E a Operação Indenizar-SE?

0

Imaginando que o combate à corrupção seja, de fato, a principal preocupação a) dos que há tempos viveram a bater panela nas janelas da 13 de Julho, b) dos parlamentares da Câmara de Vereadores que constantemente bradavam discursos contra Dilma e o PT, c) e de setores da imprensa que inundaram as páginas dos jornais locais de editoriais e artigos contra os governos petistas, impossível não fazer algumas perguntas:

– Onde foram parar as investigações sobre o desvio de recursos de verbas indenizatórias por 15 vereadores da Câmara de Aracaju?

– Por que a quase totalidade da imprensa sergipana, depois de um curto período de coberturas sobre o caso, silenciou sobre a Operação Indenizar-SE?

– E por que esse silenciamento se deu logo após ser anunciada uma série de indícios que apontavam o envolvimento de alguns vereadores em crimes de sonegação fiscal, peculato e lavagem de dinheiro? Mera coincidência?

Numa pesquisa aos principais portais de notícias do estado, é possível verificar que as últimas notícias sobre a Operação Indenizar-SE foram publicadas há mais de um mês. Naquele momento, a delegada do Departamento de Crimes contra a Ordem Tributária, Danielle Garcia, disse que o inquérito estava em fase de conclusão e que em aproximadamente duas semanas seria finalizado. Desde então, o assunto praticamente desapareceu das páginas dos jornais e não foi mais tratado nos programas matinais de jornalismo das principais emissoras de rádio.

É fato que o caso, pelas características que tem, necessita de uma apuração rigorosa, demanda uma análise criteriosa e cuidadosa de materiais e documentos, exige ouvir depoimentos de supostos envolvidos. E tudo isso precisa de tempo e autonomia dos órgãos de investigação. Mas, passado mais de um mês das últimas informações, é no mínimo preocupante o silêncio sobre o tema, quando quase que diariamente chegavam fatos novos ao conhecimento público. É esse silenciamento que pode levar ao esquecimento do fato pela população. E a Operação Indenizar-SE não deve, de modo algum, ser esquecida.

Apenas para relembrar
Intitulada Indenizar-SE, uma investigação do Ministério Público Estadual em conjunto com a Secretaria Estadual de Segurança Pública busca apurar casos de desvios de aproximadamente R$ 7 milhões de verbas indenizatórias na Câmara de Vereadores de Aracaju. São alvos da investigação 15 dos atuais 24 legisladores do município e três empresários, além do ex-vereador Robson Viana (que, pela condição atual de deputado estadual, possui foro privilegiado).

A investigação é baseada em denúncias de usos de notas fiscais falsas, emitidas para justificar despesas por materiais e serviços não utilizados pelos 15 vereadores. Em um determinado momento das apurações, chegou-se a noticiar que existiam consistentes indícios de que muitos dos investigados estavam envolvidos diretamente em casos de sonegação fiscal, peculato e lavagem de dinheiro, sendo que alguns poderiam ter como pena a cassação do mandato e até mesmo prisão. Abaixo a lista dos vereadores e empresários investigados:

Adelson Barreto Filho (PR)
Adriano Taxista (PSDB);
Agamenon Sobral (PHS);
Anderson de Tuca (PRTB);
Augusto do Japãozinho (PRTB);
Daniela Fortes (PEN);
Dr. Agnaldo Feitosa (PR);
Dr. Gonzaga (PMDB);
Emmanuel Nascimento (PT);
Ivaldo José (PRTB);
Jailton Santana (PSDB);
Max Prejuízo (PSB);
Pastor Roberto Moraes (SD);
Renilson Félix (DEM);
Valdir Santos (PTdoB).

Empresários
Alcivan Menezes Silveira;
Alcivan Menezes Silveira Filho;
Pedro Ivo Carvalho.

Comentários