Dia Internacional da Mulher

0

As Doenças Sexualmente Transmissíveis nas Mulheres

As DST, muitas vezes, são difíceis de ser percebidas nas mulheres. Por isso, é importante fazer consultas com o profissional de saúde. Caso apresente ardência ao urinar, corrimento ou alguma ferida ou verruga na vagina, evite a relação sexual e procure um serviço de saúde. Um dos problemas mais sérios que a mulher enfrenta é o vírus HPV relacionado ao câncer de colo uterino e também as hepatites virais B e C que podem provocar cirrose hepática e câncer no fígado. Existe vacina contra a hepatite B e, na rede privada, já está disponível a vacina contra o HPV.

Proteja seu Bebê da Sífilis Congênita

Muitas mulheres estão descobrindo que estão grávidas tardiamente. Consequentemente, o início do pré-natal também é tardio. A Sífilis Congênita é transmitida da mãe para o bebê, durante a gestação e parto, provocando graves consequências como abortamento, prematuridade e sequelas que acompanham a criança ao longo da vida. Isso pode ser evitado com o exame pré-natal da gestante e do parceiro e o uso da camisinha nas relações sexuais, mesmo estando grávida. Caso esteja infectada, inicie logo o tratamento, juntamente com o parceiro sexual.

Prevenção da AIDS

A AIDS atinge mulheres de todas as classes sociais. As mulheres casadas estão em situação de risco. Muitas consideram que o vírus da AIDS está distante da sua realidade por terem apenas um parceiro sexual. A principal forma de transmissão do HIV (vírus da AIDS) é através da relação sexual sem camisinha. A mulher grávida e infectada pode transmitir o HIV para o filho durante a gestação, parto e aleitamento, caso não realize o pré-natal correto juntamente com o parceiro. Aprenda a conversar com seu parceiro sobre o uso da camisinha. Aprenda a dizer “não” quando achar que a relação não lhe convém. Lembre-se que existe também a camisinha feminina. Faça o teste do HIV e peça para o seu parceiro fazer o teste também.

Prevenção do Câncer de Mama

O Câncer de Mama tem cura se descoberto logo no início. Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, maior a chance de cura com o mínimo de sequelas. O exame clínico das mamas deve ser realizado anualmente para todas as mulheres a partir dos 35 anos. A mamografia é indicada para mulheres com idade acima de 40 anos.

Prevenção do Câncer de Colo Uterino

O Câncer de Colo de Útero é uma das principais causas de morte entre mulheres brasileiras e o HPV, vírus causador das “verrugas venéreas”, geralmente está relacionado com a doença. O câncer de colo de útero pode ser evitado com duas atitudes: usando a camisinha nas relações sexuais e realizando o exame preventivo (Exame de Lâmina ou Papanicolau). Não precisa ter medo ou vergonha. O profissional de saúde é preparado para fazer o exame, que é simples e pode ser feito em uma unidade básica de saúde. O exame é rápido, não dói e pode salvar sua vida.

Violência contra a Mulher

A cada 15 segundos, uma mulher é espancada no Brasil. O machismo e o alcoolismo são apontados como principais fatores que contribuem para a violência. A maioria acontece em casa. Lembre-se, a violência doméstica é considerada como qualquer outra ação ou omissão com base no gênero, que provoque morte, danos físicos, sexuais, psicológicos, morais ou materiais.
A Lei Maria da Penha (11.340/06) foi criada para proteger as mulheres em situação de violência. Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher

Busque sua Autonomia

Autonomia é a garantia dos direitos da mulher para que ela possa alcançar a igualdade entre os sexos e decidir sobre sua vida; a forma que irá gastar o tempo que dispõe; ter condições de definir atividades profissionais, culturais, familiares, políticas ou de lazer; de não manter relações pessoais e afetivas devido à dependência financeira e material.   A mulher precisa ter autonomia pessoal, econômica, social, cultural e política. A autonomia também pressupõe exercer os direitos reprodutivos e adotar todas as medidas necessárias para que as mulheres participem em igualdade de condições na tomada de decisões.

SECRETARIA ESPECIAL DE POLÍTICA PARA AS MULHERES E SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais