Denúncia de aliado é fogo

0

 

   A denúncia nunca foi e nem será algo que se possa oferecer de presente a um amigo. A “denúncia” sempre foi o instrumento utilizado para tornar público um fato negativo cometido por outrem, normalmente é utilizada para alardear erros de um inimigo ou adversário e é por essa característica que mesmo quando a “denúncia” é apresentada sem a companhia de elementos que comprovem a sua veracidade, a sociedade acata o fato como se fosse verdadeiro, como forma de denegrir a imagem do denunciado ou até mesmo para colocar uma saia-justa no denunciante, que diante da repercussão terá que provar que o fato denunciado existiu.

A única coisa que pode ocorrer com uma “denúncia” desacompanhada de provas, é que ela pode conquistar mais credibilidade ou menos credibilidade e esse grau  terá relação direta com o posicionamento político ou pessoal do denunciante em relação ao denunciado.

Em Sergipe, um advogado bastante conceituado, costumava em conversa com amigos dar o seguinte exemplo: “Se em Lagarto, ocorresse um assassinato praticado por Jerônimo Reis e o portador dessa notícia fosse o seu rival político Cabo Zé, ninguém acreditaria na informação”. Em resumo, ele queria dizer que denúncia de adversário não vale, fica meio insossa e a explicação é que dentro do nosso cotidiano ninguém está acostumado a presenciar acusações entre aliados e muito menos referências elogiosas entre adversários. Normalmente quando alguém está elogiando outra pessoa pode apostar que se trata de um amigo ou aliado e quando está criticando pode ter certeza que se refere a um adversário.

É exatamente por conta dessa avaliação, que um importante assessor aposta que o governador não vai engolir seco as declarações prestadas pelo suplente de deputado federal Ivan Paixão (PPS) que numa entrevista concedida à cerca de 30 dias, espalhou suspeição sobre a forma como a Rede Ilha de Comunicação havia conquistado seu excelente faturamento. A declaração deixou subentendido que o “excelente” faturamento estava permitindo ao proprietário da emissora desbancar alguns colégios eleitorais de inclusive de aliados.

  Como se não bastasse agora é a vez do deputado estadual Valmir Monteiro (PFL), denunciar que a Secretaria de Estado da Agricultura está sendo utilizada por Sérgio Reis, para ação político-eleitoral. Como dizia meu avô: “Denúncia de aliado é fogo!”. É, e com certeza ela tem muito mais credibilidade, até mesmo entre os órgãos encarregados de fiscalizar, já imaginaram se o procurador eleitoral convida o deputado Valmir Monteiro para esclarecer e apresentar provas sobre a denúncia? Se ele provar coloca em maus lençóis o responsável pela administração estadual e se não provar pode ser punido por estar se utilizando de falsas informações com o objetivo de angariar simpatia no seio do eleitorado.

 

 

É ou não é João?

Um leitor lagartense enviou um e-mail estranhando que nos comitês eleitorais da candidata a deputada estadual Luiza Ribeiro (PTdoB), só tem os cartazes dela e de Albano Franco para governador. Ele garante que nos dois comitês não tem cartazes de João e Maria. Oxente!

 

 

Lula não pode ter privilégios

Circulam informações de que foi grande o número de perguntas encaminhadas à jornalista Fátima Bernardes, como sugestão para a entrevista que será concedida hoje com o candidato a presidente Luís Inácio Lula da Silva. Questionam também sobre a tentativa do PT em transferir a entrevista do estúdio do “Jornal Nacional” para o Palácio Alvorada. A dúvida em relação a essa troca de ambiente é se isso não poderia caracterizar tratamento desigual, já que os demais candidatos estão sendo entrevistados no estúdio? E se poderia o presidente conceder uma entrevista que está caracterizada como ato de campanha. A verdade é que o PT teme que Lula seja submetido a um “espancamento” idêntico ao enfrentado pelo tucano Geraldo Alckmin, na última segunda-feira.

 

 

Showmícios redundam em cassação

Através de uma nota de esclarecimento publicada ontem, o Ministério Público Federal em Sergipe, através do procurador regional eleitoral, Eduardo Pelella, deixou claro que trata-se de infração eleitoral o showmício, “caracterizando-se em abuso de poder econômico, o que pode redundar na cassação do registro ou do diploma do candidato ou do eleito”. Pela legislação vigente os showmícios são proibidos nos termos do artigo 39, § 7º da lei  9504/97 com as modificações da lei 11.300/06, ficando sujeito o candidato infrator a severas penalidades. A nota foi por conta de uma nota veiculada em um jornal local que foi interpretada de maneira errada quando de uma resposta do procurador no Chat da Infonet.

 

Denuncie os abusos eleitorais

A Procuradoria Regional Eleitoral disponibilizou o e-mail eleitoral@prse.mpf.gov.br para que o cidadão possa enviar denúncias sobre condutas irregulares dos candidatos durante a campanha eleitoral deste ano.

Maiores informações sobre a atuação da Procuradoria Regional Eleitoral também podem ser obtidas através do site www.prse.mpf.gov.br ou através do telefone 3234-3700.

 

Macambira confirma apoio

Além da renúncia do atual presidente estadual do PSDB ontem à tarde, o ex-prefeito de Macambira, Carivaldo Souza, que confirmou o apoio a Marcelo Deda (PT), o candidato petista teve reafirmado o apoio do atual prefeito daquele município Fabiano.  Um detalhe: Bosco Costa, Maria Mendonça e Carivaldo. Os três renunciaram a presidência do PSDB depois do apoio de Albano a João.

 

Surpresa no TC

Embora o entendimento tenha sido para que José Carlos Machado assumisse a vaga que surgirá com a aposentadoria de Hildegards Azevedo, existe hoje um movimento silencioso para que o ocupante da vaga, seja Mendonça Prado. Segundo a fonte, Mendonça já tem assegurado os votos de alguns deputados estaduais, fruto do trabalho que vem sendo conduzido por um parlamentar que pela primeira vez está lutando pela transposição, não das águas do Rio são Francisco e sim dos votos da bancada governista. A essa altura do campeonato, quando Machado anuncia que retomará a campanha, é possível que ele já tenha percebido algo estranho no ar.

 

Caso Joaldo Barbosa

Mesmo considerando que Marcelo Leal é um renomado advogado criminalista, alguns advogados e estudantes que acompanharam o júri do ex-vereador por Itaporanga, Antônio Francisco Sobral Garcez Júnior, revelaram que dificilmente ele conseguirá colocar em xeque o trabalho desenvolvido pela polícia sergipana. Eles classificaram como competentíssima a atuação dos delegados Archimedes Marques e João Eloy que são considerados bons profissionais dentro dos quadros da SSP. Segundo um deles, embora profissionalmente não seja recomendado, é possível que o próprio Marcelo Leal acabe reconhecendo o grau de profissionalismo com o qual trabalhou a polícia sergipana para elucidação do crime.

 

 

Perguntar não ofende

O que leva um candidato a deputado federal gastar mais de R$ 1 milhão numa campanha eleitoral? Se eleito nos quatro anos o subsídio chegará à cerca de R$ 500 mil. Tem que diga: “na campanha o dinheiro não é dele, vem de doações”. É, mas quem doa muito pode ter certeza lá na frente cobra alguma coisa, isso cobra…

 

 

Pesadelo em Itabaiana I

Muitos funcionários concursados do hospital de Itabaiana estão sem dormir. Eles denunciam que a situação piorou com a privatização da referida unidade de saúde, que na verdade é um contrato de gestão através de uma empresa instalada em Salvador (BA). Segundo eles, os termos do contrato somente o secretário de saúde sabe e o servidor por sua vez ficou esquecido. “O que se comenta inclusive em reunião do dia 08/08/2006 no Hospital, é que os servidores ficarão trabalhando até o mês de outubro  e depois serão redistribuídos para outras localidades. Assim servidores que trabalham no Hospital, mas moram em Pinhão, Itabaiana, Carira, Frei Paulo, Malhador, Ribeiropólis, Campo do Brito, São Domingos e Moita Bonita  terão suas funções exercidas provavelmente no Hospital João Alves, modificando todo um estilo de vida”, denunciam os servidores através de e-mail.

 

Pesadelo em Itabaiana II

“No lugar desses funcionários serão colocados pessoas contratadas para prestarem o mesmo serviço realizado hoje pelos servidores públicos concursados. Em resumo, o Estado pagará duas vezes pelo mesmo serviço, uma vez pelo funcionário dispensado e outra vez por outro contratado. Esperamos que estas palavras passem adiante porque é grande a angústia da maioria dos funcionários do Hospital Dr. Pedro Garcia Moreno Filho. Obs: caso o Governador não resolva até a próxima semana, estaremos movendo uma ação junto ao Ministério do Trabalho para resolver a situação descrita”, escrevem os servidores no e-mail enviado para esta coluna.

 

 

Socialista lança campanha

Na próxima terça-feira, dia 15, às 18h30, será realizado na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de Sergipe – Aease, o lançamento da candidatura de Dr. Emerson a deputado estadual pelo PSB. O evento contará com a participação de líderes políticos e militantes do PSB, de representantes dos partidos coligados à sigla, de simpatizantes da candidatura do médico dermatologista e professor universitário e da população de um modo geral.

 

 

Frase do Dia

“Tenho a política como uma missão de vida”. Do candidato pefelista, João Alves Filho, ontem no Correio de Sergipe ao falar para vários líderes evangélicos da Igreja Assembléia de Deus.

 

 

 

 

 

 

 

Comentários