Discurso esfarrapado

0

Culpar as administrações passadas não vai resolver os problemas de Aracaju. Esse discurso do prefeito João Alves Filho (DEM) até encontrou simpatizantes no início do governo, porém insistir com ele chega a ser ridículo. O próprio governador Jackson Barreto (PMDB) aumentou o coro dos que discordam do surrado argumento usado pelo demista: “João já está no oitavo mês de gestão e tem que encontrar as soluções para os problemas da capital”, ensina o peemedebista. Percebe-se que Alves Filho não possuía projetos para a cidade e apostou em obras de fachada visando se manter na crista da onda até 2014, quando tentaria se eleger governador de Sergipe. Faltou, contudo, combinar com os problemas, que se agravam e irritam os aracajuanos, inclusive os eleitores de João, já arrependidos com a opção eleitoral que fizeram em 2012.

Prepare o bolso

Uma péssima notícia: o Tribunal Regional Federal da 5º Região caçou a liminar proferida pelo juiz federal Edmilson Pimenta que suspendia a cobrança da Taxa de Ocupação e de Foro de 2013 dos Terrenos de Marinha situados em Aracaju. Diante disso, a cobrança das taxas de ocupação e foro de 2013 está mantida, devendo as cotas serem pagas normalmente nesta segunda-feira, inclusive a terceira cota que vence hoje.

Disputa

Os deputados federais Rogério Carvalho e Macio Macedo querem disputar a presidência do PT sergipano pela corrente majoritária Articulação Unidade na Luta/Construindo um Novo Brasil. Macedo conta, inclusive, com o apoio do governador licenciado Marcelo Déda e do ex-senador Zé Eduardo Dutra, mas Rogério não parece disposto a desistir. Aguardemos, portanto.

Luto

Será sepultado às 10h de hoje em Estância o ex-deputado estadual e ex-prefeito daquele município, Pedro Barreto Siqueira. Ele morreu ontem num hospital de Aracaju, vítima de insuficiência cardíaca. Com 87 anos, Pedro Barreto administrou Estância de 1959 a 1962, depois elegeu-se deputado estadual por duas legislatura e vereador.

Pé na estrada

A secretária da Saúde de Aracaju, deputa estadual Goretti Reis (DEM), está de olho na reeleição. Preocupada com o avanço dos adversários, a demista resolveu colocar o pé na estrada para conversar com os eleitores. No último final de semana, Goretti cumpriu uma extensa agenda que incluiu visitas aos municípios de Tobias Barreto, Simão Dias e Lagarto.

Filosofia

De um pescador, ontem à tarde, às margens do Rio Sergipe: “Maré morta é como homem indeciso, que vai e volta”.

Na telinha

O PMDB usou as inserções no rádio e na televisão para promover a imagem política de seu líder maior, Jackson Barreto. O programa lembrou a atuação de JB como prefeito de Aracaju, na década de 80, e mostrou a atuação do peemedebista como governador em exercício de Sergipe.

Parada Gay

A 12ª Parada Gay, realizada ontem na Orla de Atalaia, foi um sucesso de público e animação. Embalados por muita música, os participantes deram show de irreverência e propagaram a paz entre as pessoas. O evento foi organizado pelo Grupo de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT).

Rebeldia

As atenções estão voltadas hoje para a Câmara Municipal de Aracaju. É que desde a semana passada boa parte da bancada governista demonstra insatisfação com o prefeito João Alves Filho (DEM), a ponto de na quinta-feira não ter dado quórum para a votação de projetos do Executivo. Há quem garanta que o demista já acalmou os parlamentares, que devem votar hoje sem problemas os projetos do Executivo.

De volta

Após passar seis dias com a família em Aracaju, o governador licenciado Marcelo Déda (PT) retornou a São Paulo para continuar o tratamento contra o câncer no estômago. Durante o período em que permaneceu na capital sergipana, o petista não manteve qualquer encontro político nem tratou sobre a administração estadual com auxiliares do governo.

Do baú político

Em 1961, o grande Luiz Gonzaga foi impedido de se apresentar na Rádio Difusora. Entrevistado por Osmário Santos, o radialista e ex-deputado estadual Santos Mendonça oferece detalhes da proibição, que causou uma grande celeuma em Aracaju: “Ao ser retirado do ar, Luiz desceu as escadarias da rádio, ali na praça General Valadão, e subiu a rua João Pessoa. Quando chegou na Praça Fausto Cardoso, eu vinha chegando com meu carro, que estava todo equipado de som para a minha campanha de deputado estadual. Quando vi Luiz Gonzaga, 10 horas da manhã, sol a pino, gente pra burro e ele na frente com a sanfona, perguntei: ‘O que é que há, Lula?’. Ele me contou a história. Então eu disse: ‘Não seja por isso, suba aqui no banco’. Liguei o som do carro e Luiz fez o show na frente do Palácio, disse o que aconteceu na rádio, com o governador ouvindo tudo. A alegria de suas músicas pôs fim a confusão e eu aproveite para fazer um comício com a presença de Luiz Gonzaga sem gastar um tostão”. Santos Mendonça, um dos grandes radialistas de Sergipe, elegeu-se deputado, mas foi cassado pelo golpe militar de 1964.

Resumo dos jornais

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais