Dia 35 é imoral

0

 

Enquanto grande parte da população critica a classe política por conta dos “jeitinhos” que são dados em diversos segmentos, essa mesma parcela da população esquece que grande parte da impunidade que acontece na vida pública decorre da falta de fiscalização dos poderes constituídos. Um exemplo claro: de nada adiantou a imprensa e o anúncio de que haveria fiscalização nas convenções partidárias, para que fosse respeitado o dia 30 como o último para o fechamento das atas.

O que se ouviu, se leu e viu ontem em Sergipe foram verdadeiras aberrações a legislação eleitoral. E o pior nenhum membro da Justiça Eleitoral teve a coragem de vir a público anunciar a punição e até a impugnação de possíveis candidaturas, o que seria mais correto. Nem mesmo o procurador eleitoral federal que assumiu recentemente tomou as providências cabíveis para acabar uma pratica nociva a população e até mesmo aos políticos que atuam corretamente.

 

Pois é, caro leitor. Até amanhã, dia 35, ou melhor, dia 5, os partidos poderão registrar suas atas das convenções na Justiça Eleitoral. Ou seja, até amanhã pode acontecer muita coisa. Aliás, ontem ninguém sabia quantas são as coligações proporcionais dos principais candidatos, João e Déda. Ninguém sabe se a coligação de Déda foi apenas para a Câmara dos Deputados e quantos são os candidatos. Na de João a coisa é pior: ontem se falava em chapão, chapa alternativa e chapinha. No caso do PSDB com o PFL alguns políticos chegaram a conceder entrevistas dizendo que não sabia como estava a coligação proporcional. E a Justiça Eleitoral? Ouviu e viu tudo calada.

 

O caso é sério. Vejam bem. O último dia das convenções foi sexta-feira, porém hoje, terça-feira dia 4, ninguém sabe quantos são os candidatos proporcionais, se respeitaram os percentuais previstos na legislação para as mulheres e por aí vai. A justificativa para tal aberração é que os candidatos têm mais alguns dias para recolherem seus documentos para apresentar no ato da entrega das atas. Porém, o mais certo seria que no máximo no dia posterior das convenções os partidos entregassem as atas na Justiça Eleitoral. Depois, entregariam toda documentação dos candidatos.

 

É leitor, para algumas ações bastam vontade política. Neste caso, não existe a mínima vontade de nenhum lado. E pelo jeito, o calendário eleitoral brasileiro continuará com o dia 35 por muito tempo, para alegria de quem gosta de um jeitinho e de ludibriar até o último segundo…

 

Fidelidade I

Como não existe fidelidade partidária, pode-se afirmar que as convenções serviram apenas para definir os componentes das chapas majoritárias, os candidatos aos cargos proporcionais e definir, em função das siglas oficialmente coligadas, o tempo de televisão. Com relação ao apoio de líderes e militantes partidários, sejam eles das siglas aliadas ou até mesmo adversárias, as conversas continuarão acontecendo e vai valer o poder de argumentação, o nível de promessas e o grau de convencimento.

 

Fidelidade II

Portanto, não se pode apenas com base na quantidade de siglas, contar com o ovo dentro da galinha, até porque o voto continua sendo secreto e a legislação eleitoral de um país democrático dificilmente vai estabelecer regras que obrigue o filiado a votar no candidato escolhido pelo seu líder. Dessa forma, é preciso muito cuidado, principalmente para os candidatos que ao obter o apoio do líder mal cumprimenta os liderados, até mesmo nos quartéis onde predomina o princípio da hierarquia, os soldados não querem mais obedecer cegamente. Portanto, fiquem de olhos bem abertos ao processo de consolidação de apoio que está apenas iniciando.

 

PMDB I

O quadro eleitoral sergipano deve ter ficado um pouco sem graça para o senador Almeida Lima (PMDB). Na condição inicial de aliado do governador João Alves Filho (PFL), o senador Lima assumiu a condição de destruir a imagem de renovação política construída pelo ex-prefeito Marcelo Déda (PT), transformando-se no maior adversário do Partido dos Trabalhadores, ao tentar pousar no ninho tucano filiando-se ao PSDB, foi praticamente expulso do partido por Albano e seus aliados.

 

PMDB II

Depois pousou no PMDB onde também foi desautorizado pela cúpula local a falar em nome do partido. E agora quando havia um processo em curso para uma reaproximação com o atual governador que disputará a reeleição, vem o fechamento das alianças e coloca Albano ao lado de João Alves e o PMDB ao lado de Marcelo Deda, ou seja, Almeida ficou numa sinuca de bico porque se votar em João fortalece Albano e se votar adotando a fidelidade partidária fortalece exatamente Marcelo Deda jogando por terra toda a sua estratégia política desenvolvida nos últimos quatro anos. Resta-lhe o apoio ao candidato do PDT, mas pelo estilo Lima de fazer campanha só teria graça se ele pudesse aparecer na televisão e para isso ocorrer Almeida teria que deixar o PMDB e voltar ao PDT. Nesse período eleitoral, tudo pode acontecer!

 

Cargos PMDB

De um leitor: “Parabéns pela entrevista com o Benedito Figueiredo. Entretanto, quantos aos cargos no governo ele não falou nos cargos de Garibalde, que tem um cunhado no Deagro, uma irmã no IPES e outras que não conheço. O Secretário de Indústria e Comércio é do PMDB. O Jorge Alberto tem vários cargos no Estado. Esperamos que por coerência  todos entreguem seus cargos”.

 

 

Suplente

Muitos petistas já tinham como definitiva a indicação do ex-prefeito João Augusto Gama (PTB) como sendo o primeiro suplente de José Eduardo Dutra (PT), ao saber que o nome aprovado era o de Benedito Figueiredo, um petista revelou que dessa forma Gama perdeu sem nem mesmo disputar. Uma outra fonte revelou que, na realidade não houve derrota alguma para Gama. O que fortaleceu a indicação de Benedito foi a temeridade de que o ex-governador Albano Franco pudesse conseguir estabelecer uma aliança com o PMDB lançando Benedito para governador.

 

 

Constrangimento

Um aliado do deputado federal Bosco Costa observou que a foto da convenção do PFL que foi publicada no “Jornal Correio de Sergipe” no último sábado revelou com clareza que Costa estava certíssimo em não aceitar participar de uma aliança cujo maior ingrediente seria o constrangimento. Ele destacou que na referida foto, é visível que o deputado estadual Antonio Passos (PFL) não aceitou levantar o braço num simbolismo que representa “união” segurando a mão do ex-governador Albano Franco (PSDB). Percebendo a indisposição do presidente da Assembléia Legislativa de Sergipe, o suplente de deputado federal Ivan Paixão (PPS) que estava postado à sua direita também procurava encontrar a mão de Passos, que gesticulava como se quisesse dizer: “Sai pra lá cabra!”. (Republicado por incorreção no texto).

 

Própria

Ontem pela manhã, no município de Própria, centenas de panfletos contra o candidato Marcelo Déda estavam sendo distribuídos na cidade. O panfleto denunciava obras inacabadas de Déda na Prefeitura de Aracaju.

 

Escrivão I

E o governador João Alves está nomeando os concursados para delegado de carreira e esqueceu do concurso de escrivão. Os concursados estão indignados com a falta de respeito deste governador, porque no edital constavam 100 vagas para escrivão de 3 classes. “E agora, só chama os aprovados para o concurso de delegado, não olhando que muitos de nós, nos preparamos durante meses, criamos uma expectativa em relação ao trabalho, e agora, no edital final coloca que em uma data oportuna serão convocados os escrivães aprovados”, denunciou um concursado através de e-mail.

 

Escrivão II

Continua o desabafo do concursado: “Sinceramente, é além de falta de respeito, falta de organização, pois  nada foi justificado, pois se foi colocado no edital, e conforme vê-se diariamente, existe uma grande necessidade de material humano nas delegacias. Um outro problema detectado é que todo o concurso foi demasiadamente atrasado, realizamos a prova escrita no mês de janeiro, e só no final de junho é que os delegados são convocados, e provavelmente este concurso não foi homologado, o que, conseqüentemente, nos impossibilitara de assumir ainda este ano, por ser eleitoral”. É verdade, um absurdo. O que será que o Ministério Público acha de tudo isso? É uma boa pauta para os telejornais locais.

 

Frase do Dia

“O mais importante e bonito do mundo é que as pessoas não são sempre iguais. Não foram terminadas, mas estão sempre mudando afinando e desafinando. Verdade maior que a vida nos ensinou”. Guimarães Rosa.

 

 

 

 

 

Comentários