De olho nas eleições

0

Tire o cavalinho da chuva quem pensa que os políticos estão preocupados com a crise econômica, com os problemas do povo. Eles só têm cabeça para as eleições do próximo ano. Mesmo quem não será candidato em 2018 vai trabalhar para eleger governador, senadores e deputados para que estes os apõem no ainda distante pleito municipal de 2020. Basta observar os discursos e entrevistas dos políticos: quando não falam abertamente sobre as próprias pré-candidaturas ou as de suas preferências, criticam os adversários, visando desgastá-los junto ao eleitorado. Portanto, não pense que problemas como insegurança, crise da saúde, falência da educação, precariedade do transporte público e atraso de salários são prioridades da classe política. Quando muito, os governantes de plantão farão remendos aqui e ali para iludir o cidadão e conquistar os votos dos ingênuos, com a promessa de que, se eleitos, o mundo será diferente e bem melhor. Pra eles, é claro!

Canto da sereia

E o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) desconfia que a direção do PODEMOS foi engabelada ao acreditar que o governador Jackson Barreto (PMDB) se filiará ao partido. A dúvida de Vavá aumentou após o secretário estadual de Inclusão Social, Zezinho Sobral, ter trocado o PMDB pela legenda que tem o senador Álvaro Dias como presidenciável. Diante da mudança, Vavá indaga: “Zezinho é o precursor de JB ou o PODEMOS caiu no canto da sereia?”. Aff, Maria!

Mangue cortado

Ambientalistas acusam a empresa responsável pela ampliação do Shopping Riomar de cortar parte do mangue no entorno daquele centro de compras. Os denunciantes estranham o silêncio da Administração Estadual do Meio Ambiente sobre este crime ambiental. Será que o corte da vegetação foi autorizado pela Adema? Por coincidência, o Riomar acaba de promover o Projeto “Jogando Limpo com o Mangue”, justamente para chamar a atenção da sociedade sobre a degradação dos manguezais. Ah, bom!

Vem pra cá

Com o título acima, o jornal Estadão publicou a seguinte nota: Líder do governo no Congresso, o deputado federal André Moura (PSC-SE) foi convidado pelo presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá, a ingressar no partido. A mudança está condicionada à saída quase certa do PMDB do governador de Sergipe, Jackson Barreto, que deve ir para o PODEMOS. Se topar, Moura comandará o PMDB sergipano.

Luto

Foi sepultado, ontem, em Aracaju o jornalista e radialista Adalvo Fernandes Santos, 76 anos. Vítima de uma pneumonia, ele morreu no último sábado. Adalvo atuou em diversos órgãos de comunicação de Sergipe, a exemplo do Jornal da Cidade, rádios Cultura, Jornal, Atalaia e Aperipê, além das TVs Sergipe e Atalaia.

Dúvida atroz

A maioria da bancada sergipana na Câmara Federal está indefinida sobre a denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República contra o ainda presidente Michel Temer (PMDB). Questionados pela Folha de São Paulo se votam ou não pedido de abertura de ação penal contra o peemedebista, João Daniel se disse favorável, enquanto André Moura afirmou ser contra. Valadares Filho, Adelson Barreto, Fábio Reis, Jony Marcos e Laércio Oliveira não responderam. Por sua vez, Fabio Mitidieri não sabe como votará.

Jogo duplo

Em quem o ex-prefeito de Capela, Manoel Sukita (PODEMOS), votará para deputado federal? Esta é uma resposta que o próprio político capelense talvez não tenha. “Namorado” pelos deputados Fabio Mitidieri (federal) e Gustinho Ribeiro (estadual), o ex-prefeito faz charminho, só devendo abrir o jogo no momento oportuno. Enquanto isso, os dois parlamentares não economizam galanteios a Sukita e à esposa dele, prefeita Silvany. Marminino!

Zonas defendidas

As Associações dos Magistrados de Sergipe, e do Ministério Público Estadual são contra a extinção de zonas eleitorais. Serão extintas zonas eleitorais em Laranjeiras, Poço Verde, Neópolis, Cedro de São João, Cristinápolis e Frei Paulo. Só devem permanecer aquelas com média de 100 mil eleitores. As duas associações entendem que a extinção comprometerá a fiscalização das eleições e dificultará o combate à corrupção, pois a Justiça diminuirá a sua presença nos municípios. É, pode ser!

Petição de miséria

Sergipe chega em 2017 sem conseguir reverter a perda de espaço na economia nacional, com elevada taxa de desemprego (15,0%) e PIB per capita estimado em R$ 18,1 mil, bem abaixo da média brasileira (R$ 30,4 mil). O estado ocupa o 3º lugar no país em homicídios, com 49,4 assassinatos por 100 mil habitantes, enquanto o ensino fundamental aparece nas últimas posições no ranking nacional. Esta triste realidade é atestada pelo Anuário Socioeconômico de Sergipe 2017, que acaba de ser publicado pelo Departamento de Economia da Universidade Federal de Sergipe. Uma lástima!

Aluguel assusta

E o deputado estadual governista Capitão Samuel (PSL) cobra explicações da Secretaria de Estado da Saúde sobre o aluguel de um imóvel por R$ 150 mil mensais. Trata-se do prédio onde funcionava a loja Mistão, na avenida Rio de Janeiro. “Também precisamos saber quanto será gasto para adequá-lo às necessidades da Saúde”, afirma Samuel. Segundo ele, este mesmo imóvel só não foi alugado à Secretaria da Segurança Pública por causa dos gastos com sua adequação. Homem, vôte!

Falta gestão

A grave crise financeira que se abateu sobre o governo estadual e as prefeituras é consequência, em grande parte, da falta de gestão. À maioria dos políticos interessa mais ficar bem na fita com aliados e apadrinhados do que realizar uma administração profissional, onde não haja espaço para despesas supérfluas. Será que os governantes transformariam as próprias empresas em cabides de empregos?

Recorte de jornal

Publicado no Diário de Sergipe, em 24 de dezembro de 1958

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários