Disputa interna no PT

0

     Enquanto espera pelo casamento proibido com o ex-governador Albano Franco, o Partido dos Trabalhadores enfrenta internamente a já conhecida divisão através de várias tendências, que ao final de todas eleições estaduais tem apenas um perdedor: o próprio PT. Dentro do próprio partido algumas lideranças mais sóbrias politicamente, sem arroubos ideológicos e bastantes pragmáticos, analisam que no pleito deste ano o partido pode cometer o mesmo erro das eleições 2002, onde lançou diversos candidatos a deputado federal e estadual, e com a coligação, só conseguiu eleger João Fontes para a Câmara dos Deputados e Ana Lúcia para a Assembléia Legislativa. Gualberto como todos têm conhecimento foi o segundo suplente e assumiu devido ao assassinato de Joaldo Barbosa e a perda do mandato do primeiro suplente, o mandante do crime Antônio Francisco.

 

      Nas eleições 2002, o PT coligou-se com o PCdoB, PL e PMN na legenda proporcional, disputando as vagas na Câmara dos Deputados e Assembléia Legislativa. O PT apresentou nada menos que 11 candidatos para federal e 23 para estadual. O PMN foi com 2 federais  e 9 estaduais, enquanto o PL saiu com 3 federais e 8 estaduais. Registre-se que 90% dos votos para federal do PMN foi para Jackson, situação idêntica a Heleno Silva no PL. O resultado todos sabem: João Fontes pelo PT, último colocado dos oito federais, Jackson Barreto pelo PMN e Heleno Silva pelo PL.

 

    Os números mostram que a “fogueira das vaidades” prevaleceu no PT ao apresentar 11 candidatos. Esses 11 candidatos somaram 109.705 votos e mais 12.120 de legenda, num total de 121.825 votos. O PMN de Jackson obteve 68.689 votos (63.886 em dois candidatos e 4.803 na legenda). O PL obteve 52.836 nos 3 candidatos e mais 2.795 na legenda. O PCdoB, com Tânia soares, obteve 22.980 e 455 de legenda. Os números mostram que o PT poderia ter feito dois federais. Claro que a questão não poderia ser vista com essa simplicidade, pois estaria em jogo a transferência de votos e outros aspectos.

 

      Já para deputado estadual o PT, com seus 23 candidatos recebeu 78.134 votos e mais 11.853 de legenda, num total de 89.987. O PMN saiu com 49.688 e mais 6.674 na legenda e o PL com 36.691 e mais 3.646 na legenda. O PT elegeu apenas Ana Lúcia, o PL dois (Mardoqueu e Joaldo) e o PMN três (Adelson, João das Graças e Zé Milton). Será que agora em 2006 o PT vai usar a mesma estratégia, pulverizando os votos em muitos candidatos, fazendo legenda para candidatos de outros partidos da coligação?

 

     Vários petistas defendem que lançar muitos candidatos é acertado quando sai sozinho ou coligado do com partidos pequenos, como por exemplo, o PCdo B. Mas com “cobras criadas” como Jackson e Heleno é suicídio. Para federal, o PT já tem como pré-candidatos Nilson Lima, Severino Bispo, Iran Barbosa, professor Dudu, entre outros. A história pode se repetir. E o pior de tudo é lembrar que em 2002, para a Assembléia Legislativa, João das Graças e José Milton de Zé de Dona, foram eleitos pelo PMN, graças a força dos votos do PT.

 

 

Comunicação I

Foi grande a repercussão do artigo publicado ontem nesta coluna com o título “Contrato de Gaveta”. O  bastante para que recebesse telefonemas com outras informações sobre o caso. Um membro da oposição já está de posse de toda documentação, que envolve um contrato registrado na Junta Comercial e outro apenas registrado num cartório de Aracaju, ou seja, de “gaveta”. Além disso, tem dois processos que corre na Justiça. Um dos “sócios” ou “laranjas” brigando pela empresa e outro de uma bancária que não tem nada com a história, mas foi induzida a entregar um extrato da conta para um dos sócios que apresentou o contrato de “gaveta”. Depois, o outro que tem o contrato registrado na Junta Comercial denunciou a bancária.

 

Comunicação II

Enquanto o Ministério Público está preocupado em determinar o que deve ou não ser exibido na TV Aperipê, existe naquele órgão, em algumas gavetas processos do final da administração estadual passada  que estão parados. A desculpa é porque não encontraram ainda de quem é a competência para a alegação final dos processos. Quem acredita? Porém, certamente se estes processos chegarem nas mãos do promotor René Antônio ele fará cumprir a função de defesa do patrimônio público. 

 

 

Gol Contra I

Este episódio envolvendo a prisão do sindicalista Nivaldo Fernando (foto) mostra que alguns setores da Prefeitura de Aracaju batem “cabeça”. Todo mundo sabia que os sindicalistas iam fazer piquetes. Se ocorreu exagero por parte de Nivaldo, com a proibição da entrada de servidores que desejavam trabalhar, nada justificativa a prisão dele, sendo algemado e levado para uma delegacia. Uma atitude arbitraria que não foi aceita pelo prefeito Edvaldo Nogueira, que desde o primeiro momento foi à delegacia e acompanhou todo processo até que Nivaldo fosse solto, prestando solidariedade. Em entrevista a TV Sergipe, um oficial da PM, de nome major Eduardo, da Guarda Municipal, à disposição da Prefeitura justificou a prisão do sindicalista. Um gol contra que merece punição.

 

Gol Contra II

Outro fato interessante, desta vez envolvendo a área de comunicação da Prefeitura. Em abril, Edvaldo equiparou os salários dos servidores ao salário mínimo de R$ 350,00. Quase 4 mil “barnabés” tiveram um reajuste de mais de R$ 100,00, chegando aos 13%. A área de comunicação se limitou a enviar matérias para os meios de comunicação e nada mais. Não explorou o reajuste que foi dado, tanto é que a maioria destes servidores deseja trabalhar normalmente, e a prova disto é que o expediente na maioria dos órgãos foi normal a partir das 9h. Uma diferença clara da comunicação do governo estadual. João anunciou 15% de reajuste apenas para o magistério, mas para a imprensa e a população passou a idéia de que o reajuste atingiu a todos servidores. Ledo engano, cerca de 40 mil não tiveram reajuste.

 

Showmícios I

A decisão ontem, do pleo do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, em proibir a realização de showmícios e de eventos assemelhados para a promoção de candidatos nas eleições estaduais deste ano, deixou muita gente sem dormir em Sergipe. É que, como este colunista já denunciou por várias vezes, o esquema de bandas e shows no Estado é um verdadeiro escândalo e empresas laranjas são pintos se o Ministério Público desejar investigar os contratos feitos com prefeituras.

 

Showmícios II

Tem empresário de várias bandas que praticamente “banca” a candidatura de alguns candidatos com a realização de shows gratuitos em troca de contratos fechados quando estes ganham prefeituras ou mesmo mandatos legislativos. Além dos showmícios ficaram proibidos também a distribuição de brindes, como bonés, camisetas e chaveiros, cestas básicas ou quaisquer outros bens que possam proporcionar vantagem ao eleitor. Os outdoors também foram proibidos nesta campanha.

 

Shomícios III

O TSE decidiu ainda pela inconstitucionalidade do artigo 35-A, que proibia a divulgação de pesquisas eleitorais, por qualquer meio de comunicação, a partir do 15º dia anterior até às 18h do dia do pleito. Apenas o ministro Carlos Ayres Britto se manifestou pelo afastamento de inconstitucionalidade, e recomendou a aplicação do artigo nas eleições de 2008.

 

 

Investigação

Uma investigação está sendo realizada em Sergipe por um importante órgão do Governo Federal. Envolve denúncias de balanços maquiados e de pessoas que deixaram suas funções por não aceitarem assinarem os mesmos. Fala-se em algo em torno de R$ 60 milhões.

 

 

Mais vagas

O ensino superior à distancia gratuito criado pelo governo do estado, acaba de ser ampliado com mais 780 vagas. Agora, sobe para 2.040 o total de vagas oferecidas aos estudantes da rede pública. O anuncio foi feito pelo governador João Alves Filho, salientando que além da inscrição, todo material didático será fornecido de graça aos estudantes distribuídos nas sedes de Aracaju, Socorro e Porto da Folha. Os cursos oferecidos pela Seed e ministrados pela Unit, são os mais requisitados pelo mercado de trabalho, a saber: matemática, letras – português, inglês e espanhol -, física, química, biologia e tecnologia e gestão da informática.

 

Arte

E não é que estão sugerindo colocar o nome da galeria de arte da Orla da Atalaia de uma pessoa que não tem nenhum serviço prestado a cultura de Sergipe. Apenas é parente do atual governador. Ainda bem que a idéia não seguiu em frente. Para o bem da cultura de Sergipe…

 

 

Frase do Dia

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, rir-se da honra e ter vergonha de ser honesto” (Ruy Barbosa).

 

Comentários