DOSSIÊ E CANDIDATURA

0

Há de se imaginar que membros do Partido dos Trabalhadores são uns trapalhões e que têm idéias absurdas.A impressão é que são amadores na disputa política ou aprenderam apenas o que existe de sujo para virar uma situação desfavorável. O escândalo do Dossiê ainda vai dar muita dor de cabeça a Aluísio Mercadante, candidato a governador por São Paulo, e ao presidente Lula da Silva, que disputa a presidência. O tal dossiê envolvia exatamente os adversários dos dois: José Serra (PSDB) em São Paulo, e Geraldo Alckmin, candidato à sucessão presidencial. Vamos falar aqui na base da possibilidade: “e se o golpe desse certo”? Até que José Serra e Alckmin provassem que se tratava de uma armação (?), a situação dos dois ficava complicada e talvez irreversível, o que favorecia aos dois candidatos que teoricamente exibiriam o dossiê em revistas e programas de televisão.

A situação de agora é parecida com as anteriores: envolve um montante alto de dinheiro: R$ 1,7 milhão, que tinha conhecimento do presidente do PT, Ricardo Berzoine, e fora praticado por pessoas da intimidade do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Diferente dos escândalos anteriores, Lula agiu com a rapidez dos raios: afastou o deputado Ricardo Berzoini da coordenação geral de campanha à sua reeleição, substituindo-o por Marcos Aurélio Garcia, assessor especial da Presidência, vice-residente do PT e um dos coordenadores do programa da governo de Lula. A partir de agora o novo coordenador de campanha terá muito trabalho para encurtar a solução do problema. Há satisfação a dar ao eleitorado, que não levou em conta os escândalos anteriores, mas não deixou de acreditar neles, considerando que é uma ação comum dos políticos.

Não há como omitir a origem do dinheiro com o objetivo de blindar algum cidadão envolvido e nem começar a minimizar o problema, porque as coisas escusas que se descobrem com membros do PT na jogada, envolvem sempre muito dinheiro e o uso de dólares. A senadora Heloísa Helena, candidata a deputada federal pelo Psol, já encontrou duas instituições que teriam condições de levantar quantia tão alta em pouco tempo: “é dinheiro do crime organizado ou do tráfico”. Evidente que o presidente Lula procurou, o mais rápido possível, tomar atitudes que afastem o escândalo do dossiê da figura do candidato. Esquece, entretanto que a oposição não cruzará os braços e vai querer tirar proveito disso, para baixar as turbinas que mantém o presidente no ponto mais alto das pesquisas eleitorais.

É muito difícil entender que todos os escândalos que trincaram o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, foram praticados por pessoas muito próximas a ele e amigas íntimas. Como foram os casos de José Dirceu, Genoino, Silvio Pereira, Delúbio Soares e outros que freqüentavam a cozinha do poder. Agora foi a vez de um cidadão que andava ao seu lado e outro que fazia churrasco para deleite presidencial depois de uma boa pelada. Eram pessoas tão coladas ao presidente que “quando Lula tropeçava eram eles que caíam”. E fica muito complicado imaginar que ninguém sabia de nada, principalmente em relação a R$ 1,7 bilhão, como se fossem alguns centavos para comprar pipoca.

Quanto a José Serra, ele também não é nenhuma freira indefesa, solta em uma arena cercada por estupradores. O Aluísio Mercadante (PT) está cobrando uma coisa interessante: que investigue o crime da compra do dossiê, mas que também não deixem de apurar o material que está no documento posto à venda. É bom lembrar que em 2002, quando a então governadora Roseane Sarney, do Maranhão, estava em vantagem nas pesquisas para disputar a Presidência da República, promoveu-se escândalo do tipo para tirá-la do páreo. À época, o José Serra, que era seu concorrente, foi acusado de estar por trás do plano para derrubar Roseane antes do pleito. Até hoje essa história está muito mal explicada.

Mas, se tem um fato novo que não favorece o presidente Lula e será necessária uma nova pesquisa para saber se ele foi diretamente atingido por ele.

 

 

CABO ZÉ

O ex-prefeito de Lagarto, José Raymundo Ribeiro, está fazendo campanha para o candidato a governador pelo PT, Marcelo Deda.

Começou na terça-feira à noite e continuou por todo o dia de ontem. Cabo Zé está usando trio elétrico e carros de som.

 

FEDERAL

Para deputado federal, entretanto, José Ribeiro continua votando em Albano Franco e para deputada federal na sobrinha Luísa Ribeiro.

José Raimundo integrava a coligação do governador João Alves Filho, mas foi afastado por decisão da coordenação de campanha.

 

DEBATE

Todos os candidatos a governo do estado já confirmaram presença no debate que será realizado pelo TV-Sergipe na próxima terça-feira.

As regras já foram discutidas pelos coordenadores e a intermediadora será a jornalista Delia Ortiz. Terá a duração de duas horas.

 

NOVIDADES

O governador João Alves Filho, candidato à reeleição, não estava querendo participar de nenhum debate em emissoras de televisão.

Mas foi aconselhado por assessores e resolver comparecer. Vai anunciar novidades, como a instalação de uma refinaria em Sergipe.

 

DÉDA

O candidato do PT, Marcelo Déda, sempre se mostrou pronto para participar de um debate na televisão, para confronto de idéias.

Praticamente às vésperas das eleições, e com a desenvoltura que tem diante das câmeras, Marcelo Déda pode consolidar sua posição na disputa.

 

PASSARELA

A Associação de Bares e Restaurantes (Abravel) está fazendo um abaixo assinado ao prefeito, para que ele estenda o percurso da Festa do Mole até a Passarela do Caranguejo.

O percurso liberado foi do farol até os bombeiros, mas os bares da Passarela já estão vendendo meses e estocaram bebidas para o evento.

 

FESTA DO MOLE

A Prefeitura de Aracaju notificou a Associação Sergipana de Blocos e Trios (ASBT) para retirar as bandeira sobre a festa colocada na orla de Atalaia.

Até o momento as bandeiras se encontram no lugar porque é uma forma de anunciar a festa que mexe com toda a juventude sergipana.

 

ALMEIDA

O senador Almeida Lima (PMDB) considera que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, não tem condições de comandar as investigações sobre a questão do dossiê.

Almeida acredita que pesa suspeição de parcialidade sobre a atuação do ministro no caso e sugeriu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que assuma o processo de investigação.

 

DEFERIMENTO

O deputado federal Jackson Barreto (PTB) e o ex-prefeito Jerônimo Reis (PFL) podem ficar tranqüilos que o TSE recomendará o registro de suas candidaturas.

Ontem o ministro Geraldo Grossi recomendou a aprovação de Eurico Miranda a deputado federal pelo Rio de Janeiro, diante da falta de sentença condenatória transitada em julgado.

 

OBSERVAÇÃO

Um candidato a deputado pelo PMDB observou que ficou estranha a gravação do momento em que Déda dizia a Lula que ia lutar contra a transposição do rio São Francisco.

“Perceba quanto o presidente ri”. E pergunta: “afinal Lula ria de que”? Admitiu que a filmagem não ficou bem porque havia risos para um assunto tão sério.

 

MOVIMENTOS

Há uma onda de movimentos independentes que foram criados para dar suporte à candidatura de João Alves Filho (PFL) à reeleição.

Já são pelo menos cinco movimentos atuando sempre em locais diferentes, distribuindo panfletos e adesivos.

 

FÁBIO

O vereador Fábio Henrique e o ex-vereador Antônio Samarone também estão comandando o movimento “Muda Sergipe-13”.

Várias pessoas estão fazendo parte desse movimento, que também distribui panfletos, santinhos e cola adesivos.

 

MANIFESTO

Em um amplo manifesto, enviado por e-mail, o ex-prefeito Marcelo Déda reafirma sua posição contra a transposição do rio São Francisco.

“Sergipe tem assistido na TV e ouvido no rádio, a posição convicta do nosso candidato contra a transposição e a favor da revitalização”, diz o manifesto.

 

 

Notas

 

ELEIÇÕES

Terão preferência para votar maiores de 60 anos, os doentes, os portadores de necessidades especiais e as mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Também têm prioridade na votação os candidatos, juízes, auxiliares, servidores da Justiça Eleitoral, promotores eleitorais e policiais militares em serviço.

A votação no primeiro turno está agendada para 1º de outubro e o segundo turno, para 29 de outubro. A votação começa às 8h e será encerrada às 17h, salvo se ainda houver eleitores presentes, conforme ressalva do artigo 144 do Código Eleitoral.

 

URNAS

Para quem considera a urna eletrônica um avanço, vem aí outra inovação – o voto eletrônico com a dispensa do título de papel. O eleitor será identificado pela impressão digital, ao apertar três dedos em um equipamento que acompanhará a urna. O TSE já trabalha com 25 mil urnas compradas com os novos leitores digitais.

O novo sistema deverá ser testado nas eleições municipais de 2008, segundo o diretor-geral do TSE, Athayde Fontoura Filho. O teste será feito nas eleições municipais de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

 

TÍTULO

Termina hoje o prazo para tirar a segunda via do título. Em caso de perda ou extravio do documento, o eleitor deverá ir pessoalmente ao cartório eleitoral para requerer a segunda via. Se o título estiver em mau estado de conservação, o requerimento de segunda via só será aceito se o eleitor apresentar o original.
O eleitor pode votar sem o título, desde que saiba qual é sua seção eleitoral e seu nome conste do caderno de votação. Nesse caso, basta apresentar um documento oficial de identidade com foto e votar.

 

 

É fogo

 

A festa do Mole vai acontecer domingo, depois de alguns pequenos problemas. Tudo vinculado à questão política.

 

As disputas em algumas cidades do interior se acirraram e eleitores de todos os lados começam a agitar a campanha dos seus candidatos.

 

Outro fato importante é que os candidatos estão começando a se preparar para o debate de terça-feira na TV-Sergipe.

 

Alguns candidatos estão com as suas assessorias fazendo simulações de debates para se sair bem diante das câmeras.

 

O vereador Fábio Henrique iniciou hoje a atuar no Movimento Muda Sergipe 13, fazendo distribuição de panfletos e adesivos.

 

Equipes de apoio de campanha mobilizam simpatizantes dos candidatos e fazem concentração em pontos da cidade onde há maior movimentação de veículos.

 

O deputado federal Bosco Costa está trabalhando intensamente para eleger o seu sobrinho Vander Costa (PTB).

 

Durante o curto espaço de tempo que esteve em Aracaju, a senadora Heloísa Helena, candidata a presidente pelo Psol, conseguiu alguns votos.

 

O deputado estadual Luiz Garibaldi (PMDB), candidato à reeleição, está investindo em grupos jovens para despertar politicamente como liderança.

 

O Telecheque realizou pesquisa e contatou que o problema dos inadimplentes está mais concentrado entre os consumidores com renda entre R$ 350e R$ 700.

 

brayner@infonet.com.br

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários