Dez templos a serem visitados no Rio de Janeiro (RJ)

0
Mosteiro de São Bento: um dos mais exuberantes

Vai passar o réveillon em Copacabana? O Rio de Janeiro de encantos tem roteiros de praias, de compras, de história, serrano, de comunidades, com cartões-postais de fama mundial. Mas o que dizer dos roteiros religiosos que abrangem as principais igrejas católicas cariocas? Há de convir que os templos religiosos, em sua maioria, datados do Brasil colonial, representam parte da história do Brasil e resguardam um valor cultural e artístico de interesse mundial.

Eles revelam a história do início do Brasil e das principais ordens religiosas que se confundiam a época com poder, religiosidade, desenvolvimento e patrimônio artístico, a exemplo dos Carmelitas, Franciscanos, Beneditinos e Jesuítas. O Tô no Mundo traz os dez mais belos templos do Rio de Janeiro.

Convento e Igreja de Santo Antônio

Imaculda Conceição enche os olhos

Por muitos anos o convento ficou fechado para restauração, até porque dele faz parte o complexo de templos que abrange as igrejas de Santo Antônio e São Francisco da Penitência, a capela Imaculada Conceição e o primeiro Museu de Arte Sacra do Rio de Janeiro.

A igreja de Santo Antônio abriga afrescos e murais originais que estão sendo descobertos agora, com a total restauração do templo.

Não deixe de visitar a capela Imaculada Conceição, construção iniciada em 1619, que fica a direita do altar-mor, também chamada de Capela Primitiva por ser a primeira edificação que é marco histórico da formação da Ordem Franciscana da Penitência.  A magnitude da obra chama atenção do chão ao teto. A visita ao convento é restrita e fica no Largo da Carioca, s/n. Centro.  Fone: (21) 2262-0129. Horário de funcionamento: 2ª a 6ª, das 8h às 18h, sábado, das 8h às 11h

Igreja de São Francisco da Penitência

Estilo rebuscado do Barroco
Cristo Seráfico é atração

A riqueza dos detalhes faz desta igreja recém-restaurada uma das mais belas do Brasil. Concluída em 1772, são diversos os ornamentos barrocos que adornam todas as paredes do templo, boa parte entalhados em cedro por Manoel de Britto e Francisco Xavier, artistas portugueses que tinham grande influência do Aleijadinho.

As paredes e todos os altares são revestidos com folhas de ouro. No altar principal, as imagens de São Francisco de Assis e do Cristo Seráfico parecem mover-se, tamanha a realidade da obra. A curiosidade é que esta imagem era utilizada na procissão das Cinzas pela Ordem Terceira da Penitência até 1862.

O forro tem pintura ilusionista e as laterais são impressionantes do chão ao teto. Vale a pena também visitar o museu sacro, que custa R$ 5 e há horários de visitas guiadas nas terças-feiras. Abre de terça a sexta-feira. Largo da Carioca, Morro de Santo Antônio, Centro.

Igreja de Nossa Senhora do Outeiro da Glória

Fachada no alto do outeiro
Sacristia

A igreja fica em cima de uma colina que tem uma vista exuberante do centro do Rio de Janeiro. O templo religioso preserva murais de azulejos do escultor mineiro Mestre Valentim. O altar e a arcada são originais do século 18.

Vale a pena também fazer uma visita na sacristia. Preste atenção nos corredores que circulam a parte interna da igreja. Todo ano, em 5 de agosto, o vestido de Nossa Senhora do Outeiro é trocado durante uma missa, dando início à quermesse de dez dias, que termina no dia da padroeira, com procissão e show de música. Horário de funcionamento: 3ª a 6ª, das 9h às 12h e das 13h às 17h, sábado e domingo, das 9h às 12h. Praça Nossa Senhora da Glória, s/n. Glória. Fone (21) 2557-4600.

Igreja de Nossa Senhora da Conceição e Boa Morte

Templo importante no centro

A igreja fincada entre edifícios comerciais no centro do Rio de Janeiro representa a junção entre as irmandades de Nossa Senhora da Conceição e da Boa Morte. Em estilo colonial, a capela exibe talha rococó de autoria de Mestre Valentim, além de quatro telas com os Evangelistas, de autoria anônima. Os altares laterais são obra de Manoel Francisco dos Santos Deveza e foram realizados entre 1835 e 1840. Na sacristia há duas telas setecentistas, uma representa Nossa Senhora da Conceição, de Raimundo da Costa e Silva, e a outra Nossa Senhora da Boa Morte, de Leandro Joaquim. Rua do Rosário, Centro.

Igreja de Nossa Senhora da Antiga Sé

Além de ter sido a catedral do Rio de Janeiro até a década de 1970, foi também Capela Real, nos tempos de D. João VI, Capela Imperial, na época de D. Pedro I e D. Pedro II.  Lá ocorreram a coroação de Dom Pedro I e Dom Pedro II, além de cenário dos casamentos reais.

Imponência
Corredor do Mosteiro

O templo é dedicado à Nossa Senhora do Carmo e foi construído como igreja do convento dos Carmelitas, que ficava exatamente ao lado. Além da imagem no altar-mor, também é possível ver a virgem representada na pintura do teto do mesmo altar, no momento em que entrega o escapulário a São Simão Stock, então prior geral da ordem Carmelita.

Além de Nossa Senhora do Carmo, a igreja também presta homenagem a outros santos. Na fachada principal está São Sebastião, e há também a homenagem a Nossa Senhora da Cabeça. A sua festa, no dia 12 de agosto, é uma das mais concorridas.  A visita ao acervo religioso, artístico e histórico e feito de 2ª a 6ª, das 8h30 às 15h30, sábado: 9h30 às 12h. A igreja funciona de 2ª a 6ª, das 7h às 16h, sábado e domingo, das 9h às 12h. Rua 7 de Setembro, 12,  Centro. Fone: (21) 2242-7766.

Igreja da Ordem Terceira de Nossa Senhora do Carmo

Duas igrejas, uma do lado da outra

A fachada é única entre as igrejas coloniais do Rio de Janeiro por ser totalmente revestida com pedra, assim como o perfil dos janelões, colunas e portais da fachada com influência da arquitetura lisboeta da época pombalina. Os portais principal e lateral da igreja, em pedra de lioz portuguesa e contendo medalhões com a Virgem e o Menino, chamam atenção por ser encomendados a escultores lisboetas e instalados em 1761. São considerados os melhores do tipo no Rio de Janeiro. A talha dourada da igreja, de feição rococó, é muito valiosa. A decoração interna começou em 1768 e finalizou em 1800 com orientação do Mestre Valentim, um dos principais artistas do período colonial. Capela do Noviciado é uma obra-prima do Mestre, esculpida 1772 e 1773. As telas da capela são obra do pintor colonial Manuel da Cunha. Horário de funcionamento: 2ª a 6ª, das 8h às 16h, sábado, das 8h às 11h. Rua 1º de Março, 14, Centro. Fone: (21) 2242-4828

Igreja de São José

São José é o padroeiro do templo

A igreja como hoje se encontra é muito diferente da original, que teve suas obras iniciadas em 1808 e finalizadas em 1842. É um dos primeiros templos do Rio e possui sinos famosos por sua sonoridade. Na fachada destaca-se o frontão elevado e sua colocação acima de uma faixa horizontal contínua de cantaria, que serve de base às pilastras das duas torres. No interior, um sacrário e uma pia batismal pertenceram à Igreja de São Sebastião do Morro do Castelo. Com nave única, capela-mor e corredores amplos pelos dois lados, destaca-se no seu interior a talha em estilo Rococó tardio, obra de Simão de Nazaré, entalhador, discípulo do Mestre Valentim. No altar-mor uma belíssima imagem de São José.

Chama atenção também as portas de entrada com almofadas com ornamentos trabalhados na madeira. A porta secundária da entrada apresenta vitrais e ornamentos talhados na madeira. E em uma de suas laterais encontra-se a Capela do Santíssimo para cerca de 30 pessoas.  A igreja encontra-se ao lado do Palácio Tiradentes e do Paço Imperial. Suas missas ocorrem às terças-feiras/ quartas-feiras, e na primeira sexta-feira do mês às 12h. Domingos às 9h e às 10h. Avenida Presidente Antônio Carlos, Nº S/n – Centro.  Fone (21) 2533-4545

Igreja de Nossa Senhora da Candelária

Uma das mais importantes
Cúpula chama atenção

Templo religioso do Rio de Janeiro bastante procurado para casamentos e vida social, um fato curioso marcou a decisão da construção da Igreja da Candelária: conta-se que sua origem seria uma promessa feita por Antonio Martins da Palma e sua esposa Leonor Gonçalves, ainda no século 17.

A cúpula, trazida de Lisboa é adornada por oito estátuas de mármore, apresenta painéis de Zeferino da Costa, considerada uma das mais belas das igrejas do Rio. A igreja tem ainda revestimento interior em mármore branco, rosa verde e amarelo (herança italiana),  apresenta fachada em cantaria e portas trabalhadas em bronze pelo escultor português Antonio Teixeira Lopes, em 1901. A fachada vertical é herança da arquitetura gótica, ao mesmo tempo em que apresenta traços neoclássicos, nos adornos e no frontão triangular ornamentado.

A Candelária abriga também um museu sacro, um arquivo com documentos datados dos séculos 18 e 19 e uma biblioteca, inaugurada em 2001. Horário de funcionamento: 2ª a 6ª, das 7h30 às 16h, sábado, das 8h às 12h, domingo, das 9h às 13h. Praça Pio X, s/n. Centro. Fone (21) 2233-2324.

Mosteiro de São Bento

Rebuscamento e riqueza dos detalhes

Erguido em 1565, o Mosteiro de São Bento representa um dos mais belos conjuntos arquitetônicos do Brasil. A visita é restrita à Igreja Nossa Senhora de Monserrate, anexa ao mosteiro.

Primeiramente, não deixe de ver os detalhes da fachada, dos alpendres de telhado mouro e do portão de ferro alemão em art nouveau, colocado em 1880, após o original ter sido destruído por corsários franceses.

A fachada em estilo beneditino clássico contrasta com a área interna do templo, rica em detalhes, adornos e rebuscamentos, que exibe talhas barrocas recobertas de dourado e um exuberante estilo rococó na talha do altar, nos arcos e na capela.

Vale a pena tirar uma tarde ou uma manhã para apreciar com mais detalhes essa raridade da arte barroca brasileira.

As estátuas de São Bento e de Santa Escolástica adornam as paredes direita e esquerda na entrada do altar-mor da igreja, além de Nossa Senhora do Monte Serreado (titular da igreja), e outras obras. Os sete altares ou capelas laterais ostentam imagens dos séculos 17 e 18: Nossa Senhora da Conceição, São Lourenço, Santa Gertrudes, São Brás, São Caetano, Nossa Senhora do Pilar e Santo Amaro.

Na sacristia, destaque para o painel pintado por frei Ricardo do Pilar, por volta de 1690. A capela tem talhas do mestre Inácio Ferreira Pinto.

Atualmente, existem visitas monitoradas à igreja, onde são apresentadas e explicadas as obras, imagens, talhas e estilos arquitetônicos, entre outros. Aos domingos, às 10h, há missas com canto gregoriano. Rua Dom Gerardo, 68,  Centro.  (21.0) 2206-8100 (Fone). Horário de funcionamento: 7h às 18h

Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro

Obra moderna

Moderna, tem formato de cone com projeto do arquiteto Edgar Fonseca.  A exemplo de todas as igrejas católicas, a catedral tem como símbolo máximo a cruz, que tem a impressão de flutuar alguns metros acima do altar-mor, sustentada no teto por seis cabos de aço. O altar fica no meio, sob a imagem de Jesus Cristo e há quatro vitrais de cada lado. No subsolo, o Museu de Arte Sacra (4ª, das 9h às 12h e das 13h às 16h, sábado e domingo, das 9h às 12h; R$ 2) guarda relíquias como a Rosa de Ouro doada pelo papa Leão XIII à princesa Isabel. Avenida República do Chile, 245. Centro.  Fone: (21) 2240-2669. Horário de funcionamento: 7h às 18h.

Contato: silviooliveira@infonet.com.br

Siga: www.facebook.com.br/tonomundo

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais