Definindo-se pela indefinição

0

    

Os tucanos são conhecidos pela capacidade extrema de manter-se em cima do muro. Ou seja, traduzindo isso para o campo político significa dizer que os tucanos atuam com a chamada habilidade eleitoral, onde a melhor posição é não assumir posições. É verdade que essa é a característica mais visível do PSDB. Ocorre que embora incentive subjetivamente a exploração desse comportamento, o ex-governador Albano Franco age com muita sabedoria política e não perde um lance sequer da política sergipana, acompanhando a tudo e a todos, analisando o piscar de olhos de cada um.

 

Por outro lado o ex-governador a cada minuto promove ações e produz fatos políticos capazes de fazer a água correr em direção ao seu imenso oceano. Tudo isso num processo político extremamente tumultuado principalmente pela quebra de dogmas e pelas incoerências cada vez mais evidentes na condução da política de alianças onde os adversários de ontem que se tornaram inimigos mortais voltam a conviver com o mesmo projeto político e encontram dificuldades para que o povo possa aceitar tais entendimentos.

 

Albano Franco conseguiu nos últimos dois anos se colocar como o fiel da balança de um processo eleitoral recheado de indefinições e o grande mérito dele é ter velejado por esse mar adverso sem que tenha apresentado ao longo de todo esse tempo definição alguma.  Porém o processo eleitoral é permeado de prazos e é exatamente nesse momento que o ex-governador enfrenta a sua maior dificuldade, porque afinal de contas os prazos eleitorais vão exigir dele a única coisa que ele não se habilita a ofertar a ninguém. Ou seja, os prazos eleitorais vão exigir dele uma “definição”, ocorre que o mais engraçado nisso tudo é perceber que a grande “definição” que se apresenta pra o tucano neste momento, será a de continuar sem ter que definir-se por João e muito menos por Deda.

 

Nos próximos dias ninguém estranhe se Albano sair com candidatura própria, fazendo coligação com alguns pequenos partidos e ficando definitivamente “Free” para receber os votos de todas as correntes e apoiar a quem mais lhe convier no momento que melhor lhe convier. Na verdade Albano pode acabar definindo-se pela indefinição. É muito mais lucrativo. (Foto César de Oliveira).

 

 

Show

No último sábado, o governador João Alves (PFL) e toda comitiva estiveram no município de Cedro de São João. Lá inaugurou o Centro de Artesanato e anunciou a reforma do matadouro. No palanque, fez um discurso rápido antes da apresentação da banda “Fogo na Saia”. Qualquer semelhança, não é mera coincidência. Aliás, lá o Ministério Público nem a oposição vai argüir o dinheiro gasto com o show. Ou vai?

 

Emsurb

O governador João Alves (PFL) rebateu ontem as acusações de que o Governo do Estado é o responsável pela distribuição do panfleto com a reprodução da matéria publicada na semana passada na revista Veja, sobre os shows realizados pela Prefeitura de Aracaju. João disse que desconhece a autoria do material e ironizou a apreensão feita pela Emsurb, afirmando que a empresa, agora, também cuida da segurança da cidade. João espera que quando tiver um panfleto contra ele a Emsurb também faça uma apreensão. E a campanha nem começou, ou começou?

 

Reajuste I

Os sindicalistas que fazem parte da comissão de negociação com a Prefeitura de Aracaju já viram que a despesa com pessoal já está no limite da LRF. Além disso, cerca de 4 mil servidores já foram beneficiados desde abril, com a equiparação ao salário mínimo. Muitos tiveram um reajuste de 13%. Para negociar o reajuste com os sindicalistas o prefeito Edvaldo Nogueira prepara-se para cortar despesas de custeio e remanejar recursos.

 

Reajuste II

Este episódio da negociação salarial mostra que o governo municipal não sofreu solução de continuidade. No cargo há 45 dias, Edvaldo Nogueira mostrou que tem um estilo próprio de governar, mas honrando todos os compromissos administrativos do ex-prefeito Deda. Aos poucos, com as viagens de Deda ao interior do Estado, Edvaldo Nogueira conseguiu credencia-se como o principal interlocutor político do candidato ao governo.

 

 

PP

O programa estadual do Partido Progressista (PP) exibido ontem à noite destacou um tempo especial para mostrar as negociações no Congresso Nacional que culminaram com o compromisso para liberação da certidão negativa para o Estado de Sergipe. Os senadores José Agripino Maia e Renan Calheiros tiveram um bom espaço. O presidente estadual do PP, Venâncio Fonseca fez a apresentação. Não faltaram também criticas a administração de Aracaju e exibiu a matéria divulgada pela revista Veja.

 

PSDB

Um tucano ligado ao empresário Ricardo Franco sorria ontem com as notícias de que ele seria o candidato a vice-governador de João Alves Filho. Segundo o tucano, o empresário não pretende ingressar na vida pública neste momento e se fosse, o caminho seria outro.

 

 

Procura-se

Agora que começam a surgir os nomes dos candidatos chamados “nanicos” a governador do Estado, a exemplo de Adelson Alves, andam indagando por onde andam o eterno candidato a governador Adelmo e o do PSTU? Desses candidatos que já entram sabendo que não têm chances reais, o único que teve êxito na carreira política foi o deputado Gualberto, que se mudou para o PT e se deu bem. Lembram-se: não vote em burguês!

 

Gastos

Partidos e políticos estão preocupados com a necessidade de conter mais as despesas com a campanha eleitoral que se aproxima. Para desespero dos cabos eleitorais e outras áreas que tradicionalmente faturam com esse evento. E no meio dessa preocupação, pode sobrar o prejuízo justamente para aqueles que prestam serviços regulares durante o processo eleitoral, a exemplo de publicitários (a maioria não é do time de Duda Mendonça e Marcos Valério e trabalham honestamente), gráficas e outros.

 

Os microfones bateram “palmas”

 Mais uma história pitoresca. Foi no longínquo 1982 – quer dizer: no século passado. Ao inaugurar a Cozinha Industrial, o então presidente da Confederação Nacional da Indústria – CNI, Albano Franco, candidato a senador, foi convidado a discursar. Ao lado dele, o então ministro do Trabalho Murilo Macedo. Albano Franco passou a mão direita na testa, enxugou um pouco de suor e ao cumprimentar a platéia – umas três mil pessoas – foi obrigado a não continuar falando. O sistema de som deu pânico. Restabelecido o sistema, cinco minutos depois, o gentil presidente da CNI sapecou: “É isso, ministro, quando eu falo, aqui em Sergipe, até os microfones se emocionam”. Próximos ao palanque, os jornalistas Mílton Alves e José Andrade (ex-correspondentes de O Globo e O Estado de São Paulo, respectivamente) deram uma estrondosa gargalhada. Houve quem não gostasse da gargalhada dos jornalistas que emplacaram em seus jornais uma boa matéria sobre a emoção dos microfones.

 

1º Processo

O ministro do STF, Carlos Ayres Britto recebeu ontem o primeiro processo como membro do Tribunal Superior Eleitoral – TSE. Britto vai julgar a medida cautelar solicitada pela prefeita de Campo Formoso (BA),  na qual solicita liminar para reverter decisão de primeira instância, posteriormente referendada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/BA), que lhe cassou o mandato obtido nas urnas, em 2004.

Além da tentativa de reconquistar o direito cassado, Iracy também pede ao TSE o afastamento do “exercício indevido” do comando do município pelos segundos colocados, que embora não tendo sido eleitos, estão no exercício dos cargos de prefeito e de vice.

 

Código

Importante a iniciativa do lançamento hoje do Código de Conduta Ética no Turismo. Será às 20h no Hotel Quality com uma palestra do especialista em direitos humanos, Marcos Luis Grans. O Código é uma iniciativa da Secretaria de Estado do Turismo, órgãos governamentais e não governamentais.

 

Frase do Dia

“Em política, quanto mais ela muda, mais é a mesma coisa”. Alphonse Karr.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários