Déda, reflexões e o novo governo

0

 

Passada uma semana da eleição que resultou na reeleição do governador Marcelo Déda (PT), seus amigos e assessores mais próximos fazem questão de dizer que estão sentindo uma mudança (para melhor, já era tempo) no semblante e no discurso dele. Depois de ter conseguido a reeleição e ter sido absolvido no processo do TSE, Déda começa a refletir sobre os erros e acertos do atual governo.

 

Déda sabe que agora não terá a desculpa de arrumar a casa e muito menos de esperar a equipe “azeitar”. Ele já sabe quais foram os gargalos que literalmente “empacaram”, o governo nos dos primeiros anos. E pelo que Déda vem dizendo parece que ele decidiu fazer um governo mais perto do que pensa ideologicamente, com ênfase em políticas fortes na área social.

 

Além disso, ele sabe que necessita fortalecer mais a comunicação para mostrar as ações governamentais. Se comparado com vários outros governos estes últimos quatro anos o investimento foi tímido, principalmente no interior do Estado. E no campo político formar realmente um grupo sob sua liderança. Falta diálogo, não aquele diálogo em troca de favores governamentais. Mas um diálogo franco e aberto que somente um líder forte tem com seus aliados.

 

Todo mundo sabe que na política tem alguns que são verdadeiros “marginais”, no sentido mais rico da palavra, mas também existem muitos homens e mulheres corretas. E Déda sabe disso, não pode misturar todos no mesmo saco e que necessita desta aproximação mais franca e aberta. Sem falar no “gostar” do povo não apenas no período eleitoral.

 

Alguns membros do governo, inclusive o próprio governador, não gostam da comparação com o desempenho de Jacques Wagner, governador da Bahia, também reeleito no 1º turno, mas com uma vantagem bem melhor. Jacques enfrentou a herança do Carlismo (ACM) e Déda o alvismo com toda sua força. Os governos dos dois podem ser considerados “bons”, mas o governador baiano chegou as raias da grosseira com o funcionalismo público, não dando aumento real para nenhuma categoria. Já Déda, depois de muita demora, fez acordos importantes com as policias e o magistério.

 

Enquanto Jacques Wagner arrasou e enterrou de vez qualquer possibilidade de ressurgimento deste segmento “coronelista”, Déda ao contrário, mesmo vencendo a eleição, fez ressurgir o alvismo, mostrando que ele ainda tem força para outras eleições. E ficam as perguntas: Qual foi a diferença desses dois grãos petistas nordestinos? Será que foram os aliados que déda incluiu em sua coligação? Pode ter sido, afinal ex-alvistas hoje são mais petistas que nunca (pelo menos parecem). Isso levou os militantes históricos do PT a se calarem, a não levantar bandeiras. Quem diria que Déda abriria mão em ter em sua chapa um político respeitado por todos (oposição e situação) como Belivaldo? Esse abandono teve um preço alto, e futuramente será cobrado. Bem, motivos seriam muitos, mas é melhor esperar, afinal Déda ganhou as eleições.

 

Mas este é outro debate, no campo ético, que o blog vai travar por várias vezes. E este debate, da ética com honestidade e respeito ao dinheiro público, sempre foi o norte do discurso de Déda. E terá que ter muito cuidado para não perder por conta de alguns neo-aliados que já mostraram que não tem o menor escrúpulo para usar o poder econômico para chegar a onde pretendem.

 

Alguns esquecem que são eleitos para servir ao povo e não aos seus interesses pessoais e empresariais. E este “troco” eleitoral sairá muito caro…

 

Custeio

Na semana passada um importante órgão do governo quase teve a energia elétrica cortada por conta do atraso de mais de três meses. O blog soube que outros órgãos estão atrasando, não só o pagamento de energia, mas várias despesas importantes por conta da redução do  custeio em 35%.

 

Desvios de função

Os três policiais militares presos na semana passada pela polícia da Bahia eram lotados na coordenadoria do interior e não usavam fardas, ou seja, estavam em desvio de função. O sargento há muito tempo não sabe o que é uma farda. E a SSP tem que esclarecer se eles estavam vendendo armas da polícia, armas adquiridas ilegalmente ou apenas munição. E que todos sejam realmente punidos com a expulsão através do inquérito administrativo.

 

Ex-petistas

Porque personagens de destaque no PT quando deixam o partido só o fazem indo para a direita? Essa dúvida tornou-se cristalina a partir do momento que  João Fontes apareceu no programa eleitoral do DEM. E isso não é de hoje. Veja Marcélio Bomfim, Gilvan(ex-vereador), Nilson Lima, e o próprio João Fontes. Deve ter mais  gente.

 

Tem exceções

Goisinho e Chiquinho Gualberto. Este saiu do PT, foi mais para a esquerda e voltou ao PT. João Fontes saiu do PT, aproximou-se do PSOL e deixou os que organizavam esse partido a ver navios. Nilson Lima deu discurso de terceira via e, não por coincidência, a terceira via confundiu-se com a segunda.

 

Direitona

Não é para achar estranho que tais figuras, saiam do PT com argumentos de que o partido traiu a sua história e caem nos braços, ou no colo, da direitona. aquela que já provoca atenção especial do Ibama pelos riscos de extinção?

 

Campanha Dilma

E o governador reeleito Marcelo Déda já está convidando os aliados para uma grande plenária na quarta-feira, 13, às 16hs, no Iate Clube. Será para definir as ações da campanha de Dilma em Sergipe.

 

Leve, feliz e coerente

Do senador Valadares no twitter: “Estou leve e muito feliz. Fui eleito pela vontade do povo e do voto consciente. Em cada Município só tive um lado, pra manter a minha coerência”. Este aí pode colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranqüilo. Já quem mapeou o estado e comprou um mandato…

 

Greve pode acabar hoje

Convocada para hoje, às 17 horas, assembléia geral da categoria bancária deverá apreciar a nova proposta formulada pela FENABAN – Federação Nacional dos Bancos. Há grande expectativa em torno da decisão a ser adotada pela categoria bancária de Sergipe. Esta é uma das maiores paralisações levadas a efeito nos últimos anos pelos trabalhadores do setor financeiro do país.

 

Feriadão

E a diretoria da Emsetur comemora mais um feriadão com 100% de ocupação na rede hoteleira de Aracaju. E este ano ainda acontecerão mais dois feriadões em 02 de novebro (finados) e 15 de novembro.

 

Pureza eletrocutada

2010 foi o ano para o ocaso de uma ex-grande liderança política de Sergipe. EM 1998 esta liderança se rendeu a situação e foi derrotada nas urnas, mesmo tendo 10 milhões de motivos para convencer o eleitorado. Este ano a liderança não conseguiu eleger seus pupilos mesmo tendo 1,5 milhão de motivos que ganhou para dizer “sim”. A pureza ideológica morreu desde 1998.

 

Ainda Aracaju

Interessante notar que João ganhou em 19 bairros (basicamente os da zona norte, Centro, São José, 13 de Julho, Grageru e Jardins e Zona de Expansão), enquanto Déda ganha em 16 (zona oeste e zona sul).

 

Informação errada

Nos programas da rádio Jornal, segunda e terça feira foi repetido várias vezes que João venceu em todas as urnas de Aracaju. Falso. Como é que Deda pode vencer em 16 bairros sem vencer em nenhuma urna?

 

Bajulando o “chefe”

O blog recebeu três e-mails ontem, 10, de leitores criticando o Correio de Sergipe, por conta de todos os colunistas (sem exceção) esquecerem o resultado das urnas no último domingo e balujarem “o chefe” , o ex-governador João Alves de uma forma que fez inveja ao pior dos puxa-sacos. O blog não leu o jornal, mas pelo que os três leitores enviaram pelos e-mails não é novidade, lá é uma verdadeira “batalha” para ver quem bajula mais.

 

Memória política

O instrumento do segundo turno nas eleições foi introduzido, em nosso país, pela nova Carta Magna, promulgada em 5 de outubro de 1988. E sua aplicação, pela primeira vez, ocorreu no ano seguinte, no pleito presidencial de 1989. A ultima oportunidade em que tinha havido eleições diretas para presidente da República foi em 1960, quando ocorreu a eleição de Jânio Quadros.

 

Collor X Lula

Fernando Collor de Mello e Luiz Inácio Lula da Silva, respectivamente do PRN e do PT enfrentaram-se no segundo turno e a vitória acabou pertencendo ao alagoano Collor, cujas bandeiras eram o fim da inflação, a moralização da política e o combate firme aos marajás, ou seja, aos funcionários públicos federais que recebiam altos salários. A modernização econômica do país também fazia parte da plataforma de Fernando Collor, nela incluída a diminuição do papel do Estado.

 

Números

1989 – Fernando Collor de Melo, 35.089.998 e Lula – 31.076.364. Vitória, portanto, de Collor, com 53,04 por cento. 2002 – Lula, 52.772.475 e José Serra, 33.356.860. Lula venceu com 61,28 por cento. 2006 – Lula, 58.295.042 e Geraldo Alckmin, 37.543.178 votos. Nova vitória de Lula, dessa feita contando com 60,83 por cento dos votos.

 

Governadores

Somente em 1990 tivemos eleições em segundo turno para governadores dos estados brasileiros. Pela legislação eleitoral em vigor, quando um dos candidatos não alcança a maioria absoluta, ou seja, a metade dos votos mais um, há necessidade de uma segunda rodada, denominada segundo turno, com a participação dos dois pretendentes ao cargo disputado que mais sufrágios conquistaram no primeiro turno.

 

Despencou

O valor da Petrobras caiu 19 bilhões de reais após capitalização com relatórios negativos. As perdas chegam a ser superiores às sofridas pela BP – British Petroleum, em consequencia do vazamento de um poço no Golfo do México.

Petrobras

Neste período que precede a realização do segundo turno da eleição presidencial, dois temas preocupam o governo. A perda considerável de valor da PETROBRAS após a bilionária capacitação para garantir a exploração da camada pré-sal e a persistente queda do dólar. Por mais que o governo compre dólares, a moeda americana resiste e mantém-se sub-valorizada. O Ministério da Fazenda, aliado ao do Planejamento prepara novas estratégias para oferecer condições de reverter o quadro relativo à cotação do dólar. A situação atual prejudica as exportações, ao mesmo tempo em que aumenta as importações, com sérios reflexos em nossa balança comercial.

 

Cruzeiro assume liderança

 O Cruzeiro derrotou o Fluminense, por 1 X 0, em Uberlândia. O Corinthians perdeu para o Atlético Goianiense, por 4 X 3, no Pacaembu. Com esses resultados, a equipe mineira assumiu a liderança do Brasileirão, com 54 pontos ganhos. O Fluminense está em segundo lugar, com 52 e o Corinthians, em terceiro, com 49 pontos. Com a derrota para o Atlético de Goiás, o técnico Adilson Batista entregou o cargo de treinador do Corinthians. Uma das principais peças do time de Goiânia é o goleiro Márcio, sergipano, filho do ex-goleiro Memera e de D. Mara, grande torcedora do Confiança.

 

Kaká poderá deixar a Igreja Renascer

Esta notícia corre o mundo, nos diversos meios de comunicação, na Internet, inclusive.

 

Morumbi

Declaração do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, segundo a qual o Estádio do Morumbi é opção para receber jogos da Copa 2014 caso ocorram problemas com o futuro estádio do Corinthians não foi bem recebida pela CBF. Membros da direção da CBF informaram não existir a mínima possibilidade de isso acontecer, vez que o assunto nem foi discutido com o Comitê Organizador Local da importante competição. E mais: que esse tipo de especulação só serve a outros interesses e não ao campeonato mundial de futebol.

 

Segundo amistoso

Depois de vencer facilmente o Irã, por 3 X 0, a seleção brasileira de futebol faz, hoje, seu segundo amistoso oficial da era Mano Mano Menezes. A partida será disputada na cidade inglesa de Derby e a Ucrânia será a adversária do Brasil.

Reforma tributária

Aécio Neves e Itamar Franco, eleitos senadores por Minas Gerais, deverão juntar suas forças pela aprovação da tantas vezes adiada reforma tributária, logo a partir do início dos trabalhos do Senado, em fevereiro de 2011.

 

DO LEITOR

 

“Sei que fiz a minha parte!”

Do leitor Messias Gonçalves: “Foi com esta frase, que o deputado estadual professor Wanderlê, agradeceu aos seus eleitores, com faixas espalhadas pela cidade de São Crtistóvão. Fico feliz em ver o meu deputado aceitar e compreender que as urnas. Feliz também por ter a certeza que ele me representou muito bem na assembleia legislativa do nosso estado. Wanderlê enfrentou várias batalhas ao longo dessa candidatura. Houve o recurso por parte da Procuradoria Geral Eleitoral, quando o próprio TRE/SE lhe concedeu o registro da sua candidatura, outro processo que dormia e somente agora fora julgado, perto das eleições também fizeram com que o prejudicasse. Mas mesmo assim, obrigado meu deputado. Você honrou o meu voto e dos demais eleitores que em 2006, lhe conduziu a condição de deputado estadual. Tenha certeza de uma coisa. Todas as causas defendidas por você nestes quatro anos, não terá mais um fervoroso defensor como você. E ai quem perde é a nossa população. Os projetos de grupo para o futuro, com certeza continuarão.Valeu!” Messias Gonçalves.

 

Loteamento de cargos

E-mail recebido: “Tem um cara que se diz coordenador da campanha de Eduardo Amorim – que trabalha num importante órgão estadual – dizendo que vai assumir a diretoria administrativa e financeira da empresa em janeiro. Vive mostrando o telefone celular com supostas ligações dele. Acontece que o cidadão é muito gabola e mentiroso. Mas na sua cabeça ele se acha no direito de pleitear essa indicação. Sé que não tem expressão. Só ilusão”.

 

Desafio para Chiquinho Ferreira e o governador Republicano

Do secretário de comunicação de Itabaiana, Marcos Aurélio: “Já que o secretário adjunto Chiquinho Ferreira afirma que é o prefeito Luciano Bispo que não aceita discutir as parcerias com o governador Marcelo Déda, e como desde janeiro de 2009 estamos aguardando que o governador se digne a receber-nos, em audiência, para tratarmos dos assuntos de interesse do município de Itabaiana, faço aqui, de público, um desafio ao competente secretário Chiquinho Ferreira, que ele divulgue o dia, o horário e o local em que o governador republicano Marcelo Déda poderá receber o prefeito para a referida audiência, na qual serão encaminhados os benefícios para Itabaiana, a exemplo de todos os projetos já citados anteriormente em sua coluna como a construção da central de abastecimento, a ocupação do Distrito Industrial, a rodovia que liga Itabaiana à Itaporanga, o Gasoduto, a solução para o tratamento dos resíduos sólidos da região do agreste, a construção do autódromo de Itabaiana, a construção de casas populares, a pavimentação de ruas nos bairros de Itabaiana e demais projetos estruturantes para a nossa cidade. Ao invés de Chiquinho ficar lorotando através da imprensa, que ele convença o governador do Estado a receber o prefeito de Itabaiana, no dia que lhe for conveniente para tratar de assuntos de interesse do Povo de Itabaiana. Esse tipo de discussão não interessa ao cidadão sergipano e em especial ao itabaianense. Estaremos aguardando a resposta de Chiquinho Ferreira em nome do governo do Estado”.

 

ARTIGO

 

Dia do Engenheiro Agrônomo – Arício Resende Silva*

 

O reconhecimento do trabalho do engenheiro agrônomo veio acontecer 58 anos após o surgimento da agronomia no Brasil, em 12 de outubro de 1933 através do decreto n. 23.196 que regulamentou o exercício da profissão de agronomia, é que foi oficializada a existência desse profissional, portanto esta data de regulamentação da profissão, 12 de outubro, passou a ser adotada pela categoria como o dia do engenheiro agrônomo.

 

A ciência agronômica surgiu no Brasil, na segunda metade do século xix, resultante da gradativa extinção da escravidão, do declínio da cana de açúcar no nordeste e da pecuária no sul do país. a aristocracia agrária em processo de decadência no nordeste, devido ao deslocamento do eixo econômico do país para o sudeste, com a lavoura do café, pressionava continuadamente o governo imperial, na busca de uma solução para o problema da mão de obra, comércio e competitividade de seus produtos agrícolas. desta situação, nasceu em 1859 o imperial instituto baiano de agricultura, com o objetivo de desenvolver uma tecnologia capaz de substituir a mão de obra escrava e melhorar a produção das lavouras.

 

A primeira escola de agronomia foi criada em 1875 na Bahia, no entanto só foi inaugurada em 15 de fevereiro de 1877 e a segunda em pelotas no rio grande do sul, portanto as duas escolas de agronomia no Brasil foram criadas ainda no governo imperial, vinculadas aos interesses da aristocracia agrária. após o surgimento da agronomia, o sistema de produção agrícola, passou a receber incrementos crescentes de recursos externos e a posse do saber agrícola, historicamente acumulada no homem do campo, foi gradativamente deslocada para os meios intelectuais e incorporada na tecnologia, na condição de propriedade do capital, aprofundando a divisão entre a concepção e a execução do processo produtivo. na região sudeste, a presença da mão de obra imigrante, substituindo a mão de obra escrava e o domínio absoluto do café brasileiro no comércio internacional, retardou a demanda pela agronomia.

 

Do início do Brasil republicano até o período do pós-guerra, aproximando-se dos anos sessenta a agricultura essencialmente agroexportadora e a oligarquia que a comandava foram perdendo força e o espaço agrícola foi também sendo ocupado pela agricultura diversificada, praticada pela força do trabalho familiar e direcionada ao mercado interno, em substituição as importações. Nesse período a ciência agronômica, inteiramente vinculada ao estado, era comandada a partir do ministério da agricultura que fomentava a produção agrícola diversificada, onde a tecnologia era importada e prioritariamente dirigida as atividades como o beneficiamento do café e do algodão. Vale a pena ressaltar que o ensino de agronomia no Brasil só foi criado e regulamentado oficialmente, 35 anos depois do surgimento da primeira escola, através do decreto n. 8.319 de 20 de outubro de 1910. o principal objetivo desse decreto foi o de disciplinar a formação de mão de obra para a agricultura, muito diferente de preocupar-se com a formação profissional do engenheiro agrônomo voltado para o desenvolvimento agrário e não deixava dúvidas sobre o papel deste profissional nas políticas de governo. o decreto dizia: “o ensino agronômico visa a instrução técnica para o desenvolvimento das grandes propriedades” e não fazia qualquer menção as questões sociais do campo e a agricultura familiar.

 

Passado o primeiro momento do papel do engenheiro agrônomo diante das políticas públicas, na década de sessenta, a agricultura brasileira começou a sofrer uma acentuada transformação tecnológica, orientada por um processo de internacionalização baseada em pacotes tecnológicos, gerados a partir da revolução verde e difundidos mundialmente pelo capital multinacional, o novo modelo agrícola, priorizava a produção de culturas de exportação, fornecedoras de matéria prima para o processamento industrial. a agricultura ficou comprimida, transformando-se num sub-setor industrial, compondo a agroindustria, esse processo de transformação passou a ser chamado de modernização da agricultura.

 

No novo milênio a agricultura é chamada para atender a uma das questões mais importante do planeta – energia para um novo mundo – portanto se desenha um novo perfil profissional do engenheiro agrônomo, que passa a ter um papel fundamental no desenvolvimento de tecnologias para a produção de matéria prima no processamento industrial e na geração de energia. do agronegócio da cana de açúcar várias oportunidades são criadas, produção de cana de açúcar em si, processamento de todos os seus derivados, serviços de pesquisa, capacitação, assistência técnica, logística de transporte, armazenamento, comercialização e exportação. A matriz energética mundial sinaliza com 14% de energia renovável e 86% não renovável, enquanto que a matriz energética no Brasil aparece com 45% de energia renovável e 55% não renovável, o que indica que se o Brasil levar a sério o programa de bioenergia, nos próximos 20 anos inverte a matriz energética nacional. o mundo está vivendo a era da biomassa, da bioenergia e abre espaço para um novo modelo de agricultura, não alimentar, responsável pela produção de matérias primas energéticas renováveis, que deverão substituir gradativamente o uso do carvão mineral e petróleo, que além do esgotamento progressivo, geram graves problemas ambientais, além dos elevados preços do petróleo e seus derivados.

 

No que se refere ao profissional da área de agronomia, existem no exercício profissional da atividade no estado de Sergipe, cerca de 1.507 técnicos desses profissionais 698 são engenheiros agrônomos e 809 técnicos de nível médio, portanto necessitamos urgentemente de concursos públicos para o pleno desenvolvimento de todo o potencial agrícola e pecuário do estado de Sergipe, no sentido de atender ao novo perfil de demanda no mercado de trabalho e renovar o aparelhamento técnico científico das instituições que atuam na área agrícola do estado de Sergipe.

 

*Engenheiro agrônomo e diretor administrativo e financeiro da AEASE.

 

Blog no twitter: www.twitter.com/BlogClaudioNun

 

Frase do Dia

“A Humanidade é um oceano. Se algumas gotas estão sujas, isso não significa que ele todo ficará sujo”.  Mahatma Gandhi.

 

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários