Dou-lhe uma…

0

Uma péssima notícia para a torcida rubra: o Estádio João Hora, único patrimônio físico do Clube Sportivo Sergipe vai a leilão no próximo dia 18 e, caso não seja arrematado, voltará a novo pregão público no dia 2 de dezembro. Segundo edital da Justiça Federal, o imóvel será vendido para pagar uma dívida com a Caixa Econômica Federal não honrada pelo ex-presidente do ‘Vermelhinho’, Antônio Soares da Mota. No primeiro leilão o valor mínimo de proposta deve ser superior a R$ 9,8 milhões, porém se não aparecer interessado, o bem poderá ser adquirido no segundo pregão por qualquer proposta, desde que não seja inferior a 50% do valor estipulado. Com 70.000m², o Estádio possui, entre outras coisas, três campos de futebol, sendo dois para amadores, alojamentos para atletas, salas de diretoria, vestuários, piscinas, arquibancadas, lojas de conveniência e até um posto de gasolina. E então, quer comprar?

Alô… alô?

Como perguntar não ofende, como andam as investigações em torno da operação que, em julho do ano passado, descobriu um forte esquema de sonegação fiscal em Sergipe? Alegou-se na época que foram desviados do tesouro estadual mais de R$ 50 milhões, através de notas fiscais frias usadas por construtoras. A Polícia prendeu três contadores, abriu inquérito e depois o assunto desapareceu da mídia. Será que as investigações foram equivocadas? Passado mais de um ano, alguém sabe os nomes das construtoras envolvidas com a quadrilha?  Alô, alô, responde, mas com toda sinceridade!

Fora de tom

É estranha a decisão dos médicos da Prefeitura de Aracaju de cruzarem os braços já no próximo dia 30, menos de um mês após a troca do titular da Saúde. Tudo bem que a situação dos postos e hospitais do município é grave, contudo não custava dar um tempo ao novo secretário Sílvio Santos, que ainda nem tomou posse. Tivessem mais preocupados com a situação da população do que com a deles próprios, os médicos ouviriam primeiro o novo secretário para só depois decidir pela greve. Não acham?

Juntando os cacos

Derrotados em Sergipe e no Brasil, o ex-governador João Alves Filho (DEM) e o deputado federal Albano Franco (PSDB) vão se encontrar para discutir o futuro político de ambos. Pessoas ligadas a eles garantem que o encontro pode selar um acordo com vistas às eleições municipais de Aracaju. Já nesta quarta-feira, o tucano se encontra com o colega de Câmara, José Carlos Machado (DEM). Além de afinarem a conversa para a reunião com Alves Filho, devem tratar sobre a canoa furada que ambos embarcaram nas eleições passadas.

Couro de fole

Agora foi o Ministério Público Eleitoral que pediu vistas do processo propondo a cassação do registro de Rogério Carvalho (PT), o deputado federal mais votado de Sergipe. Já é o segundo ou terceiro pedido neste sentido. Até parece couro de fole velho, que vai pra frente e pra trás. Enquanto o processo é motivo de estudo em Brasília, os milhares de eleitores do petista aguardam uma decisão. O mais agoniado nisso tudo é Fábio Reis (PMDB), que ficou na primeira suplência para a Câmara Federal.

Treino para o TCE

Vejam essa: o deputado estadual Augusto Bezerra (DEM) quer saber quem pagou a festa de casamento do prefeito de Capela, Manoel Messias, o ‘Sukita” (PSB), inclusive o show do padre Antônio Maria. E esta tarefa não está mais apropriada à Câmara de Vereadores e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE)? Não há assuntos mais interessantes no estado para o deputado se preocupar? A não ser que, de olho nas próximas vagas de conselheiro do TCE, Augusto queira dar uma treinada, esmiuçando as contas da Prefeitura. 

Empate financeiro

Em depoimento ontem na Assembléia, o secretário estadual da Fazenda, João Andrade, informou que houve embate entre a receita e a despesa do governo. Dos R$ 3.721,4 milhões que o Estado dispunha para 2010, foram investidos R$ 3.718,1 milhões. A boa notícia é que o dinheiro para pagar o 13º dos servidores está garantidíssimo e que, apesar das dificuldades, o governo termina o ano respeitando a Lei de Responsabilidade Fiscal. Quanto ao reajuste salarial para o ano que vem, dificilmente o Estado concederá algo além do que a inflação do período.

É sacanagem

Eleitores de Dilma Rousseff (PT) não gostam quando a coluna condena o oportunismo de se recriar a CPMF. Acham que o imposto sobre transações bancárias foi extinto por capricho da oposição, que queria prejudicar o governo de Lula (PT), e que sem a CPMF a saúde sai da UTI direto para o cemitério. Independente disso, aproveitar a ‘lua de mel’ da presidente eleita para aprovar a volta desse tributo, é sacanagem da grossa com o eleitorado, que não votaria, como votou, em Dilma se soubesse dessa sua intenção.

Posse marcada

Será no próximo dia 19, a posse do novo procurador geral de Justiça, Orlando Rochadel. Primeiro promotor a ocupar o cargo máximo do Ministério Público sergipano, ele substituirá a competente procuradora Maria Cristina Foz Mendonça, que está concluindo seu segundo mandato. A sessão solene está marcada para às 17h e deverá ser das mais concorridas.  Com a posse de Rochadel, o MPE continuará em boas mãos para a alegria dos sergipanos, particularmente dos mais necessitados de justiça.

Dando ‘piteco’

Derrotado feio no 1º turno das eleições presidenciais, o minúsculo PSTU se acha no direito de ensinar Dilma Rousseff (PT) a governar. Reunidos em São Paulo, os liderados do ex-presidenciável Zé Maria – não devem encher uma kombi – aprovaram documento propondo que a petista já comece o governo dobrando o valor do salário mínimo. A galera do PSTU também orienta que o primeiro passo e Dilma deve ser reduzir os lucros exorbitantes das grandes empresas, etc e tal.

Do baú político

Em 1947, a campanha eleitoral em Sergipe chegou ao clímax a partir do momento em que a Igreja Católica abriu guerra contra os candidatos que defendiam temas avançados, como o aborto e o divórcio. Foi fundada a Liga Eleitoral Católica, que patrulhava os candidatos e estimulava pregações contra eles nas missas, procissões e até nas casas dos eleitores. Como a UDN, de olho nos votos dos comunistas, decidiu não seguir a orientação da Igreja, esta abriu guerra contra o candidato a governador Luiz Garcia. Nos últimos dias da campanha, uma Nota Oficial, fazendo duras críticas ao candidato da UDN, foi distribuída com todos os padres, para ser lida na missa do domingo. Udenista convicto e pastoreando um rebanho, em sua grande maioria, com a mesma coloração partidária, o padre de Laranjeiras, Filadelfo Jônatas de Oliveira, encontrou uma alternativa para não ficar mal com o partido, e cumprir a determinação do bispo Dom José Tomás Gomes: leu a Nota Oficial em latim. Sua atitude, embora inusitada, teve pouca serventia. O candidato José Rollemberg Leite (PSD), apoiado pela Igreja, foi eleito governador.

Resumo dos Jornais

http://clipping.radiobras.gov.br/clipping/novo/Construtor.php?Opcao=Sinopses&Tarefa=Exibir

 


 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários