Defesa de Sergipe

0

O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda (PT), confirmou ontem que foi convidado para a manifestação em favor da cobrança do ICMS, na origem, do petróleo e energia: “já disse que vou e estarei lá para ver como é que é”. Deda atende a um convite do governador João Alves Filho, feito por telefone, quando o movimento ainda estava marcado para o Centro de Convenções. Em contato anterior, Marcelo Deda deixou claro que vê com simpatia todo esse trabalho para beneficiar Sergipe com a cobrança do petróleo e energia. Mas deixa claro que não é contrario à proposta apresentada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Embora não pareça muito animado a comparecer a um ato que pode modificar um pensamento do presidente, Marcelo Deda realmente nunca se negou a participar de qualquer congresso, reunião ou manifestação, em defesa de interesses que colocassem, acima de tudo, o Estado. O deputado federal Jackson Barreto (PTB) se mostra um dos mais entusiasmados. Está com problemas para vir à reunião, mas chegará em Aracaju por volta do meio-dia, só para não ficar ausente. Mesmo que seja o mais áspero crítico do governador João Alves Filho, nesse momento, ele diz que “Sergipe está em primeiro lugar” e se colocou à disposição para a luta, acompanhado das forças mais representativas do Estado. Disse que uma causa como essa, em que Sergipe reivindica a cobrança do ICMS, na origem, para os produtores de petróleo, é necessário convocar toda a sociedade, se unir a Estados mais fortes politicamente e se transformar em um bloco político influente, que force a mudança. Na realidade, Sergipe sozinho não tem cacife para mudar um projeto de reforma apresentado pelo presidente da República. Mas, ao lado de Estados como a Bahia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Paraná, Espírito Santo e outros, o movimento se fortalece e certamente provocará a mudança, como aconteceu com os royalties, que foi uma conquista da união dos Estados produtores. O governador João Alves Filho é um dos mais animados para esse encontro. Aliás, ele foi um dos primeiros a mostrar as distorções que a Reforma Tributária provocaria aos pequenos Estados, da forma que ela estava sendo proposta ao Congresso Nacional. No início, João Alves Filho não falava na cobrança do ICMS do petróleo, nos Estados de origem, mas defendia que o ICMS dos produtos industrializados fossem cobrados no destino. João queria que o Nordeste saísse ganhando com isso, mas os três Estados produtores da região – Pernambuco, Ceará e Bahia – se levantaram contra, o que enfraqueceu o movimento. A saída foi mesmo incluir o petróleo entre os produtos que terão o ICMS cobrado na origem, porque isso estava excluído do que fora proposto, o que beneficiaria exclusivamente os Estados mais ricos. O governador João Alves Filho percebeu que esta seria a saída e está engajado na luta, com as demais lideranças políticas, para que Sergipe não perca a arrecadação com a produção de petróleo. Com toda essa unidade, com a responsabilidade de ficar ao lado do Estado e se unir a outros que lutam com o mesmo objetivo, com certeza Sergipe também será o grande vitorioso. É bom lembrar que se trata de uma manifestação que não tem partido e nem tendências. A ideologia que se deve por em prática, pelo menos no momento, será a defesa do Estado, onde todos sairão ganhando, principalmente a sociedade que hoje acredita pouco nos políticos. É bom readquirir parte da credibilidade perdida, é bom mostrar que todos estão de peito aberto para se dar as mãos pela melhoria do Estado, assim como fizeram quando da indicação do jurista Carlos Brito para ministro do Supremo Tribunal Federal. Que ninguém se julgue pai da criança e que não esmoreça só porque o convite partiu de setores do Governo do Estado. A vitória não será atribuída a João, a Jackson, a Deda, a Albano, a Valadares, a Machado, a Almeida Lima ou a todos os demais cidadãos que comparecerem, com ou sem mandato, para levantar a bandeira de Sergipe. A vitória será do povo, será da consciência e da maturidade política de seus representantes. Afinal, a sociedade quer resultados e eles só poderão se transformar realidade pela unidade dos interesses e pela luta conjunta em defesa do Estado. ESCÂNDALO O ex-deputado Antônio Francisco, que está foragido, teria dito a um prefeito aliado, que se fosse preso daria uma entrevista em que contaria coisas que abalaria Sergipe. Segundo o prefeito, o ex-deputado tem documentação vasta que, se publicada, pode comprometer muita gente importante do Estado, inclusive que passa por honesto. PARTICIPAÇÃO O deputado cassado Antônio Francisco tem muitos anos de atividades políticas em Sergipe e deve ter participado de alguns esquemas pesados para eleições estaduais. O prefeito diz que estão envolvidos pessoas de todos os poderes e que as suas denuncias vão desmascarar meio mundo de autoridades honestas. ASSEMBLÉIA O governador João Alves Filho (PFL) não está satisfeito com a atuação da bancada na Assembléia Legislativa e quer mais ação dos parlamentares. Um assessor do governador disse que as propostas do Executivo ou qualquer outra coisa de interesse do Governo, geralmente são aprovadas por pequena margem. MACHADO O deputado federal José Carlos Machado (PFL) acha que os Estados menores devem acompanhar os maiores, porque eles têm poder de fogo. No caso do petróleo considera que Sergipe deve se unir a Bahia e Rio de Janeiro, que são Estados produtores e tem maior representação política no Congresso. DEDA O prefeito de Aracaju, Marcelo Deda, está analisando o teor da manifestação em favor da cobrança do ICMS sobre o petróleo na origem, para ver se participa. Deixa claro que o seu compromisso é com o presidente Lula e com o seu partido, e não se colocará em resistência a nada que contrarie o Planalto. NORMAL Marcelo Deda não vê nenhuma anormalidade em participar de eventos em favor de Sergipe, principalmente como esse em defesa do ICMS do petróleo pelo Estado produtor. Mas não vai além dessa reivindicação, porque concorda com o projeto de reforma Tributária apresentada pelo presidente Lula da Silva. JACKSON O deputado federal Jackson Barreto (PTB) não esconde que estará na frente de qualquer ação em favor de Sergipe e participa do encontro no domingo à tarde. Ele disse que lutou em favor dos royalties da Petrobrás, fazendo movimento intenso e agora quer também trabalhar em favor do ICMS para os produtores de petróleo. MANDARINO O prefeito de Itaporanga, César Mandarino (PPS), só não deixa a Prefeitura de sua cidade para disputar a de São Cristóvão, porque a sua vice é Maria das Graças, filha de Antônio Francisco. Mandarino está formando um grupo político em São Cristóvão para disputar a Prefeitura ou participar de alguma composição forte. SALGADO César Mandarino também já tem um grupo pesado em Salgado e lá ele deseja fazer o prefeito do município. Está firme em sua pretensão. César vai ficar sem mandato pelo período de dois anos, mas está preparando bases sólidas para algum salto mais alto na política. MUDANÇA O deputado Fabiano Oliveira (PTB) vai apresentar ao prefeito Marcelo Deda as mudanças que serão efetuadas no Pré-Caju do próximo ano. O novo projeto prever a realização do evento em uma área fechada. O pessoal da pipoca entrará com um quilo de alimentos não perecíveis. PALCOS Os trios elétricos vão passar quatro vezes pelo corredor da folia e serão armados dois palcos para apresentação de cantores da terra e nacionais O projeto foi feito por que o modelo anterior já estava superado e foi aprovado para Recife, Goiânia, Brasília e Natal. LANÇAMENTO O Pré-Caju sempre serve de termômetro eleitoral e o do próximo ano pode a explosão do nome de Marcelo Deda para a reeleição e a consolidação do bloco que vai apoia-lo. Isso, realmente, acontece em todos os Pré-Cajus que antecedem as eleições e mais uma vez será uma festa com sabor de disputa política. RECLAMA Algumas lideranças vinculadas ao Governo acham que João Alves Filho já deve começar a tratar de política e trabalhar um nome para a Prefeitura de Aracaju. O pessoal sabe que o bloco de oposição vem forte para segurar o nome de Deda, que mantém a liderança em Aracaju e vai para a reeleição. Notas AUMENTO O governador João Alves Filho anunciou, ontem, um ajuste simbólico de 1.5% aos funcionários públicos estaduais, “só para que este mês não passe em branco”. O Estado não estava em condições de conceder aumento neste momento, porque teve prejuízo de 56 milhões de reais nestes quatro meses. O aumento real será concedido em setembro e o reajuste, segundo informação de um auxiliar, ficará na base de 8%. Uma coisa o Governo garante: nenhum servidor terá salário inferior a R$ 262 reais. SEMINÁRIO O deputado federal Pedro Correia (PP-PE) abre hoje, com palestra em um dos hotéis da orla da Atalaia, o I Seminário de Diretórios Municipais do PP. Vai falar sobre “O Partido Progressista e suas inovações”. O seminário está sendo organizado pelo vereador Gilson Vasconcelos e está aberto para políticos de outras correntes. O Partido Progressista vai explicar todas as mudanças programáticas da nova sigla, os seus objetivos e posição, para que apresente inovações no atual quadro político. O PP é o novo nome do PDS e está com roupagem nova. SEGURANÇA A deputada Ana Lúcia (PT) está solicitando que a Comissão de Ética da Assembléia Legislativa apure todas as denuncias envolvendo o deputado João das Graças, que andou dando tiros em Gracco Cardoso. Segundo informação da Casa, a Comissão vai ser instalada nesta próxima semana. Ana Lucia também está pedindo à segurança pública para enviar à Assembléia o inquérito policial que apura a tentativa de homicídio cometida por João das Graças. O objetivo é que o legislativo não permita exageros dos seus representantes. É fogo Não é verdade que o ex-deputado Antônio Francisco tenha circulado no centro da cidade em um carro com motorista. Antônio Francisco se encontra bem guardado em fazenda de um político influente, onde a Polícia não é permitida entrar. O advogado de Antônio Francisco, José Cláudio, não vai permitir que ele seja preso de forma sensacionalista. Tudo será feito em momento de calma. Hoje o presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, fará palestra em Aracaju dentro do I Congresso Nacional das Cidades. O deputado Walmir Monteiro (PFL) fez debate na Assembléia Legislativa sobre a poluição dos rios Piauí e Jacaré, em Lagarto. Até o momento não se definiu sobre a filiação ou não do suplente Luiz Mittidieri no PTB e a possibilidade dele assumir uma cadeira na Assembléia Legislativa. O deputado Jackson Barreto chega amanhã à noite a Aracaju só para participar da concentração em favor do ICMS na origem para o petróleo. O ex-governador Albano Franco ainda não fez qualquer comentário sobre as reformas propostas pelo presidente Lula, pelo menos publicamente. Como empresário e político, Albano deve ter posição abalizada sobre as propostas, mas está preferindo o silêncio. O ex-deputado Nelson Araújo volta a consertar erro da coluna. Ele é filiado ao PTP e está trabalhando pela extensão do partido em Sergipe. O deputado José Carlos Machado foi um dos que estiveram à frente da manifestação desta segunda-feira. O vereador Marcélio Bomfim ainda não definiu seu novo partido, embora pretenda filiação em uma legenda mais à esquerda. A Prefeitura de Aracaju vai gastar três vezes mais nos festejos juninos do que o Governo para todo o Estado. brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários