De Clodoaldo a Diego Costa

0

Diego Costa, o artilheiro da seleção da Espanha na Copa da Rússia, colocou o povoado Brejo no mapa do Brasil. Ele iniciou sua carreira vitoriosa num clube daquele vilarejo muito próximo da sede do município de Lagarto e a meio caminho do povoado mais famoso, Colônia Treze.

O adolescente Diego Costa jogou no Cruzeiro do Brejo, de onde saiu em 2004, aos 16 anos, a contragosto dos pais, para o Barcelona de Ibiúna, em São Paulo, depois de ter sido rejeitado pelo Lagartense, o principal clube da sua terra natal.

A porta para a Europa foi o Sporting de Braga, de Portugal, para onde se transferiu em 2006.

Em 2007, foi comprado pelo Atlético de Madrid, que se tornou o time do coração e onde alcançou o estrelato. Nos primeiros anos, para ganhar experiência, foi emprestado a outros clubes da Espanha, até finalmente alcançar a titularidade no time madrilenho, onde já marcou mais de 90 gols.

De 2014 até o ano passado ele jogou pelo Chelsea, da Inglaterra, anotando ali quase 80 gols e conquistando dois títulos da Premier League, antes de retornar para os braços dos apaixonados torcedores do Atlético de Madrid, onde já havia conquistado o campeonato espanhol e mais recentemente ganhou a Liga Europa.

Desde 2013 Diego Costa tem cidadania espanhola e desde 2014 integra a seleção roja. Considerado violento quando chegou à Espanha, o atacante vigoroso domou o instinto agressivo, conquistou os espanhóis e nos dois primeiros jogos desta Copa já marcou três gols, dois contra Portugal e o gol da vitória contra o Irã.

Nesta segunda-feira ele volta a campo contra Marrocos e pode se firmar na disputa pela artilharia da Copa.

Já é o jogador brasileiro naturalizado que mais marcou gols por outra seleção numa Copa do Mundo. E é o segundo sergipano a fazer gol em mundiais.

O primeiro foi Clodoaldo, o famoso volante do Santos, tricampeão de 70, que fez um gol na dura semifinal contra o Uruguai. E foi autor do clássico drible em quatro adversários que deu início à jogada que terminou com o golaço de Carlos Alberto Torres, o quarto da vitória brasileira na final contra a Itália. Clodoaldo fará 69 anos em setembro.

Diego Costa, que fará 30 anos em outubro, também garoto de origem pobre, nasceu predestinado ao futebol. O pai, o agricultor José de Jesus Costa, o batizou em homenagem ao craque argentino Diego Maradona. A escolinha Bola de Ouro dirigida por Flávio Machado, seu primeiro treinador, onde ingressou quando ele tinha 9 anos, hoje é mantida por ele.

Já disse que quando se aposentar dos gramados voltará para Lagarto. É ali que gosta de estar com a família e se cercar dos amigos para conversar na lanchonete do Roque. Apesar da reconhecida humildade, é em Lagarto onde Diego Costa, o craque da seleção da Espanha, é tratado como um rei.

Comentários