, será julgada pelo STF. Sem a mesma força política de antes (quando era líder do governo Temer), André corre sério risco de ser condenado e ficar inelegível…”

… Em Brasília está quase certo que o PSB irá marchar com o PT nas eleições presidenciais, logo o ex-governador Valadares já trabalha a possibilidade de unir-se a Rogério Carvalho nessa empreitada.

… O PDT de Fábio Henrique e Edvaldo Nogueira que em tese deveria ir com o pretenso presidenciável Ciro Gomes está dividido. Edvaldo vai com Fábio Metidieri e Fábio Henrique com Rogério Carvalho, pois Adilson Júnior (irmão de FH) tem um dos maiores cargos no gabinete de RC.

… Os Republicanos, sob a coordenação do Pastor Jony Marcos, trabalha a formação de uma “chapinha” para a Câmara Federal, com o objetivo de fazer um ou dois deputados. Estão quase escalados: Heleno Silva, Jony Marcos, Fábio Henrique, Capitão Samuel e outros.

…Nessa sexta-feira, depois de anos, estarão dividindo o mesmo palanque o governador Belivaldo Chagas e André Moura na comemoração da ordem de serviço de reforma da rodovia que liga Japaratuba a Pirambu. Só não convidem para esta solenidade o ex-prefeito Sukita que não gosta do cheiro de “saruê”.

… O senador Alessandro Vieira só pensa na CPI. Abandonou Sergipe, Dr. Emersson, Daniela Garcia e outros que confiaram em suas promessas. Neste toar acabará sozinho no partido CIDADANIA que já está mais que partido.

… O nome de Walmir de Francisquinho para a governadoria tem chamado atenção de lideranças políticas de todo Estado de Sergipe. No sertão ele chega como um “Salvador da Pátria” e nas outras localidades como uma renovação política em detrimento das mesmas figurinhas que ocupam o poder.

… Desembarcando do Governo está mesmo o pessoal do PT, que já arrumou as gavetas para a entrada dos novos aliados. Tem gente que não acredita que sairá, pois entrou como Déda em 2007 e ali ficou pendurado até a data de hoje.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais